Thursday, October 7, 2010

Prémio Nobel Literatura 2010




Mario Vargas-Llosa
Sara Krulwich |The New York Times

O peruano Mario Vargas Llosa é o nomeado para o Nobel da Literatura 2010.


O porta-voz da Academia Sueca destacou a obra de Vargas Llosa "pela sua cartografia das estruturas do poder e as suas afiladas imagens da resistência, rebelião e derrota do indivíduo".


Vargas Llosa é um dos mais conceituados escritores de língua espanhola  e foi várias vezes mencionado, assim como o seu contemporâneo Gabríel Garcia Márquez que ganhou o Nobel da Literatura em 1982.


Depois de nomes bem menos conhecidos do grande público, como a alemã Herta Müller (2009), o francês Jean-Marie Gustave Le Clézio (2008), a inglesa Doris Lessing (2007), o turco Orhan Pamuk (2006) e o britânico Harold Pinter (2005), este ano, a Academia optou por um nome mais conhecido do grande público.


"Vargas Llosa não era um dos principais suspeitos - entre os nomes mais falados para o prémio encontravam-se por exemplo Cormac McCarthy, Tomas Tranströmer e Alice Munro. Uma vitória de Transtörmer entregaria o prémio a um poeta pela primeira vez desde 1996, ano em que venceu a polaca Wislawa Szymborska. O último autor de língua espanhola a receber o Nobel tinha sido o mexicano Octavio Paz, em 1990."

Sapo/Lusa




Vargas-Llosa, nascido no Peru em 1936, tem nacionalidade espanhola desde 1993. Além de romancista, é jornalista e crítico de arte. O seu trabalho mereceu já os prémios Principe de Asturias (1986), Planeta (1993), Cervantes (1994), entre outros. Lecciona actualmente na Universidade de Princeton.

Vargas Llosa é autor de obras como "A tia Júlia e o Escrevedor", "Conversa n'A Catedral", "A Guerra do Fim do Mundo", "Elogio da Madrasta", o livro de memórias "Como peixe na água". 


Deste autor lembro ter lido "Carta a um Jovem Romancista" e "Tia Júlia e o Escrevedor".


Para Novembro de 2010 a Quetzal vai publicar o seu novo romance "El Sueño del Celta" - O Sonho do Celta, baseado na vida do irlandês Roger Casement, cônsul britânico no Congo Belga do início do século XX, um profundo defensor dos direitos humanos.


O livro será editado em Espanha e nos países latinos de língua castelhana no dia 3 de Novembro próximo, mas em Portugal, a data da edição é ainda desconhecida.


Suponho que com esta nomeação a sua editora apressará a edição em língua portuguesa.


"Mario Vargas Llosa recebe o 103.º Prémio Nobel da Literatura, atribuído pela primeira vez em 1901. É o 11.º autor de língua espanhola a receber a distinção, depois de laureados como Camilo Jose Cela (1989), Gabriel Garcia Marquez (1982), Pablo Neruda (1971) ou Gabriela Mistral (1945). O autor de língua espanhola que mais recentemente venceu o Nobel literário foi o mexicano Octavio Paz, em 1990."


Publico/Cultura


O New York Times | Books também lhe dedica um artigo muito interessante que poderá ser lido aqui Eu destacaria esta expressão de Llosa:


The Inquisition forbade the novel for 300 years in Latin America. I think they understood very well the seditious consequence that fiction can have on the human spirit.


Mario Vargas-Llosa, NYT

G-S

Fragmentos Literários

07.10.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons


*Nota: Não entendi muito bem o emprego do vocábulo 'suspeito' utilizado pelo jornalista da Lusa!? Questão de vocabulário descontextualizado?


Referências:


Sapo/Livros
http://livros.sapo.pt

Publico/Cultura
http://www.publico.pt

New York Times/Books
http://www.nytimes.com


6 comments:

Gonçalo said...

Amiga, achas que poderemos voltar a ter em breve um Prémio Nobel da Literatura Português?

:)

Beijinhos***

aflores said...

Nunca li nada deste autor, mas já tinha ouvido falar muito dele.
Se o merece (O Nobel), quem sou eu para criticar.

Parabéns ao laureado!

Fragmentos Culturais said...

... não sei Gonçalo! Mas que temos um autor que bem poderia ser Nobel, temos.
Falo de António Lobo Antunes, a quem tive o privilégio de conhecer este ano, no lançamento do seu livro "Que Cavalos são aqueles que fazem sombra no mar?' (um título muito poético, um livro a ler). Lobo Antunes está agora mais 'macio' e já deixa transbordar um pouco a sua sensibilidade...

Uma personalidade muito interessante, afectiva até, e com um sentido de humor arguto! Adorei conversar uns curtos minutos com o autor!

Beijos**

Fragmentos Culturais said...

... não li muita coisa de Vargas-Llosa (2-3 livros), mas tem uma escrita excelente!
E tal ocomo foi dito, faz a cartografia do poder de uma modo que não dá margem para dúvidas!

Suponho que este Nobel já andava a ser demasiado adiado...

Não é autor dos meus afectos, mas em nada lhe retiro o enorme mérito!

Sim, 'aflores'! Está mesmo de parabéns!!

Bom domingo (descanso)

Gonçalo said...

Lobo Antunes é mesmo sinónimo de família de qualidade e sucesso. Cad um como seu talento. Um dia talvez recorde este comentário e confirme as tuas expectativas :)

Beijinhos***

Fragmentos Culturais said...

... pois tens razão, Gonçalo ;)
'a família Lobo Antunes' tem-se demarcado pela qualidade do pensamento e da ciência (no campo da neurologia)!
Depois de João Lobo Antunes, também Nuno Lobo Antunes, neuropediatra, se aventurou pela escrita...

Não sei se António Lobo Antunes terá ainda a a alegria de ser um Prémio Nobel! Mas que era merecido, era!!

Beijinho**
(hoje vou ouvir LLoyd Cole ;)