Saturday, March 5, 2011

Noite Mundial do Livro 2011






"World Book Night on Saturday 5 March 2011 is a new initiative that will see 20,000 passionate book lovers."


Hoje, 5 Março 2011, dois dias após o Dia Mundial do Livro vai ter lugar a Noite Mundial do Livro.

O Porto vai estar presente nesta iniciativa, contando com a participação de livreiros e autores da cidade. Por exemplos, a 'Livraria Leitura Books & Living', na Rua de Ceuta, celebra este sábado a 'Noite Mundial do Livro', a partir das 21h00.





'Nós Somos o que Lemos' é o título da tertúlia que vai ser moderada pelo programador António Costa. Neste evento vão também participar os autores Manuel António Pina, Rui Amaral, João Paulo Sousa, Manuel Jorge Marmelo e Miguel Miranda.
Bem! Eu adoro esta iniciativa! Só não concordo muito com o título da tertúlia! Soa demasiado a 'elite intelectual'. Não que eu tenha nada contra os intelectuais! Muito pelo contrário! Os verdadeiros.
Mas, por exemplo, os ingleses, chamaram este evento 'passionate book lovers'. Bem mais intimista!

Que se vai passar esta noite no Reino Unido, país da ideia? De uma votação feita por um comité editorial independente, foram seleccionados vinte cinco livros. 

A selecção final abrange livros de todos os géneros:  história, literatura, juvenis, crime, comerciais, poesia e autobiografia. Poderão consultar a listagem aqui



É óbvio que esta selecção tem a ver com uma outra realidade social e um outro público leitor.

Bom, mas voltemos ao que se vai passar em Londres! Os 'passionate book lovers' vão juntar-se em Trafalgar Square e distribuir centenas de livros (os 25 títulos seleccionados, doados pelos livreiros) por todos os que adoram ler e vão comparecer, apesar do frio! Interessante, não é mesmo?




Ora aqui está onde quero chegar! Claro que não tivemos essa mesma atitude por parte dos livreiros portugueses! E até posso quase... compreender! É que o público leitor/comprador português não se compara com público inglês (em termos de número). Lê-se muito pouco em Portugal segundo as estimativas. E os livros são caros.


Mas, se gostam muito de livros - eu sei que sim - de um gesto afectuoso e espontâneo vamos chamar-lhe então 'Nós somos os que amamos ler'! Soa melhor não acham? E assim, imbuídos desse gesto 'amador', partamos para uma noite diferente. Partilhemos a leitura dos livros que lemos neste momento.
que ando a ler?



O autor de As Horas (adaptado ao cinema), Uma Casa do Outro Lado do Mundo (também já adaptado ao cinema) e sobre o qual escrevi aqui, aparece de novo com um livro fascinante, By Nightfall! Vou ler, claramente. Gosto deste autor.

"Como sempre acontece em Cunningham, o romance está cheio de referências artísticas e literárias. "As Horas" era, do início ao fim, uma declaração de amor a Virginia Woolf. "Dias Exemplares" passeava-se pelas "Folhas de Erva" de Walt Whitman. "Ao cair da noite" não possui um só eixo, mas vários. Revistas de arte, canções dos Beatles, arte contemporânea, arte clássica, Fellini, Hitchcock, Virginia Woolf, Thomas Mann."*


Expresso.pt
Reflexões sobre a arte (pintura e escultura) e os seus intérpretes. Vasco Graça Moura (um dos mais completos escritores portugueses) parte de uma determinada obra (ou o conjunto da obra) de alguns dos mais significativos criadores, Nikias Skapinakis, Júlio Pomar, Siza Vieira, Paula Rego e outros. Porque a pintura me atrai!



Conjunto de textos inéditos de Saint-Exupéry, que alguns investigadores põem em causa da autenticidade de alguns escritos, mas que mesmo assim quis ler. 

Escritos entre 1925 e 1943: primeiras narrativas (Manon, dançando), prelecções, memórias de infância e da aviação, cartas diversas (a Louise de Vilmorin e a Natalie Paley), fragmentos de Correio do Sul e de Voo Nocturno

"Todos eles permeados por uma meditação sobre o que pode conferir sentido à viagem e nos ligar ao lugar de onde vimos, estes textos ajudam a aproximar-nos da sensibilidade, das dúvidas morais e da obra de Saint-Exupéry."


Contracapa (abrev.)

Um livro que comprei sem total convicção, mas que me está a surpreender.





Deponho aqui o gesto de muito afecto pelos livros, aqueles amigos que estão presentes em cada segundo do meu respirar!

"Eu sempre imaginei que o paraíso deve ser algum tipo de biblioteca."

Jorge Luis Borges


G-S

Fragmentos Culturais

05.03.2011

actualizado 06.09.2016

Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®


Licença Creative Commons 

* Aconselho a leitura da crítica - Expresso

Nota: As imagens e textos aqui referenciados pertencem aos autores e empresas mencionadas. Não se pretende em caso algum infringir os direitos de propriedade intelectual.

Na impossibilidade de me lembrar que livros colocara na selecção feita em 2011, optei por uma imagem generalista.

13 comments:

Fragmentos Culturais said...

Caros amigos,

Por motivos de força maior, tenho andado longe de 'fragmentos'!

