Sunday, May 7, 2017

Palavras para minha mãe






Maternidade, 1935
José de Almada Negreiros
Obra em exposição
https://gulbenkian.pt/museu/


Palavras para minha mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses 
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz. 
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente. 

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste 
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te 
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente. 

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo, 
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia 
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz. 

lê isto: mãe, amo-te. 

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não 
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que 
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não 
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.


José Luís Peixoto,

in A Casa, a Escuridão, Temas e Debates, 2002


G-Souto

Fragmentos Culturais

07.05.2017

Copyright © 2017-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®1.2017 


No comments: