Monday, January 24, 2011

Clint Eastwood : Além da vida, um filme para reflectir





Além da Vida/ HereAfter
Clint Eastwood, 2010

"Poweful, Provocative and Profond"

Scott Mantz, Access Hollywood

Além da Vida era o filme que aguardava com ansiedade! Todas as premissas: realizador, tema,  actor. 

Clint Eastwood, 80 anos de idade, não pára de me surpreender! Além da Vida, tradução de Hereafter é um daqueles filmes que apresentam histórias cruzadas - lembram Magnolia (1999), Trois Couleurs (1993-1994) - histórias e pessoas que aparentemente não têm ligação e que, em determinado momento se vão cruzar. 




Clint Eastwood e 'Marcus', em tempo e lugar de filmagens
Hereafter, 2013
créditos: Warner Bros
http://www.imdb.com/

Aqui o que vai ligar três pessoas é a estreita relação que têm com a morte em diferentes situações. George, Marie, Marcus, as personagens que Clint Eastwood (a convite de Spielbergfilma de maneira sequencial, em marcha lenta, e que se vão cruzar de maneira verosímil. 

Os três crêem na existência de uma vida para além desta, um lugar de paz, com o qual é possível, em circunstâncias muito particulares, comunicar. O argumento vai mais longe! Denuncia os charlatães.



Além da Vida/ HereAfter
Clint Eastwood, 2010

Cada personagem é construída para chegar perto da realidade para além da filosofia cartesiana - vida para além da vida. 

George o herói que adormece, ouvindo excertos de Charles Dickens  e que tem o dom de fazer a ligação entre os mortos e seus familiares, sentindo-se amaldiçoado por isso. 



Marcus
Além da Vida/ HereAfter
Clint Eastwood, 2010
Matt Damon, um registo discreto e extra sensorial que não lhe conhecíamos muito, e que nos convence sinceramente. Muito aplaudido a nível internacional.




Matt Damon | George
Hereafter, 2010
http://www.imdb.com/

Eastwood consegue dialogar com uma sensibilidade muito presente sobre questões cada vez mais complexas. 

Relembrarmos alguns dos seus últimos filmes, Million Dollar Baby (eutanásia), Gran Torino (sacrifício final) Invictus, 2009 (tolerância).




Além da Vida/ HereAfter
Clint Eastwood, 2010

Em Hereafter, a morte é mais do que um elo de ligação. É quase uma personagem omnipresente no ecrã. Vêmo-la, perante os nossos olhos, perseguir com tranquilidade e mestria George, Marie e Marcus, insistindo em cruzar as suas vidas.



Matt Damon & Cécile de France / George & Marie
Hereafter, 2010
http://www.imdb.com/

Além da Vida, não esquecer a presença de Steve Spielberg e Kathleen Kennedy (produtores), combina emoções e efeitos especiais do cinema americano com o intimismo de um 'filme de arte' do cinema europeu.






Hereafter, 2010
Clint Eastwood com equipa de filmagem

Após 50 anos de cinema, Eastwood continua a mexer connosco. As sequências da catástrofe em tempo real: O tsunami na Tailândia, 2004 (Marie, uma experiência de quase-morte), uma das melhores sequências do cinema catástrofe dos últimos tempos, e o atentado bombista no metropolitano londrino, 2005 (Marcus, o gémeo tímido que não consegue lidar com a morte de seu irmão gémeo) são de grande intensidade.





Cécile de France/ Marie
Hereafter, 2010
http://www.imdb.com/





Marcus & irmão gémeo
Frankie and George McLaren
Hereafter, 2010
http://www.imdb.com/

Os primeiros cinco minutos de impressionante realismo, deixam-nos afundados nos nossos lugares.

Trabalhar com o tema da vida após a morte é sempre algo complexo. Mas o que é certo é que uma sala bem lotada, manteve-se silenciosa, colada ao ecrã. Não houve  pipocas! 




Clint Eastwood/ Hereafter, 2010 / Premiere
créditos: Getty Images

Mais um filme de Eastwood a provocar as consciências individuais.

A actuação dos actores, a excelência dos efeitos especiais, o argumento de Peter Morgan e a delicadeza com que Eastwood trata o tema, mesmo que alguns não creiam, deixa os espectadores de facto em atitude introspectiva durante todo o decorrer do filme. E mesmo, no final, fica-se por momentos na sala.




