Saturday, April 4, 2020

Liberdade no olhar !








via Black Castle


Nem isso... Escutai-me apenas pacientemente quando vos peço
Que me deis flores...
Sejam essas as flores que me deis...

*Fernando Pessoa/ Álvaro de Campos (?), Dai-me rosas e lírios

Falar de liberdade. Poderia falar de tanta coisa! Da liberdade de expressão, tão em voga nestes nossos modernos tempos.

Mas não! Vou falar da liberdade que se espraia diariamente, diante dos meus olhos, quando ollho pela janela.

Falar deste horizonte que me me leva até ao mar distante, lá longe, quando o céu se mostra límpido, e o sol se reflecte na languidez da maré.

Falar da liberdade que tive até há bem pouco tempo, de andar por aí, nas lindas tarde de Primavera.

Falar da liberdade que os meus olhos têm ao ver o voo das gaivotas que vão e vêm, do mar em direcção à cidade. Gaivotas que poisam frente à minha janela, em posição serena. Meditativa.

Falar da liberdade de espraiar o olhar até lá longe! E viver intensamente o pôr-do-sol, bem rosado, entre nuvens leves e prédios altos.

Lá longe, sem obstáculo algum, busco a energia para viver este confinamento. Respiro fundo. Absorvo o ar que me traz aromas de infância. Sem pressa.

Falo deste horizonte, deste distanciamento do mundo que rola lá fora. Sem piedade. Pesadelo.

Recordo os doces fins de tarde. Aqui, à janela, meu pensamento voa. Sou livre.


Fragmentos Culturais

04.04.2020
Copyright © 2020-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 



* Novas Poesias Inéditas. Fernando Pessoa. (Direcção, recolha e notas de Maria do Rosário Marques Sabino e Adelaide Maria Monteiro Sereno.) Lisboa, Ática, 1973 (4ª ed. 1993).

Wednesday, March 18, 2020

Olga Orozco : Poeta surrealista argentina !







Les belles relations
René Magritte, 1967
Colecção Scheidweiler, Brussels


Olga Orozco, poeta argentina supreendeu-me ontem. No dia em que faria 100 anos. Não conhecia. Mas desde logo, fiquei presa ao este poema :


“Mi historia está en mis manos y en las manos con que otros las tatuaron.
De mi estadía quedan las magias y los ritos,
unas fechas gastadas por el soplo de un despiadado amor,
la humareda distante de la casa donde nunca estuvimos,
y unos gestos dispersos entre los gestos de otros que no me conocieron.”


Olga Orozco, Yo



Rimbaud e Baudelaire foram alguns dos poetas que mais a influenciaram no início da ua carreira. Orozco fez parte do movimento surrealista argentino. 


Aquí están tus recuerdos:
este leve polvillo de violetas
cayendo inútilmente sobre las olvidadas fechas;
tu nombre,
el persistente nombre que abandonó tu mano entre las piedras;
el árbol familiar, su rumor siempre verde contra el vidrio;
mi infancia, tan cercana,
en el mismo jardín donde la hierba canta todavía
y donde tantas veces tu cabeza reposaba de pronto junto a mí,
entre los matorrales de la sombra. (...)



Olga Orozco, Aquí están tus recuerdos (excerto)


Para saber mais sobre esta poeta que me emociou, poderã ler Olga Orozco, la poeta que tradujo la voz del universo


G-S

Fragmentos Culturais

18.03.2020
Copyright © 2020-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 


Sunday, February 9, 2020

Chegou a noite dos Oscars ! O que nos espera ?





Oscars 2020

Chegou a noite dos Oscars! Depois dos Golden Globes, dos Bafta, eis que surgem os Oscars e a sua 92ª Cerimónia, esta noite de domingo, 09 de Fevereiro. Mais uma noite quase em branco. Sim, porque cinema é uma da minhas paixões. E não perderei... até ser vencida pelo sono.





Golden Globes
Brad Pitt, Renée Zellweger & Joaquin Phoenix
créditos: Paul Drinkwater/ NBC


Filmes e actores? Já alguns dos filmes galardoados. E actores e actrizes. Vi dois dos filmes em que estes actores aparecem como intérpretes principais ou secundários. Todos galardoados.





Once upon a time in Hollywood, Quentin Tarantino. O único filme de Tarantino que gostei desde Pulp Fiction (1994). Divertido, uma linda saudosa homenagem a Hollywood dos anos áureos.





