Sunday, December 4, 2011

George Harrison : living in the material world





George Harrison (1943-2001)
http://cdn.mos.totalfilm.com

Fez esta semana dez anos que George Harrison morreu. O mais tranquilo e espiritual Beatle não resistiu à doença.

Entre a inquietude dos Beatles, Harrison vivia seu quotidiano de uma maneira diferente.  Meditava todos os dias, depois da sua viagem à Índia, era amigo íntimo do músico indiano Ravi Shankar. Ravi Shankar o mestre aclamado da citara oriental, pai de Anouska Shankar! E imaginem! Norah Jones.




O filme documentário de Martin Scorsese intitulado Living in the material world dedicado a George Harrison, já exibido na cadeia de televisão norte-americana HBO, presta-lhe homenagem.

É um documentário sobre o homem sereno e interiorizado, que aprendeu a lidar com a fama, e encontrou na espiritualidade o conforto para a vida terrena. Era um 'Hare Krishna'. E com esta saudação começava os seus concertos a solo.



Paul McCartney & Martin Scorsese

O documentário de quase três horas e meia, conta com testemunhos de Olivia e Dhani Harrison, dos músicos Eric Clapton, Paul McCartney, Ringo Starr, da ex-mulher Pattie Boyd, do director Terry Gilliam, entre outros amigos.

Não deixe de ver o Documentary World Premiere and Film Festival Screenings (2 Outubro 2011) aqui




Atrás de flores vermelhas, George encara a câmara com desconfiança. É dessa forma que Scorsese inicia e termina o filme:  com a imagem do Beatle, que soube conciliar as cedências ao mundo material com a filosofia de uma vida espiritualizada.

O filme mostra a carreira do guitarrista nos Beatles, a sua bem-sucedida incursão a solo, e também a sua passagem pelo cinema. 





George Harrisson

A espiritualidade oriental, elemento chave, tanto nas suas composições - My Sweet Lord é um carismático exemplo - assim como no seu quotidiano, está presente no filme, que tem a voz de Harrisson como narrador. 

O documentário conta também com material inédito do arquivo privado - filmagens e fotos pessoais - cedido pela família de Harrison.



 George Harrison

Não se salientando entre os mais extrovertidos, Paul McCarteney ou John Lennon, George era um músico extremamente criativo - Here comes the sun - quem não lembra!  Ou Give Me Love, Give me Peace on Earth. Como está escrito em subtítulo:

"A beatiful song from a beautiful man"

O filme de Scorsese não se debruça apenas sobre a produção musical de Harrison, embora ela ocupe, é claro, um papel fundamental na sua vida. 

"Todas as relações de George foram estabelecidas a partir da música"

Olivia Harrison

Depois de ter dirigido The Last Waltz, sobre o último show da banda canadense The Band),  No direction home (2005), documentário sobre Bob Dylan e Shine a light (2008), sobre os Rolling Stones, Scorsese foi convidado por Olivia, produtora executiva, para liderar o projecto. 




George Harrison & Pattie Boyd 

"A intuição que Martin Scorsese tem sobre George ficou evidente logo na primeira vez que nos encontrámos para debater o projecto. Ele consegue sentir tudo aquilo que constitui George: sua música, suas crenças, sua arte, seu lugar na história dos Beatles e toda a extraordinária vida que teve depois da banda."(...)

Olivia Harrison

"Scorsese cracks open a treasure chest of archive materials, including unseen home movies, black-and-white photographs, personal letters and diary extracts read by the star’s son Dhani. All of which furnish the story with a remarkable glow of warmth and intimacy."

Ao nome de George Harrison estão ligadas duas grandes causas humanitárias: The Material World Charitable Foundation e The George Harrison Fund for UNICEF: help us save some lives, as duas ligadas ao célebre Concert for Bangladesh.






"There is a shortage of dissenting voices, but Marty’s beautifully assembled tribute makes a persuasive case for Harrison’s enduring significance – not only as Fab Four guitarist but as the writer of sublime songs like While My Guitar Gently Weeps, Something, Here Comes The Sun and My Sweet Lord. Scorsese also gives weight to Harrison’s spiritual explorations: this was a man who, at the height of fame, embraced the Indian philosophy of transcendental meditation. Relish this poignant memorial to an intenseyet- generous individual, for whom the mantra “all things must pass” proved profoundly inspirational."

Suponho que não teremos oportunidade de ver o filme documentário nas nossas salas de cinema ou cadeias de televisão. No entanto, para os seus admiradores, já 
está disponível em DVD|Blu-Ray. Eu sou uma delas.


"We must do something in our lives"

George Harrison

G-S

Fragmentos Culturais

03.11.2011
Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

Referências:

George Harrison: Living in a Material World - Blu-Ray (review)
http://www.totalfilm.com/reviews/blu-ray/george-harrison-living-in-the-material-world-1

10 comments:

Isamar said...

Uma perda que todos nós lamentamos enquanto a memória no-lo permitir.

Bem-hajas, amiga, pela leitura que nos proporcionas.

Beijinhos

pinguim said...

Muito bom, este texto.
Um documentário a ver, pelo músico e pelo realizador...

mfc said...

Uma data que me passaria, não fosse o teu texto.
Era um homem discreto e amável.
É essa a recordação que tenho dele.

Avelaneira Florida said...

Ainda não me foi possível ver...mas vou fazê-lo, certamente!!!!

De todos os Beatles GH era de facto o mais "calminho"!!!! pelo menos era essa a imagem que transparecia.
E de repente lembro dos velhinhos 78 rotações que andavam lá pelo sótão...
e vou procurá-los!!!!!

Boa semana, "Fragmentos"!!!!!

BRANCAMAR said...

Saudades de um grande músico, mas fica-nos sempre a sua obra, genial.

Obrigada pela partilha de tão belo documentário.

Beijos

aflores said...

Sem dúvida uma referência no mundo da música.

É sempre um prazer enorme passar por este cantinho, também ele uma referência na blogosfera ;)

Tudo de bom.

vitor cunha said...

Adorei o texto por me fazer reviver um dos músicos que amei e que se integrou no grupo que revolucionou o mundo da música de massas - The Beatles.
Felizmente que existem pessoas como tu que se preocupam em recordar-nos estes valores.

Beijinho e bom fim de semana.

Lilá(s) said...

Belo documentário! é sempre bom recordar, neste caso passou-me despercebida a data.
Bjs

heretico said...

beijo.

gostei muito saber. sempre gratifcante ler teus textos.

Fragmentos Culturais said...

Queridos amigos,

Não os esqueço, e vou respondendo lentamente.

A par de actividades, esta quadra não me é muito favorável... algumas tormentas...

Até breve!

Para todos muito obrigada pelo carinho atento!