Mas, hoje voltarei a retomar este imenso prazer que é responder aos vossos afectuosos comentários!

Um beijo

mfc said...

A Rua de ceuta é e vai continuar a ser uma rua de livros.

Daniel Silva (Lobinho) said...

Olá Fragmentos!

A ideia é interessantíssima e, de facto, é muito mais cosy 'passionate book lovers'.

Outra ideia interessantíssima é a dos livros que circulam de mão em mão, havendo inclusive algumas cidades europeias com "postos" devidamente protegidos com acrílico ou mesmo vidro para se poder deixar o livro... e retirar. Não recordo agora o nome que foi dado a isso, mas por certo sabes do que falo.

Fizest lembrar "A Cidadela" do Saint Exupery, ao falares dest outro livro. Não sei se conheces. E, obviamente, a surpresa que foi para mim descobrir o livro de que falei lá no canto "Memórias da Rosa".

Um livro interessantíssimo, além dos que acabo de mecninao, é "A leitora Real" de Alan Benett

No entanto, já que falas em intelectuais, diria isto: o leitor não erudito, como é o meu cxaso, é decerto o mais feliz. Menos crítico e menos selectivo, le é também menos autodirigido, mais versátil e sempre disposto a abraçar o caos.

A leitura é isto mesmo. Abre um trilho através da nossa vida, imiscui-se na nossa identidade, destrói barreiras protectoras do outro e da outra coisa, que já não somos nós nem o nosso pequeno mundo, atira-nos, abre-nos e liberta-nos.

Um beijinho amigo, Fragmentos

Rafeiro Perfumado said...

Não acho o nome muito intelectual, afinal nos dias que correm ler um livro não é coisa para todos!

;)

Cata- Vento said...

Concordo contigo, amiga!Ler é o mais importante. Estes ou outros títulos porque a leitura tem de começar pelo que sentimos de atractivo no livro que escolhemos.
Uma iniciativa louvável, a dos ingleses.

Bem-hajas!

Beijinhos

. intemporal . said...

.

.

. no dia internacional da Mulher .

.

. deixo flores .

.

. muitas flores .

.

. todas as flores .

.

.

. e um terno e e.terno bem.haja .

.

. paulo .

.

.

pinguim said...

Estive anos sem ler, infelizmente, depois de ter lido muito, mesmo muito, quando era mais novo.
Hoje redescobri o prazer da leitura e procuro "recuperar" o tempo perdido.

Fragmentos Culturais said...

... rua de Ceuta, Livraria Leitura, levam-me a tempos da faculdade, 'mfc'
:)

Fragmentos Culturais said...

Eu sei que compreenderias o que eu escrevi, Daniel :)

E a ideia é mesmo muito interessante! Pelo que li no 'Guardian' o evento reuniu imensa gente no Trafalgar Square, apesar do frio que fazia nessa noite! E escritores também compareceram e leram excertos de obras.

Sim, eu conheço essa 'partilha de livros' :)
... mas não sabia desses 'postos' em cidades europeias. Pensei que continuava a fazer-se anonimamente em sítio e/ou cantos das cidades.

Conheço a obra toda, suponho, de Saint Exupéry!
Sabia da existência do livro 'Memórias de Rosa' de Consuelo Saint Exupéry! Era uma mulher de letras, também!

Quanto 'A Leitora Real' não li mesmo... não sei se faria o meu género de leitura! Já afirmei anteriormente, por vezes, peco por excesso no que concerne a Literatura! Defeito de formação :)

E por isso, concordo com o penúltimo parágrafo do teu comentário, onde dás forma ao conceito que o 'leitor não erudito é mais feliz'! Sim, talvez!

Não é que me sinta 'auto-dirigida', há leituras que 'escolho' fazer e/ou não fazer! Mas sou muito crítica! Nisso... mea culpa :)


'...A leitura (...) abre um trilho através da nossa vida, imiscui-se na nossa identidade, destrói barreiras protectoras do outro e da outra coisa, que já não somos nós nem o nosso pequeno mundo, atira-nos, abre-nos e liberta-nos.' - sem dúvida! Depois da música, a literatura é 'a arte' mais libertadora!

Bom fim-de-semana!
Um beijo amistoso, Daniel
(gosto de 'interagir' contigo nesta 'tertúlia' sem pretensões que são os comentários)

Fragmentos Culturais said...

... bem! Compreendo o que queres dizer 'Rafeiro' ;)

Fragmentos Culturais said...

... és também uma leitora, 'Isamar', eu sei!

O que pretendi com este post, é que as pessoas que o comentassem, partilhassem as suas 'leituras' do momento! Deixassem aqui as suas escolhas!
Daí eu ter dado o exemplo, partilhando as minhas...

A leitura é efectivamente um acto muito pessoal!

Abraço amistoso,

Fragmentos Culturais said...

... fui agradecer-te, Paulo 'Intemporal', no momento em que deixaste esta missiva tão amistosa no 'Dia da Mulher'.

Na altura, ainda não tinha tido tempo para publicar um post alusivo!
Queria algo de diferente! E encontrei...

Sensibilizada pelo pensamento!

Fragmentos Culturais said...

... estou certa, 'pinguim' que esse prazer da leitura agora recuperado, te está a fazer muito bem!

É tão bom ler!! Não é mesmo?!