Monday, October 7, 2013

Lugares das Coisas



Pôr-do-sol sobre o Douro
foto: Augusto Peixoto

Ah! Agora sim, sinto! Cheira a Outono! Tons quentes, constrastes num azul, bem azul! Reparem nesta explosão de Outono! Implodiu-me em pleno olhar, ontem, no final de tarde. Outubro doce. Outono quente. Outono deslumbrante!

Pôr-do-sol sobre o Douro em direcção à Foz, deslizando até ao Atlântico. Segundo o autor, a foto foi captada anteontem, dia 4 Outubro.

Poderia ter sido ontem. Perfeitamente. Foi assim que a vi, ao atravessar a Ponte Arrábida, pela mesma hora, a exuberante panorâmica inundava-me o olhar, lá no horizonte! Espelhava-se na alma.

Abrandei. Todos os que circulavam, também. Retidos pela mágica do momento! 

Abri um pouco mais a janela. Queria respirar aquela brisa efervescente em tons de oiro e azul. Melhor, aspirei o verdadeiro perfume a Outono. 

O horizonte celeste, a passagem de um mundo terreno, fátuo, para o mundo das emoções. Sinestesias Raízes que alastram pelo espírito.

"Nem todos os que construíram as catedrais viram o mesmo. Uns ergueram torres e pináculos, à luz do sol e chegaram ao céu; (...) os que chegaram ao cimo receberam o olhar divino..."

Nuno Júdice, Luta de classes



Paris | Passerelle Léopold Senghor
célebre "ponte dos cadeados de amor"
foto: G-S

Voltei a Fragmentos. Sei que a maior parte dos meus amigos e leitores já não passam por aqui. Houve um tempo que senti necessidade de parar. E depois vieram as férias. Praia, sol quente, leituras à beira mar, finais de tarde, passeios, curta viagem.

Mas, não me sinto ainda desligada de Fragmentos Culturais. E há dias que me apetece voltar a casa. Esta casa virtual, que me acollhe, quando pretendo escrever.

Em férias, revisitei uma cidade que adoro - Paris - ah! Paris! Como é bom percorrer aqueles espaços, os quais do Sena, as pontes, museus, ruas, praças, avenidas. 
Relembrei aquele monólogo intimista do filme Midnight in Paris (Woody Allen). Como é assim!

Fiquei em casa de amigos, a escassos minutos de Paris, fugindo-se assim ao bulício da grande cidade.

Início de Setembro. Muitos turistas. Tempo quente, divino, muito convidativo para passear. Muitos aparelhos fotográficos, imensos ipads (que inveja!) sempre a disparar por onde quer que se andasse. 


Musée d'Orsay
Foto: G-S

A célebre Passerelle Léopold Senghor - onde se colocam cadeados de amor eterno - faz a ligação do Jardin des Tuileries aMusée d'Orsay, (um espaço preferido) onde pude rever as Colecções Permanentes. Place de la Concorde. Uma doce romagems à igreja La Madeleine, homenagem a minha mãe.



Cartaz Exposição 
Roy Lichtenstein

Um dia antes visitara o Centre Pompidou (saudade!), para ver a exposição de Roy Lichtenstein (Pop Art), a biblioteca.


E o Palais de Tokyo, numa perspectiva Palaisramafinal de tarde. À saída, uma pausa na esplanada exterior, espaço bem agradável, cheio aquela hora.Muito quente, Paris!

No primeiro dia o Petit Palais (Collections & Rubens et Van Dick). Pintura, escultura, porcelana, objectos de arte. 

Alguns concertos nocturnos em igrejas ou parques. Excelentes passeios. Ao final do dia quando nos metíamos no metropolitano para regressar a casa, estávamos exaustos. Mas, sentia-me leve, quase esquecida do país. 

Foi bom! Revisitar lugares traz sempre à memória fragmentos de vida que guardamos. Apesar de vivermos num mundo em que informação é uma constante, o nosso cérebro, desperta essas lembranças. E cada lugar, som, aroma, despoleta de imediato a nossa narrativa poética.

"o outono, com a sua melancolia, empresta um estranho
perfume de terra ao espírito."

Nuno Júdice, A construção do ser

G-S

Fragmentos Culturais

06.10.2013
Copyright © 2013-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®


13 comments:

Imaginário said...

Não deixe nunca esta casa!! :)
É muito bom visitá-la.
Aqui as águas das chuvas começam a despertar os espíritos.
Grande abraço e ótima semana.
Gilson.

aflores said...

Bom este "regresso" do Fragmentos e, ainda por cima, com a caixinha dos comentários a funcionar.

A semana até vai correr melhor, e com sol!

:) ;)

manuela catarino said...

Pois!!! sei o que é partir ...e depois voltar ( ainda que com outro "Título") ao lugar em que nos revemos...
O pior é mesmo tantas outras mais coisas que não permitem o desmultiplicar do tempo...
Mas mesmo assim...regressemos, pois!
E é tão bom reencontrar esta prosa, esta sensibilidade, esta imensa partilha... que não é fragmentada , mas inteira e única!
Deixa-me ser um bocadinho egoísta, querida " fragmentos"!!!! para poder continuar a vir beber desta fonte e tornar os dias mais vivos!!!!
Vou tentar que o meu "Olhar" também possa reviver...
Tudo de BOM!!! e...toujours Paris!!!
MC

vitor cunha said...

É sempre com prazer que leio Fragmentos Culturais. Partir é um voltar nunca mais e isso é uma decisão que não poderei aceitar nunca.Preciso deste lugar e perdê-lo seria perder um recanto que guardo no coração.
Quanto à França, é um País a que dedico toda a minha admiração e simpatia.Lá, lutaram dois tios meus integrados na resistência, na guerra 39/45, tendo um deles sido condecorado pelo Governo Francês e a quem ouvi contar muitos episódios da guerra. Isto provocou em mim desde criança uma certa adoração pela França e pelos franceses.Vem sempre, conto contigo. Beijos.

João Roque said...

É tão bom este regresso...
E que bom "visitar" Paris na tua companhia.

heretico said...

ainda bem que regressaste - é um privilégio frequentar este espaço de inteligência e bom gosto.

beijo

G- Souto said...

E agora que já pus as respostas-comentários em dia, relativos às postagens anteriores, começo amanhã a responder a todos os amigos que voltaram a 'fragmentos'. Muito obrigada :-)

Boa semana!

G- Souto said...

Gilson

Suas palavras me tocaram! Fico muito contente em saber que gosta de vir até 'fragmentos'.

Pois aqui, a chuve não deixa de cair, talvez tenha razão... 'começam a despertar os espíritos'.

Abraço e bom final de semana!

G- Souto said...

Muito obrigada amigo 'aflores'! Por vezes afasto-me... mas há momentos em que sinto necessidade de voltar a escrever.

Pois, eu gostava bastante mais da apresentação dinâmica, tirava-se mais partido das publicações já mais 'esquecidas', mas acabei por concluir que não era funcional.

A semana anterior foi linda! Esta, não. Foi muito brumosa :-(
Tempos difíceis...

Tudo de bom!

G- Souto said...

Partir e voltar, mesmmo sob outro "Título"... o lugar mentém-nos.
Com mais ou menos lapsos de tempo, sempre bom voltar.

E para mim, é sempre muito bom reencontrar-te aqui, Manuela, amiga de longa data!

Fico-te grata pelas palavras, pelo apoio, pela vontade de sempre estar presente.

Já fui visitar o teu renovado 'Olhar' e gostei. Muito!

Assim, possamos permancecer nesta partilha de saberes.

Tudo de bom!

Beijos,
(e claro...toujours Paris!)

G- Souto said...

Suponho que tens razão, Vítor... 'partir é um voltar nunca mais...' e daí eu hesitar tantas vezes!
É que há momentos que sinto mesmo necessidade de vir até aqui partilhar algo, e conviver com amigos que se mantêm ao longo dos anos.

As tuas palavras de amizade sensibilizaram-me imenso! Muito obrigada.

França, Paris, em especial, é uma referência cultural e afectiva para muitos de nós.
Uma família distinta, a tua! Partilhar histórias de vida faz parte de 'os maiores' (los maiores).

Espero que estejas bem!
Beijos

G- Souto said...

Muito sensibilizada, João! É tão bom ter amigos!

Espero que tenhas gostado deste curto passeio pessoal por Paris...

G- Souto said...

Para ti, não tenho mais palavras... sempre tão perto, tão afectuoso!

Beijo, 'Herético' !