Thursday, May 1, 2008

Youth without Youth : o filme





Youth without Youth | Poster
Francis Ford Coppola, 2007
http://www.imdb.com/


Volto a um dos meus temas intimistas. O cinema. E acrescento uma banda sonora de imensa qualidade.

Chegou a vez de rever
Francis Ford Coppola, depois de dez longos anos de ausência.


Durante este tempo, supõe-se que esteve mais preocupado em apoiar a filha Sofia Coppola a construir uma carreira de realizadora. Destaque-se o seu último filme Marie Antoinette.

"Marie Antoinette(2006), starring Kirsten Dunst, which won the Cinema Prize of the French National Education System at the Cannes Film Festival."





Mircea Eliade | Youth Without Youth

Mas, voltemos a Coppola, que regressa à realização com a adaptação ao cinema de um obscuro livro romeno da década de 70 de Mircea Eliade.





Dominic Matei | Tim Roth
http://www.imdb.com/


Sinopse:

Matei, 70 anos, respeitado académico, linguista, filósofo e historiador, dono de um conhecimento ímpar.

Mas Matei é também um velho infeliz e amargurado pelo facto de ter perdido o grande amor da sua vida para se dedicar por inteiro à investigação académica.

No entanto, ao ser atingido por um raio, a sua idade começa a regredir, ao mesmo tempo que a sua mente se torna infinitamente mais brilhante. E vai dar-lhe ao mesmo tempo a oportunidade de viver a sua juventude... com dons e poderes que nunca suspeitou existirem.






Mircea Eliade | Uma Segunda Juventude
Edições Bico da Pena
http://www.fnac.pt/

"Um romance onde se tocam os limites da vida e os limites do conhecimento."






Dominic & Veronica
Tim Roth & Alexandra Maria Lara
http://www.imdb.com/

Youth Without Youth é um filme sobre as origens do ser, da linguagem, e sobre a efeméridade física, intelectual, e criativa, em todos nós.

Momento de reflexão, de amor, e de regeneração. A incoerência narrativa é fruto da liberdade de autor. E isso é um um bem adquirido.

Trata-se talvez de uma busca de dez anos de regressão 
sobre si mesmo, um misto de essência pessoal, acto religioso de íntima paisagem. Um filme sincero, transparente, subjectivo, portanto!



Dominic Matei | Tim Roth

E como gosto de filmes subjectivos! Filmes que deixam passar o lado mais humano de quem os imagina, os cria, os depõe despidamente diante o nosso olhar! E nos colocam perante nossas próprias subjectividades.

Um filme que tem sofrido críticas bastante negativas. A propósito, Coppola disse numa entrevista: 

"Os meus filmes de "adulto" foram realizados quando eu era ainda imaturo"

É uma afirmação fabulosa para entender Youth Without Youth! Mas oiçam o realizador Francis Ford Coppola:







Excelente interpretação de Tim Roth no papel de Dominic Matei. Roth é dos melhores actores americanos. No entanto, não devo esquecer Bruno Ganz, a linda Alexandra Maria Lara, entre outros.

E a banda sonora. Belíssima! Sublime, intimista, de Osvalfo Golijov, compositor argentino, um contraponto poético de grande sensibilidade.







Pois eu gostei profundamente! Ponham as críticas de lado. Cada um de nós sente como sente.

O lado humano de um criador de sonhos encantou-me. Completamente! E a banda sonora é divina!


Saí ainda com os acordes da banda sonora permanecendo, suaves, em minha memória auditiva. 




Youth Without Youth/ CD

Sob os acordes de Osvaldo Golijov, como música de fundo, escrevi este apontamento pessoal. Aceitem o convite e oiçam o tema

Tanta nostalgia de um mundo tão perto de nós.

Para mim, as críticas não me dizem nada! Faço as minhas próprias opções!

A rever!

G-S

Fragmentos Culturais, som de
Youth without youth tema de Osvaldo Golijov

01.05.2008
Copyright © 2008-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®



Nota: Por vezes Google Chrome dá a existência de malware em posts com este. Windows não indicia nenhuma anomalia.

Actualizado: 29.03.2015


28 comments:

Perla said...

Quando se gosta, gosta!

Beijo

Sophiamar said...

Que este 1º de Maio seja celebrado com a força e a convicção de que queremos um Portugal mais justo, mais igualitário, mais incluso, mais livre.

Um bom dia do Tabalhador!

Beijinhos

p.s. Voltarei para comentar a propósito.

avelaneiraflorida said...

Fragmentos,

posso dizer com toda a certeza que adorei " MARIE ANTOINETTE" por tudo quanto se expõs ao nosso olhar e aos nossos ouvidos! Poderia ser estranho alguns dos efeitos pretendidos...a banda sonora, as cores, enfim!!!
Mas está ali um filme de grande sensibilidade!!!!
Agora, depois de ler sobre esta síntese...apetece-me mesmo ver o filme do pai Coppolla!!!

