Sunday, March 18, 2018

Hot Club de Portugal : 70 anos ! Vamos ouvir jazz ?





Hot Club de Portugal
créditos: Joaquim Mendes

O Hot Clube de Portugal, Lisboa, celebra hoje 70 anos.  O mais antigo clube de jazz europeu em actividade foi fundado oficialmente em 19 de Março 1948, quando Luiz Villas-Boas, melómano e fundador do clube, preencheu a ficha de sócio número um.


A revista DownBeat, conceituada revista americana de Jazz, considera o Hot Club um dos melhores 100 clubes de jazz do mundo.
Uma reprodução da ficha, afixada na parede junto à bilheteira, dá as boas -vindas a quem entra no pequeno espaço.


Hot Club de Portugal
créditos: Autor não identificado

A importância do Hot Club já foi reconhecida e oficialmente galardoada com vários prémios, nomeadamente a declaração de Instituição de Utilidade Pública, Prémio Almada Negreiros (2001), Medalha de Mérito Cultural (2004), Ministério da Cultura. E em 2005 a Medalha de Honra da Cidade atribuída pela CML. O Hot Club é membro fundador da International Association of Schools of Jazz.


Septeto do Hot Club Portugal
créditos: ©Mário Ferreira
https://www.facebook.com/hotclubedeportugal/
O evento terá um concerto do seu septeto, Será um início de uma semana que contará com o saxofonista norte-americano Joe Lovano
"It was in March 1948 that Luis Villas-Boas became member number 1 of the Hot Club of Portugal, the first jazz club created in Portugal. He had been the first broadcaster to spread the taste for jazz music in Portugal at the microphones of the radio, at the end of 1945, in a program called “Hot Club”.


Hot Club Portugal
Joe Lovano/ Trio Fascination
http://www.hcp.pt/
A semana mais intensa de Programação dos 70 anos do clube de jazz terá lugar a partir de amanhã, segunda-feira,até ao próximo domingo, com a presença do saxofonista Joe Lovano



Joe Lovano
2018 Europe Tour

Um concerto em trio, uma masterclass na Escola de Jazz do Hot e um concerto com a orquestra do clube, no Teatro Municipal São Luiz.



Em 70 anos de história, o Hot Club de Portugal terá vivido o momento mais difícil em 2009, quando a cave onde funcionava há décadas, ficou destruída num incêndio, ficando apenas a fachada do prédio.
Dois anos depois, em 2011, o Hot Club de Portugal retomou a actividade duas portas ao lado da cave antiga, num espaço mais moderno, mas, ainda assim, pequeno. E com a ficha de sócio de Luiz Villas-Boas a relembrar quando tudo começou, em 1948.


Hot Club Portugal
créditos: Elsa Canavarro, Aguarela
A presidente do Hot Club, Inês Homem Cunha, disse que os 70 anos da instituição vão ser comemorados ao longo de todo o ano de 2018.
Entre os destaques da programação apontados estão a realização do Kids Can, um projecto europeu itinerante para crianças e jovens, apoiado pelo programa Europa Criativa, do qual o HCP faz parte, juntamente com as organizações JazzDanmark (Dinamarca) e JazzKaar (Estónia).



Hot Club de Portugal
créditos: Autor não identificado

“É uma grande vitória na vertente da escola para crianças e adolescentes. Espero que tenha uma adesão muito grande de pessoas que queiram saber como é que ensinamos jazz a crianças”, 
Inês Homem Cunha, directora HCP



Hot Club de Portugal
créditos:  Facebook / Hot Club Portugal

Fui algumas vezes ao Hot Club em Lisboa. Um espaço mítico que me atraiu pelo facto de ser apreciadora de música de jazz.
Lembro dos programas de jazz de Luís Villas Boas na rádio e também na televisão. Mas lembro sobretudo, José Duarte, na rádio. 5 Minutos de Jazz, assim se chamava. Talvez venha daí o meu apreço por este género de música.