Clint Eastwood & actores/ NYFF 2010
Hereafter, 2010
créditos: Jemal Countess/Getty Images North America)

Duas ou três notas! Eastwood tem o bom senso de nos deixar tirar as nossas próprias conclusões! Isso notou-se no final do filme. As pessoas permaneceram alguns minutos, dialogando entre si ou apenas reflectindo.

A dualidade linguística (inglês e francês). Aspecto que mexe com a intensidade dos diálogos. Não falo por mim que me oriento bem com a francofonia, mas pela a plateia em geral.


Merchandising! Google, Virgin, Blackberry, Youtube e várias cadeias de hotéis, demasiada visibilidade.





Toronto International Film Festival, 2010
Hereafter, 2010
créditos: Getty Images

A estreia mundial de Para além da Vida/ Hereafter teve lugar no último Toronto Internacional Film Festival, Setembro 2010. E foi um dos filmes mais aguardados.
Sabemos que Eastwood ou Spielberg não fazem parte dos favoritos da Academia, pela sua indepedência e identidade próprias. Talvez, por isso mesmo, sejam dois mais importantes valores do cinema do século XX. Marcam a diferença assinando obras de profundo cariz.



Conferência de Imprensa
Hereafter
New York Film Festival/ NYFF 2010
Para Além da Vida divide os criticos, o que não é de admirar! Uma visão que não é de facilmente apreendida.
Ah! Claro! Imprescindível falar da banda sonora, selecção de Clint Eastwood, como quase sempre. Linda! Como sempre nos tem habituado. Tema de ligação, um excerto do concerto para piano e orquestra de Rachmaninov, nº2 , 2º andamento.



'One of the reasons that “Hereafter” works as well as it does — it has the power to haunt the skeptical, to mystify the credulous and to fascinate everyone in between — may be that its subject matter is so clearly alien to the sensibilities of its makers.'

A. O. Scott, New York Times
Aconselho vivamente! 

G-S

Fragmentos Culturais

23.01.2011
Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

21 comments:

Cata- Vento said...

Um convite irresistível. Porque gosto de ambos os realizadores, porque a descrição é apelativa, porque a 7ªarte sempre foi uma paixão.

Bem-hajas, pela excelência do post.

Beijinhos

pinguim said...

Eastwood é como o vinho do Porto...
Embora o tema, aliciante, me seja algo incómodo, não vou deixar de ver.

Avelaneira Florida said...

Viva, Fragmentos!!!

Numa roda viva por aqui!!!! papeis,papeis e mais papeis...e tudo o mais!!!!
Já nem 24h chegam para tudo!!!!
Mas...passemos a coisas mais importantes:
Este filme já foi motivo de conversa cá por casa!!! Ainda não o vimos...
Mas olhando para todas estas dicas aqui partilhadas...acho que vou rever a minha posição!!!!
Entretanto relembro o magistral "GRAN TORINO"...
Tudo de bom!!!

Daniel Silva (Lobinho) said...

É o filme que neste momento mais me cativa. :)

beijo amigo

vitor cunha said...

A tua apreciação do filme, o tema abordado e os intervenientes, de quem gosto apaixonadamente, levar-me-ão a ver o filme, logo que me seja possível.

Um Beijo

aflores said...

A minha próxima ida ao cinema. Sem dúvida!

Tudo de bom.

Nilson Barcelli said...

Não vi o filme, mas como aconselhas vivamente... vou tratar disso mesmo.
Querida amiga, bom resto de semana.
Um beijo.

Lilá(s) said...

Excelente post! pela tua apreciação e porque gosto do realizador, vou ver.
Bjs

heretico said...

(per)sigo-te. no teu bom gosto.
vivamente...

beijos

aflores said...

E lá fui eu e ADOREI!
O nome de Clint Eastwood é por si só, motivo para eu sair de casa (mesmo com uma temperatura de 3º) e ir ao cinema. Depois M Damon há muito que me anda a surpreender...por isso, tenho (julgo eu) todos os filmes dele.
Há muito que não via uma plateia tão "agarrada"...fantástico!
O tema do filme...esse dá para ficar aqui um dia inteiro a falar. Mas, conforme já prometi a alguém, um dia darei a minha opinião quanto à MORTE e VIDA depois da morte. Afinal, até tenho alguma experiência...mas, não se admirem de "sairem" zangados comigo.
Vão ao cinema!

Fragmentos Culturais said...

... dada a tua sensibilidade, pressinto que vais gostar, 'Cata-Vento'!

