Friday, February 6, 2015

Voltando ao cinema : Boyhood, fascinante !


Boyhood_film.jpg

Boyhood, 2014

"A Once-in-a Life Time Movie"

Mike Ryan, The Huffington Post

De vez em quando, gosto de escrever sobre cinema. Sou uma cinéfila assumida, semana sem sessão de cinema, numa sala de cinema, não é semana. 

É um daqueles rituais que todos temos, cada um terá os seus. Mas este, é um dos meus mais 'sagrados'. Faz-me bem. Deixo fora da sala todos os pequenos problemas reais do dia-a-dia, e refugio-me numa pausa de bem estar.

Revisitando Fragmentos Culturais, dei-me conta que não escrevo sobre cinema desde Falemos de cinema em tempo de verãoEscrever sobre um filme que no encanta é um exercício de estética afectiva que me faz bem. 

Boyhood_film6.jpg
Mason| Ellar Coltraine
 Boyhood, 2014

Entre muitos, e há excelentes filmes em cartaz que já vi, decidi hoje exprir-me sobre um filme fascinante - Boyhood - realizado por Richard Linklater. Não por acaso. Gosto de filmes que toquem a vida real. E este  toca a vida com muita sensibilidade. 

Há muito aguardado nas salas de cinema, está em exibição vai para um mês, sensivelmente. Não fui vê-lo na semana de estreia. Gosto mais de um tempo mais recatado. 

Boyhood é um filme cativante que nos envolve até ao final. Nele percorremos dozes anos da vida de Mason (Ellar Coltrane). 

Uma biografia devastadoramente plausível de um adolescente 'real'. Diante de nossos olhos, a criança tornou-se um homem, num lapso de tempo. O filme desenvolveu-se tão naturalmente como a vida. Na verdade, é uma história de vida. 

Mas vamos então à história:

Boyhood_film5.jpg
Mason & Mason Senior
Ellar Coltraine | Ethan Haweke
 Boyhood, 2014

Rodado ao longo de quase 12 anos, BoyHood é um 'road movie' no qual a estrada é o tempo. Fazemos aqui e ali pequenas paragens, conhecemos novas personagens e situações e, depois, seguimos em frente, modificados.

Drama ficcional, mantendo o mesmo grupo de actores durante 12 anos, e filmado entre 2002 e 2013. Uma viagem única, épica e intimidante ao mesmo tempo, através da alegria da infância, dos problemas e oscilações de uma família moderna, próprios da passagem do tempo.



Mason & Sheena
 Boyhood, 2014

O filme acompanha Mason (Ellar Coltrane), de 6 anos, ao longo da década mais importante da sua vida - infância e adolescência - pelo meio vão acontecendo um turbilhão de mudanças, controvérsias familiares, casamentos instáveis, segundos casamentos mal resolvidos, novas escolas, primeiros amores e amores perdidos. 

Tempos memoráveis e tempos assustadores e uma constante miscelânea de desgostos e deslumbramentos acompanham Mason.

Boyhood_film3.jpg
Olivia, Mason & Samantha
Patrica Arquette, Ellar Coltraine, Lorelei Linklater
 Boyhood, 2014

Mason é um menino sonhador que se confronta com a importante decisão da mãe, lutadora, afectuosa, Olivia (Patricia Arquette), de refazer a vida em Houston, no momento em que o pai, Mason Senior (Ethan Hawke), há muito tempo ausente, regressa do Alasca, e volta a entrar no seu mundo.

Boyhood_film7.png
MasonEllar Coltrane
 Boyhood, 2014

Entre pais e padrastos, raparigas, professores e patrões, perigos, anseios e paixões, Mason emerge para seguir seu caminho.

É um filme que compreende que somos o resultado de um conjunto de instantes mais ou menos memoráveis e que, portanto, somos seres fluidos por natureza. Acompanhar todas estas mudanças é uma jornada fascinante que não nos deixa tirar os olhos do ecrã.



 Mason & Mason Senior
 Boyhood, 2014

Não há, aqui, o drama de um pai delinquente, ou de uma mãe ausente, mas sim o drama do quotidiano, não menos impactante, de tentar andar para a frente, mesmo diante de problemas financeiros, de brigas com os vários padrastos, e de pequenos percalços, quase triviais, como o embaraço de ter que ir para a escola com um corte de cabelo desastroso, imposto por um padrasto arrogante, ou ser repreendido por um adulto pouco amistoso.



Recheado de um humor doce que, frequentemente, nasce das interacções da família carinhosa que ocupa seu centro, BoyHood também é capaz de mostrar pedaços de vida dolorosos que são concebidos cuidadosamente. 

Por exemplo, perceber como o problema do segundo marido de Olivia é inicialmente sugerido de forma subtil, quando ele evita beber diante dos filhos (dois dele e dois de Olivia) , até ao instante em que sua ira alcoolizada explode durante um almoço no qual não faz questão de esconder a sua adição.

Uma cena profundamente chocante que levará a que Olivia o abandone para proteger os seus filhos e também os filhos de seu marido, apresentando queixa às entidades competentes, bem como alertando a mãe dos adolescentes.

