Tuesday, March 8, 2011

Centenário 'Dia Internacional da Mulher'







No vídeo We Are Equals Daniel Craig despe-se da personagem James Bond para se vestir de mulher, de forma a promover a igualdade do género.
Narrado pela actriz Judi Dench - que recria a personagem 'M' nos filmes 007 -, o vídeo foi realizado por Sam Taylor Wood - Nowhere Boy - e faz uma alusão a questões como a desigualdade salarial e a violência doméstica.

Em We Are Equals, Daniel Craig transforma-se e tenta colocar-se no papel de uma mulher. Durante toda a gravação, com pouco mais de dois minutos, o actor mantém-se em silêncio, enquanto Dench enumera alguns dos obstáculos que a mulher enfrenta nas sociedades actuais.

Esta iniciativa partiu da ONG Equals, criada por Annie Lennox e pretende chamar a atenção para a situação das mulheres no mundo. A realizadora explicou que espera que o vídeo leve os espectadores a pensar na desigualdade de géneros. 

"Apesar dos desenvolvimentos no que diz respeito aos direitos das mulheres, as estatísticas mostram que quando se trata de desequilíbrio de poder entre os dois sexos, a igualdade não é ainda uma realidade global"
Sam Taylor Wood



Realizador: Sam Taylor-Wood
Produtor: Barbara Broccoli 
Argumentista Jane Goldman 
Director de fotografia: Seamus McGarvey
Voz de Judi Dench


G-S

08-03.2011

Referências: 

The EQUALS partnership and Annie Lennox would like to thank all the production team, cast and crew that donated their time, vision and energy in the hope of a more equal world for women and girls.


12 comments:

pinguim said...

Excelente vídeo para comemorar o Dia Internacional da Mulher.

mfc said...

Um vídeo notável!

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa said...

"So, are we equals?"
I don´t think so by any means.
Excelente vídeo. pela crueza real que encerra em si.
Um beijo.

vitor cunha said...

O vídeo está excepcional!Contudo, estou convencido que as desigualdades resultam do acumular de conceitos geracionais (errados)ao longo de muitos séculos com grandes responsabilidades das mães que estando mais perto das filhas lhes incutem conceitos de obediência e de submissão aos maridos; e dos pais que se sentem confortáveis servidos pelo "Hárem"!
LUTEM MULHERES POR JUSTIÇA E IGUALDADE CONTRA OS MAUS TRATOS E VIOLÊNCIA.ESTOU SOLIDÁRIO CONVOSCO.

Daniel Silva (Lobinho) said...

O video é, essencialmente, inteligente. E, claro, basta haver o Dia da Mulher para se perceber que algo está em falta, como se uma minoria. Acho muito bem o dia, claro, e é sempre altura de reflectir no papel do ser humano na sociedade... com tudo o que tem de género.

Um beijo amigo, Fragmentos, e a minha homenagem também a ti!

Susaninha said...

Vim aqui dar-te um beijinho especial e dizer-te que te acho UMA GRANDE MULHER:)
UM BEIJINHO MUITO ESPECIAL COM MUITO CARIIIINHO:)

Fragmentos Culturais said...

... fantástico, pinguim! Não podia ser mais original esta 'adaptação'!

Fragmentos Culturais said...

... sim, de facto, 'mfc'!

Só um excelente actor teria a coragem de fazer esta transformação! E lembrei Dustin Hoffmann em 'Tootsie'!

Fragmentos Culturais said...

'We are equals in capacity and as workers'... não é mesmo, Isabel?!

Continuo a adorar sentir as diferenças! Felizmente!
Uma mulher quer-se bem feminina. Nada disso lhe tira as enormes capacidades!

O que me revolta é saber que há mulheres a quem é negado o direito de ler e de escrever, jovens (no feminino) que estão proibidas de ir à escola :(

Bom fim-de-semana!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... sem dúvida! Muito inteligente, Daniel! Lá está 'M' :)

Alerta para a desigualdade de género que em pleno séc. XXI continua a ser abismal!
O número das mulheres continua a ser de grande desigualdade em lugares de liderança!

E depois, não podemos só pensar nos países desenvolvidos... nos menos desenvolvidos, esse 'lapso' é de milhões...

Muito sensibilizada pela tua saudação bem afectuosa à mulher que sou :)

Um beijo amistoso,

Fragmentos Culturais said...

Oh! Querida Su! Como foi bom reler-te por aqui... sentia a tua falta!

Os votos são/foram retribuídos com muito carinho!

Que tenhas tido um 'dia lindoooo'! Bem merecedora :)

Beijinhos**

Fragmentos Culturais said...

... Vítor, peço desculpa :(
Como sabes, tenho por hábito responder aos comentários pela ordem da sua publicação! Assim, deveria ter-te respondido depois de Isabel!
Avançado da hora? Sono? Sim, suponho que sim! Mas é quase imperdoável!
Espero que não me leves a mal... 'saltei' sem querer :(

Concordo! Apesar de o número de mulheres ser substancialmente maior do que o número de homens, o que é certo é que as sociedades, e como escreveste , os conceitos geracionais continuam a ser 'masculinos'.

Repara que não abdico da minha condição de feminilidade que não passa pelo meu lugar na sociedade (trabalho)!
A mulher continua a ser descriminada! E então se tiver um 'palmo de cara lindo' é logo 'arrumada'! Deve ser burra!! Tem que ser pouco inteligente... é o que 'eles' pensam e algumas 'elas' desejam (inveja feminina é fogo)!

Quanto ao papel das mães, e falo apenas da realidade dos países civilizados... ou melhor dos países europeus. As mães europeias são muito mais vanguardistas! Alteraram substancialmente o modo como educam os seus filhos (homens)!

Hum! Não me fales de 'harém' :)´

Quanto à violência doméstica que é abordada no filme continua a ser um flagelo mundial :(

Um beijo,