Brad Pitt at the 77th Golden Globes
credits: Paul Drinkwater / NBC via Associated Press
via LA Times

Um filme divertido, saudoso para quem tem boas memórias do cinema, com interpretações incríveis de Brad Pitt e Leonardo di  Caprio. Fabulosos no auge da carreira.




Brad Pitt & Leonardo di Caprio
Golden Globes 2020
credits: Getty Images

Brad Pitt tem ganho todos os prémios na categoria de Actor Secundário. E Leonardo di Caprio está na lista dos nomeados para Melhor Actor Principal, também nos Oscars 2020




Joker
Todd Phillips

Joker com Joaquín Phoenix que tem saído vencedor de todos os prémios de Melhor Actor. Estou convencida que vai arrebatar o Oscar também.

Fui ver o filme com alguma relutância, pela violência nele envolvida, quer física quer psicológica. Mas lá acabei por me convencer. Algumas cenas, recusei-me a segui-las. Ja vira o trailer em sala de cinema. Achei que não veria o filme.





Joaquin Phoenix
Joker
Todd Phillips

Não há dúvida que sua interpretação é fabulosa! E as transformações pelas quais passou, admiráveis. Mas também violentas. Pura demonstração de como a sociedade pode destruir um ser humano.

Aprecio Phoenix, como actor e como defensor engagé na defesa dos animais.

Adorei Her, de Spike Jonze (2013, em português Uma História de Amor. E Two Lovers, de James Grey (2008), tradução Duplo Amor.

Embora o ache um homem estranho, talvez venha daí o seu génio. Mas não esqueço seu irmão, morto por overdose River Phoenix, um promissor jovem actor à época.






Renée Zellweger em Judy, de Ruper Goold, na interpretação muito convincente dos últimos anos da imensa Judy Garland, segundo todos os prémios que tem arrebatado, ainda não vi. Passou muito rapidamente en circuito comercial. Foi reposto esta semana. Ainda espero poder ver. Gosto particularmente de Renée Zellweger.

Como não me dei conta, fui ver Bombshell de Jay Roach, com produção e interpretação de CharlizeTheron. Acompanham-na Nicole Kidman e Margot Robbie, três australianas, duas já consagradas, e a uma bastante promissora.





Bombshell
Jay Roach

Charlize Theron está nomeada como Actriz Principal. Mereceria o Oscar. a sua interpretação é indubitavelmente excelente! Caracterização brutal!




Richard Jewell
Clint Eastwood

Poderia citar outros, como Richard Jewell de Clint Eastwood. A não perder! Mas a lista já vai longa. Para finalizar, não vi ainda alguns dos nomeados, mas não vou perder 1917! Considero que vai ser o filme deste ano. 1917 do grande realizador Sam Mendes.





1917
Sam Mendes

Baseado em factos reais, I Grande Guerra, e segundo memórias de seu avô de origem açoriana que foi soldado nesse doloroso acontecimento mundial, 1917 vai ser quase de certeza o vencedor merecido do Oscar para Melhor Filme, pelo menos. 






Quem eu gostaria mesmo que fosse galardoado? Martin Scorsese. Pela dedicação que tem demonstrado ao longo dos anos à arte cinematográfica. Um enorme cineasta.





Christian Bale
Ford vs  Ferrari

Ah! O actor, grande actor, esquecido. Christian Bale em Ford. vs. Ferrari, em português Le Mans 66' : o duelo, de James MangoldNomeado para os Golden Globes, mas esquecido nos Bafta e nos Oscars 2020Imperdoável! Vejam a entrevista de Bale acerca da sua participação no filme. 

Veremos as surpresas que a Cerimónia dos Oscars nos reservam para esta noite!



G-S

Fragmentos Culturais 

17.02.2020
Copyright © 2020-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 


Sunday, December 22, 2019

Natal : Tempo transfigurado !






créditos: Getty Images
via The Points Guy


"Natal. E, só pelo facto de o ser, o mundo parece outro. Auroreal e mágico. O homem necessita cada vez mais destas datas sagradas. Para reencontrar a santidade da vida, deixar vir à tona impulsos religiosos profundos, comer e beber ritualmente, dar e receber presentes, sentir que tem família e amigos, e se ver transfigurado nas ruas por onde habitualmente caminha rasteiro. São dias em que estamos em graça, contentes de corpo e lavados de alma, ricos de todos os dons que podem advir de uma comunhão íntima e simultânea com as forças benéficas da terra e do céu. Dons capazes de fazer nascer num estábulo, miraculosamente, sem pai carnal, um Deus de amor e perdão, contra os mais pertinentes argumentos da razão."