Eu sou fã incondicional de Clint Eastwood, desde sempre!
Matt Damon impressionou-me em "O Bom Rebelde", um filme sobre jovens sobredotados que abandonam a escola. Desde aí, segui sempre suas interpretações. E esta é fabulosa!

É sempre com carinho que te leio em 'fragmentos'!

Bom fim-de-semana,
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... concordo plenamente, pinguim' :)
Eastwood vai refinando seu talento e sensibilidade, à medida que o tempo passa!

O tema não é 'fácil' para algumas pessoas (sinto-te nesse grupo), mas vale a pena olhá-lo com tranquilidade...
Não sei se já foste ver!?

Fragmentos Culturais said...

Viva 'Avelaneira',

Já vinha sentindo tua falta por aqui...

Pois, eu imagino-te entre papeis e outras coisas afins :)

Será que já foste ver 'Além da Vida'? Gostava de saber como reagiste... mas entendo que vais olhar o filme com tranquilidade!

Sem dúvida! 'Grand Torino' que também referi no post, é outro excelente filme de Eastwood, já no tema que vem tratando sequencialmente...

Relaxante fim de semana! Tudo de bom, para ti também!

Fragmentos Culturais said...

... quando acabei de escrever este post, pensei dedicar-to, Daniel...
Mas temi 'sensibilizar-te'.

Agora que já exprimiste o que sentes em relação ao tema, fica aqui a 'dedicatória' fraterna.
Já o foste ver?...

Excelente fim de semana!
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... pois é Vítor! O filme tem todos os elementos que nos 'obrigam' a não o perder, não é mesmo?!

Espero a tua reacção...

Fim de semana luminoso se anuncia :)
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... se não te sentes 'desconfortável' em relação ao tema, aconselho vivamente, Nilson!

Excelente fim de semana!
:)
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... sinto que vais gostar 'Lilá(s)! E sair do filme com uma sensação de bem estar!

Eastwood, é sem dúvida um realizador de rara sensibilidade, que se acentua cada vez mais...

Aromático fim-de-semana :)
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... que bom 'Herético'!
:)

Um beijo afectuoso

Fragmentos Culturais said...

... eu sabia, 'aflores', eu sabia :)

E é tão bom ir ao cinema nos dias frios! É um refúgio muito aprazível, para o corpo e para a mente!

Verdade! Damon começou a surpreender-me deste o 'O Bom Rebelde', como já referi mais acima!

O tema dá mesmo para muitas horas de conversa... e eu sei que tens uma visão bem próxima...

É isso! Quem vai ver 'Além da Vida' fica em serena introversão, não há distracções nem conversas...

Adorei que viesses até aqui conversar comigo, depois de ver o filme!

Tudo de bom! E muita saúde :)

Daniel Silva (Lobinho) said...

Teria ficado sensibilizado mas pela dedicatória que agradeço agora que foi renovada. O tema em si poderia melindrar, sim, mas penso que o amor é mais forte do que a morte e apesar de algum retraimento quando fui ver o filme, gostei muito.

O filme, curiosamente, não fala da vida depois dela, mas apenas da morte; e aquele rapaz pelas ruas à procura de alguém mesmo tendo ja passado por charlatães na busca de respostas, tocou-me.

De facto, Clint Estawood aparece aqui com a faceta de que nao se detém aqui ou ali e soube fazer um filme excelente, sem recorrer a nada que nao a realidade que temos.

Bem haja, Fragmentos, pela asensibilidade, dedicatória e por me sasber um tema tao profundamente caro...

Fragmentos Culturais said...

... eu sei que sim! Mas também temi melindrar-te pela proximidade...
Mas foi assim! Quando acabei de redigir este texto, pensei em ti! A minha intenção manteve-se...

Como concordo contigo querido amigo! Não há 'morte' física que apague o amor...
Quanto ao filme, eu pressenti que terias toda a sensibilidade para captar a(s) mensagem(ns)!

Sim, o filme não fala explicitamente da vida para além da morte! Mas ela está lá... nos ínfimos pormenores.

Clint quis dar nas imagens (grosso modo) uma visão mais ou menos distante, para chegar a todos! Mas os mais sensíveis vão mais longe...

Eu compreendo que o 'rapazinho' na sua busca incessante para 'contactar' o irmão te tocou... eu acompanhei-te de perto. Lendo-te... pressenti todos os estados d'alma que foste percorrendo...

É-te dedicado com muita amizade, Daniel! Uma amizade profunda de quem percorreu tais momentos :(

Um beijo
(ainda não percebi por que razão, por vezes, deixas de me tratar por tu?!)