Friday, April 29, 2011

Pina Bausch por Wim Wenders




Pina | Wim Wnders

"No, there was no hurricane that swept across the stage,
there were just … people performing
who moved differently then I knew
and who moved me as I had never been moved before." (...)

Wim Wenders, Pina




E no Dia Mundial da Dança, nada mais belo do que a homenagem do cineasta Wim Wenders a Pina Bausch



Wim Wnders | Pina

A data foi instituída pelo Comité Internacional de Dança da UNESCO. A sua comemoração tem a ver com o dia de nascimento de Jean-Georges Noverre (1727) um dos grandes nomes da dança.  



Pina | Wim Wenders
Todos os anos, a UNESCO pede a uma personalidade do mundo da dança para escrever uma mensagem que circulará por todo o mundo. Coube, este ano, ao Prof. Alkis Raftis.

Nesta mensagem Raftis exorta para que o "Dia Internacional da Dança 2011" seja celebrado em espaços abertos, ruas, parques, e outros lugares ao ar livre.




Sagração da Primavera/picture-alliance|DPA

Coreografia: Pina Bausch
Pina Bausch é para mim a bailarina que deu nova dimensão à dança contemporânea.  As suas interpretações são inesquecíveis. Portugal teve o privilégio de a receber, por várias vezes.


Isadora Duncan, 1900


Martha Graham, 1927

Mas, não é possível esquecer duas outras grandes bailarinas, inovadoras também, no seu tempo e que abriram caminhos para a dança moderna: Isadora Duncan e Martha Graham.



Pina | Wim Wenders

Se pretender saber mais sobre o trabalho de Pina Bausch, leia Pina Bausch (1940-2009: um tributo, minha homenagem no ano da sua morte (2009):

Pina Bausch defendeu acima de tudo que a "dança deve dar atenção aos sentimentos, desejos e dores" de modo a tocar o público e "não ser apenas algo de belo e de bom."

Aguardo a estreia de Pina, de Wim Wenders, nas salas de cinema do nosso país.

G-S

Fragmentos Culturais

29.04.2011
Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

8 comments:

pinguim said...

Acho perfeita a escolha de Pina Bausch para ilustrar o Dia Mundial da Dança.

mfc said...

A sedução completa desta arte...!

Nilson Barcelli said...

A dança ao arlivre é capaz de ser uma boa ideia.
Querida amiga, tem um óptimo fim de semana.
Beijos.

vitor cunha said...

A mostra, em tela, está extraordinária; no entanto, não substitui a arte dos bailarinos, ao vivo. É preciso ouvir a respiração dos bailarinos para se sentir o que lhes vai na alma.


Bom Domingo

Um Beijo

Fragmentos Culturais said...

Obrigada, João! É a bailarina contemporânea que mais admiro! Arrojada, inovadora, marco definitivo no virar do século XX para o século XXI!

Fragmentos Culturais said...

Completamente, 'mfc'! A 'sedução completa' da dança contemporânea!

Fragmentos Culturais said...

Acho-a uma excelente ideia!

As pessoas, na antiguidade, exprimiam-se nas danças ao ar livre! Por que não retomar a tradição?

Um beijo,
(e uma excelente semana!)

Fragmentos Culturais said...

Claro que não, Vítor!

Qualquer arte cénica (dança, neste caso) tem que ser 'respirada'...!

Daí a 'febre' imensa que tenho por concertos ao vivo!
É o pulsar da existência!

Boa semana!
Um beijo,