José Duarte
Cinco Minutos de Jazz/ 45 anos
Talvez até anterior? Lá por casa, ouvia-se jazz em discos vinil. E sempre me lembro de os ouvirmos em família.
Nada como passar por lá ao longo deste ano de celebrações. 
G-S 
Fragmentos Culturais
18.03.2018
Copyright © 2018Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®6.2018

Saturday, March 3, 2018

The Oscars Retro : Memórias do cinema ?




The Oscars
créditos: Getty Images

E a cerimónia de entrega de The Oscars 2018 terá lugar amanhã, dia 4 Março.  No entanto, encontrei hoje uma preciosidade que não resisto a partilhar. 

Muito antes de Ellen DeGeneris e das selfies, existiram actores como Audrey Hepburn, Ingrid BergmanSofia Loren, e realizadores como François Truffaut que fizeram das cerimónias de entrega de The Oscars um encantamento para os autênticos cinéfilos.



Abertura da 46ª edição dos Oscars
Liza Minnelli
créditos: Getty




Audrey Hepburn
Melhor Actriz
créditos: Getty




Grace Kelly & Edmond O'Brien
créditos: Getty




Clint Eastwood & Claudia Cardinale, 1970
créditos: Getty




François Truffaut
La Nuit Americaine
Melhor filme língua estrangeira, 1976
créditos: Getty




Voando Sobre um Ninho de Cucos
Actores & realizador
5 Oscars, 1973
créditos: Getty




Ingrid Bergman
47ª edição Oscars
créditos: Getty

A RTP2 transmitiu no dia 1 Março último, um documentário sobre Ingrid Bergman: Ingrid Bergman - Por Si Própria - que mostrou a actriz na voz de Alicia Vikander, dos filhos, mas também na primeira pessoa. Filme integral (114 minutos), tal como foi estreado no Festival de Cannes, 2015Aconselho a rever em RTP Play.




Sydney Poitiers
1º Actor afro-americano a ser galardoado
Melhor Actor, 1964
créditos: Getty




Liza Minnelli
Melhor Actriz, 1975
créditos: Getty




Mike Todd & Elizabeth Taylor
Oscar de Melhor Filme
créditos: Getty




Jeanne Moreau & Steve McQueen
créditos: Getty





Clã Coppola
O Padrinho 2/ 3 Oscars, 1975
créditos: Getty




Faye Dunaway
46: edição Oscars
créditos: Getty

Faye Dunaway que esteve na polémica com Warren Beatty durante a cerimónia Oscars 2017, a propósito de 'envelopes' trocados (?) para Melhor Filme.

Pois bem! Dizem que será o par mítico de Bonnie & Clyde a fazer de novo a entrega do mesmo Oscar nesta 90ª edição de The Oscars 2018.

Bom! Mas há mais fotografia retro para admirar numa galeria de 36 fotografias Les plus belles photos rétro des Oscars.




The Oscars 2018
credits: The Oscars 

Voltando a The Oscars 2018, já fui ver alguns dos filmes que mais me atraíram. Pelos conceitos que me regem. Bons realizadores, excelentes actores, boas histórias, factos verídicos bem contados. E música. Sem dúvida.

Dos filmes com nomeações, o último que vi? Todo o Dinheiro do Mundo, All The Money in the Worldrealizado por Ridley Scott

O que tentarei ver hoje? Chama-me pelo Meu Nome, Call Me By Your Name de Luca Guadagnino. 

O que não pretendo ver? A Sombra da Água, The Shape of the Water de Guillermo del Toro

Apesar de premiado realizador, não aprecio o seu género de filmes. E, no caso presente, considero uma história muito semelhante a A Senhora da Água, The Lady of the Water de M. Night Shyamalan (2006).

Amanhã, veremos que surpresas nos esperam. Um ano difícil para Hollywood.

G-S

03.03.2018
Copyright © 2018-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®