EDUARDO said...

Preencho-me de culturas fragmentos que me unem a ti :-)

Sérgio Luyz Rocha said...

Meu caro...chego aqui de link em link (o último, a derradeira ligação foi OLiver Pickwick, o espartano..rsrs)e é sempre uma alegria o encontro de espaços tão inteligentes e sensíveis...parece-me que a periodicidade das tuas publições é bem espaçada, mas ficarei sempre atento...estou olhando de um modo geral e, com o tempo, passo discutir os assuntos em específico...
Foi um prazer...

Pedro Branco said...

Obrigado pela dica.

Pedro Branco

Oliver Pickwick said...

Coppola é o Orson Wells do cinema contemporâneo, um cineasta visionário.
A Sofia, apesar da rejeição crônica à sua participação em The Godfather III, a qual, eu não concordo, está no bom caminho. De mais a mais, estava linda no filme.
Escorregou no começo como diretora, mas retomou o rumo depois.
Um beijo!

P.S.: obrigado por suas palavras gentis deixadas no condado.

Tiago R Cardoso said...

estava aqui a pensar o que se diz perante um post desta qualidade, sem se parecer falso...

Excelente, brilhante, muito bom.

Tiago.

Luís Galego said...

Para mim, as críticas não me dizem nada! Faço as minhas próprias opções!

subscrevo, sem hesitar!

Alma Nova ® said...

Quem utiliza o seu melhor instrumento, o cérebro, é isso que faz: ouve, vê, pensa, analisa e forma as suas opiniões.
Gosto de Coppola e ainda não vi este filme...fica o apontamento para não esquecer.

Fragmentos Culturais said...

Sem dúvida, 'Perla'! E isto de gostos/'afectos'... passa sempre pela sensibilidade/subjectividade de cada um de nós!

Gostei de ver su olhar poisado em 'fragmentos'!

Fragmentos Culturais said...

Cara amiga 'Sophiamar',

Apesar de tua saudação ser relacionada com um factor social muito importante, este blogue tem-se pautado [regra básica imposta a mim própria] pela isenção política.

'Fragmentos Culturais' é ... e será sempre um espaço de culturas, intervenção humanística, e divagações soltas de paisagens intimistas!

Peço-te então, para não voltar a depositar nele comentários de propaganda política. Muito obrigada.

Espero continuar a merecer teu olhar... mas para intervir/comentar nos assuntos aqui
presentes!

Um beijo amistoso

Fragmentos Culturais said...

Com certeza que 'Marie Antoinette' é um filme muito interessante, 'Avelaneira'!

A visão histórica... pelo olhar da contemporaneidade, deliciou-me!

Não esqueço uma outra referência muito mais marcante:
'Romeu e Julieta' [Baz Luhrmann, 1996]!
Um 'flash' de frescura sem retirar uma ponta de seriedade`ao texto original de Shakespeare... incrivelmente interessante, uma extraordinária banda sonora!

Espero ler o teu parecer depois de passares pela sala de cinema...

Sensibilizada pelo teu olhar sempre atento em 'fragmentos'!

Fragmentos Culturais said...

'Preencho-me de culturas fragmentos que me unem a ti...'

...sensibilizada, Eduardo, pelo ténue elo que nos une...'fragmentos' de meu ser

Um beijo

Nilson Barcelli said...

A julgar pela tua excelente crítica, é um filme a não perder.

Bom resto de semana, beijinhos.

Fragmentos Culturais said...

'de link em link (o último, a derradeira ligação foi OLiver Pickwick...)' - acaba por se formar uma cadeia humana de sentires que se alcançam em fragmentos!

Por falta de tempo 'prazeiroso', ou de 'intima' vontade de escrever, a periodicidade de 'fragmentos' é mesmo bem 'espaçada'!!

Será um prazer rever seu olhar por aqui poisado...
... e com vontade de debater algum assunto em específico.

Sensibilizada portanto! A propósito não se trata de 'meu caro...', mas 'minha cara...'
:)

Klatuu o embuçado said...

Apenas não entendi isto: «regressa à realização com a adaptação ao cinema de um obscuro livro romeno da década de 70 de Mircea Eliade» - porque, ainda que o trabalho académico oculte o escritor, Mircea Eliade é autor de excelente ficção.

Fragmentos Culturais said...

Foi um prazer, Pedro Branco!

Sensibilizada pelo seu olhar em 'fragmentos'

Fragmentos Culturais said...