Boyhood_film10.jpg
 Olivia & Mason
Patricia Arquette & Ellar Coltraine
Boyhood, 2014

Porém, o mais recompensador, neste belíssimo filme é perceber como Mason, apesar de todos os dramas ou traumas enfrentados, se torna um jovem adulto tão sensível e cativante.

Dono de um tom de voz sereno, gentil, de gestos carinhosos, e de uma personalidade repleta de curiosidade pelo mundo, a que seu pai não é estranho, Mason - interpretado por Ellar Coltraneum actor carismático - jamais deixa que esqueçamos o garotinho que se equilibrava afoitamente num baloiço, quando o vemos já jovem adulto, prestes a partir para a faculdade, atormentado por ansiedades em relação ao futuro.

Boyhood_film8.jpg
Mason & Nicole
Ellar Coltraine &Jessi Mechler
 Boyhood, 2014

Vê-lo crescer é tão emocionante como acompanhar o envelhecimento de seus pais, a maturidade, finalmente, do pai, as inseguranças da mãe, pelo facto de se sentir mais só, após a sua terna missão de mãe. Filhos crescidos seguem suas vidas. 

Inevitavelmente tudo isto nos leva a reflectir sobre a nossa própria trajectória. 


 Boyhood, 2014

sensação é a de que tudo passou tão rápido, tanto quanto as quase três horas de um fllme tão sensível. Fascinante.

"A one-of-a-kind movie. It touches something deep and true."

Owen Gledberman, Entertainment Week

As interpretações de Ellar ColtrainePatricia Arquette, et Ethan Hawke (quem não lembra Clube dos Poetas Mortos?) são absolutamente brilhantes.

Patricia Arquette, mãe coragem, professora, enfrentando tudo para fazer seus filhos felizes, buscando sua felicidade, sem prejuízo dos mesmos. 

Ethan Haweke, pai imaturo que parte em busca de aventura no Alasca, mas que regressa, e faz tudos para recuperar, com carinho, o tempo perdido junto dos filhos.

Ellar Coltraine que cresce diante de uma câmara de filmagens, como qualquer jovem, mas sem inibições, como uma naturalidade espantosa. 

"A masterpiece that isn't quite like anything else in the history of cinema."

Andrew O'Hehr, Salon



Sundance Festival 2014

Boyhood foi premiado no Sundance Film Festival 2014 - Festival de Cinema Independente 2014, sob a égide do admirável actor Robert Redford.

Nomeado em cinco categorias nos Golden Globes 2015, foi premiado em três: Melhor Filme, Melhor Actriz Secundária, Patricia Arquette, e Melhor Realizador, Richard Linklater.

Quanto aos Oscars 2015, já no próximo dia 22 Fevereiro, conta com seis nomeações : Melhor Fime, Melhor Realizador, Melhor Actor Secundário, Ethan Hawke, Melhor Actriz Secundária, Patricia Arquette, Melhor Argumento, Melhor Produção.

Com uma banda sonora bem ao estilo country. Destaco o tema Hero interpretado por Family of the Year. 

"We'd never normally quote Oscars odds as early as this but Boyhood absolutely blew us away."

Alex Donohue, Ladbrokes

G-S

Fragmentos Culturais

06.02.2015
Copyright © 2015-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

9 comments:

No Limite do Oceano said...

Vi, gostei do filme e da ideia, no entanto não entendo o porquê de tanta agitação em torno dele. Dos 3 que vi nomeados para os Óscares a minha escolha vai para Whiplash, excelente.

João Roque said...

Hoje mesmo saquei o filme. Resta saber quando o verei?

heretico said...

informação, inteligência, sensibilidade e bom gosto aqui. sempre

de que não me canso...

beijo

G- Souto said...

Continua a somar prémios, 'No Limite do Oceano'... agora foram os Bafta.

Eu gostei imenso e já escrevi tudo o que o filme me despertou.

Não vi ainda, Whiplash. Está na minha lista. Suponho que é também, um filme notável.

No entanto, é filme mais 'especializado', não para o grande público. E isso inibe um pouco o sucesso de filme.

Agradeço a visita que retribuirei.

G- Souto said...

E, agora, já o viste, João?
Também gostaria de saber que sentimentos te despertou.

G- Souto said...

sempre afável, nas palavras, afectuoso nos sentires, 'Herético'

Ouviste a canção-tema 'Hero'? Adoro! Só não acho o video oficial muito apelativo, mas entendo o lado 'country'...

beijo

aflores said...

Há muito tempo que não entrava numa sala de cinema, e foi uma sessão que jamais esquecerei.
Estavam poucas pessoas, mas tenho a certeza que os poucos que lá estavam deram por bem empregue o tempo da sessão e o dinheiro dos bilhetes.

Notável.

Tudo de bom.

Daniel C.da Silva (Lobinho) said...

Ultimamente não tenho marcado presença no cinema... apesar de estar atento...

Um beijo amigo, G...

G- Souto said...

Querido amigo Daniel,

Que bom ler-te! Ir ao cinema, como sabes, faz parte do meu ritual de relaxamento fim-de-semana. Há outros, mas este, sempre que posso, faz parte.

Um beijo amigo, também para ti.