Miguel Torga,  in 'Diário (1985)


Felizes Festas! 

G-S

22.12.2019

Copyright © 2019-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®


Sunday, December 15, 2019

Anna Karina : O icon da Nouvelle Vague






Anna Karina [1940-2019]
créditos: Getty

« Tu me parles avec des mots, moi je te regarde avec des sentiments »

Pierrot le Fou, Jean-Luc Godard


A actriz Anna Karina, eterna musa de Jean-Luc Godard, símbolo da Nouvelle Vaguemorreu ontem, dia 14 Dezembro, em Paris.

De uma beleza ímpar, Anna Karina, de origem dinamarquesa, viu a sua carreira ascender rapidamente nos anos 60. 

Hanne Karin Bayer, seu verdadeiro nome, começou a sua carreira, embora menor, como manequim na casa de alta costura, Coco Chanel. Foi aí que lhe deram o nome de  Anna Karina


Tinha apenas 18 anos quando chegou a Paris, vinda da Dinamarca de auto-stop, cheia de sonhos para ser a
ctriz. Uma franja acastanhada e uns imensos olhos azuis. Lindos!






Anna Karina & Jean-Luc Godard, 1963
credits: Jack Garofalo/ Getty Images

Alguns anos mais tarde, não muitos, Anna Karina realizava o sonho. Tornou-se um dos ícones mais célebres da Nouvelle Vague

Nos anos 60, fez sete filmes con o realizador Jean-Luc Godard, com que esteve casada (1961). Pierrot le Fou, um dos filmes marcantes. A sua frase « Qu’est-ce que j’peux faire, j’sais pas quoi faire ») ficou eternizada. 

Outros filmes como Bande à part com esta cena marcante:







Karina era ainda casada com Godard, quando ganhou o prémio de Melhor Actriz no Festival de Cinema de Berlim, pela sua interpretação em Une femme est une femme, em 1961. Tinha apenas 21 anos.

"I was the youngest actress to win the Best Actress award at the Berlin festival. Everybody was talking about me, and my mother was very proud."

Anna Karina





Une Femme est une Femme
Jean-Luc Godard, 1961

Participou como musa inspiradora em mais de sessenta filmes, entre os quais, Une femme est une femme e Pierrot le fou com Jean-Paul Belmondo.

Trabalhou também com Agnès Varda, Chris Marker, Roger Vadim, Luchino Visconti ou Jacques Rivette.

"Anna est partie hier dans un hôpital parisien (...) C'était une artiste libre, unique"

Laurent Balandras, seu agente







Anna Karina
via Cinemateca

Actriz aclamada, foi a musa inspiradora de muitos dos filmes de Jean-Luc Godard. Mas sobretudo o símbolo da Nouvelle Vague.

Anna Karina fez também carreira como cantora. Podemos ouvi-la em várias bandas sonoras originais como Une femme est une femme (1961), Bande à part (1964) e La Religieuse de Jacques Rivette (1966).







Serge Gainsbourg compôs a banda original do télé-filme Anna no qual Anna contracena com Serge Gainsbourg e Jean-Claude Brialy (1967). Aí interpreta o êxito "Sous le soleil exactement". 








A morte desta grande senhora do cinema despoletou, de imediato, homenagens
vindas de todo o mundo, nos jornais, e redes sociais. A mágoa, tristeza, dos conhecedores de cinema, e de personalidades de várias vertentes do mundo das artes e cultura






Anna Karina

Franck Riester, ministro da Cultura França, manifestou na sua conta do Twitter a sua imensa tristeza e prestou homenagem a Anna Karina:

"Son regard était le regard de la Nouvelle Vague. Il le restera à jamais. Chez Godard surtout, mais aussi Rivette ou Visconti, Anna Karina irradiait ; elle magnétisait le monde entier.

Aujourd'hui, le cinéma français est orphelin. Il perd l'une de ses légendes."






Anna Karina
Pierrot le fou

Sem dúvida! Anna Karina para além da sua beleza, representa, é o símbolo do movimento do cinema francês que ficou conhecido como Nouvelle Vague.

“After all, things are what they are. A message is a message, plates are plates, men are men, and life is life.”

Anna Karina

G-S

Fragmentos Culturais

15.12.2019
Copyright © 2019-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®