'Coppola é o Orson Wells do cinema contemporâneo, um cineasta visionário...' - concordo em parte, Pick! Não posso deixar de pensar em plano similar em Spielberg!
Aliás, fazem os dois parte de uma nova geração de 'visionários' realizadores que tiveram a coragem de fazer frente a grandes estúdios e de se manterem 'independentes'!

Sofia Coppola tem vindo a 'crescer' e até posso compreender a sua rejeição em participar no 'Padrinho III'.

'...estava linda no filme...'
Se falas na sua 'aparição' nessa saga espantosa que foi 'O Padrinho', concordo plenamente :)

Quando se é uma jovem realizadora e ainda para mais se tem a responsabilidade 'nome Coppola'... é natural que os olhares críticos sejam muito 'fortes'!

Eu gostei dos seus dois últimos filmes!

Sensibilizada pelo olhar amistoso em 'fragmentos'

Um beijo

P.S. de nada! o teu 'condado' é espantosmante 'criativo'

Fragmentos Culturais said...

Olá Tiago,

... como sempre, uma palavra amiga e carinhosa para 'fragmentos'!

E já lá vai um ano, desde que este espaço se fez e tu foste o seu primeiro 'comentarista'!

Excelente fim-de-semana!
Um beijo

... o atraso em agradecer é quase imperdoável... se não fosse a vida 'atormentada' que tenho levado...

Fragmentos Culturais said...

Sensibilizada, Luis Galego, pelo teu olhar atento em 'fragmentos!

Fragmentos Culturais said...

Sem dúvida que o que deve prevalecer é a nossa independência intelectual, 'alma nova'!
Pelo menos, assim deverá ser sempre!

O 'seguidismo' nunca esteve nos meus parâmetros de vida!

Coppola reaparece neste filme com aquela 'sensibilidade' que lhe conhecemos nos seus primeiros filmes...

Sensibiilizada pelo teu olhar amistoso em 'fragmentos'!

... espero que gostes!

Fragmentos Culturais said...

... eu gostei mesmo, Nilson!

Quando a nossa sensibilidade é 'tocada'...

Sensibilizada pelo teu olhar amistoso em 'fragmentos'!

Excelente fim-de-semana!

Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... 'obscuro' sinónimo de pouco divulgado, e refere-se não ao autor, mas esta obra em particular, 'Klatuu'!

Por vezes, as palavras 'atraiçoam' as nossas intenções...
... mas, neste caso, está contextualizada adequadamente!

Sensibilizada pelo teu olhar em 'fragmentos'!

Tiago said...

Quando me deste a conhecer, este espaço, não li este post por opção pessoal. Visto prever ver este filme durante esta semana. No entanto, a vida remete-nos para outros afazeres, que mesmo sejam parte integrante de nós próprios, não nos permitem desfrutar de pausas indispensáveis ao nosso ser.

Tive a oportunidade, de ver um outro filme "There Will Be blood", do qual nao irei falar.

Gostei do que li, e só me reforçou a vontade de o ver e ai tirar as minhas próprias conclusões.

Espero voltar, para deixar a minha opinião :)

Um beijo, neste FDS de muitos afazeres para mim (o mais engraçado é de ter sido eu a pedi-los, por isso não me posso queixar :)
.....Esperando que te encontres bem!

Uma nota, encontrei um filme que procuravas, penso eu...
"Le Scaphandre et le Papillon"

Fragmentos Culturais said...

Este o meu espaço 'cultural'... simples fragmentos de coisas que me tocam, Tiago!

Faço-o bem ao meu jeito, pequenos apontamentos de prazeres, sentires, e utopias, também!

Não cheguei a ver "There Will Be Blood" [apenas alguns trailers na net e a apresentação no cinema]!
Uma coisa me levaria a vê-lo: o actor Daniel Day-Lewis!

Mas... porque a minha vida também tem sido 'tormentosa', nem tudo conseguimos abranger!
E por vezes, os momentos [poucos] de lazer, necessitamos deles, 'leves', 'soltos'... sem muito 'sangue'...

Bom, talvez ele passe brevemente na televisão e aí, tentarei estar atenta!

Faço votos que teu fim-de-semana 'atormentado' de trabalho [embora 'pedido'] esteja a correr fluidamente... o meu também está 'complicado'!

Sensibilizada pela teu olhar e 'preocupação'!

Um beijo

...'Le Scaphandre et le Papillon'... esse, quanto mais vejo os trailers, mais desejo cresce para o ver...

Oliver Pickwick said...

Pelo visto o Coppola ainda está por aqui.Volto depois, quem sabe não encontro o George Lucas? O alter ego maior de Spielberg.
Um beijo!

Fragmentos Culturais said...

É verdade, Pick!
Não temos a mesma disponibilidade?!

Sensibilizada pelo olhar em 'fragmentos'!

Um beijo

... não, não foi Lucas ;)
Lancei-me em outros fragmentos, os da música!