Sunday, November 11, 2007

Memórias com Agustina Bessa-Luís



~

Agustina Bessa-Luís, escritora
António José de Almeida
- Documentário Biográfico (2007)


Ama-se a palavra, usa-se a escrita, despertam-se as coisas do silêncio em que foram criadas. Escrever é corrigir a fortuna, que é cega, com um júbilo da Natureza, que é precavida.


Agustina Bessa-Luís, 'Contemplação Carinhosa da Angústia



Conheci a escritora numa das livrarias Bertrand da cidade! Muitas vezes, em final de tarde, depois de um dia cansativo, vagueio pelos espaços de livreiros recatados. Aí, os livros dispostos em mesas e estantes, soltam um fascínio aliciante. Serenidade.

Sentindo o odor das folhas que volteiam a cada gesto lento de dedos curiosos, tacteando a qualidade do papel, divago entre palavras e paisagens de outros, como que buscando minhas próprias litanias, sem tempos nem distâncias.



Nesse dia, estava distraidamente embrenhada no prazer inestimável da companhia e sabedoria dos livros, quando dei pela presença, mesmo ao meu lado, de uma senhora muito discreta que me sorriu! Reconheci de imediato Agustina Bessa-Luís. Uma das escritoras portuguesas que mais admiro e leio. Sorri também, partilhando aquele gosto de estar ao lado de Agustina.

Andava naquela altura a dar (numa perspectiva académica) o seu romance 'A Sibila' (1954, 1ª edição). Prezo as primeiras edições pelo amor que dedico aos livros e à literatura.

"Em literatura, como na arte, precisamos de ter dois gostos, um gosto pessoal que escolha os nossos prazeres, os livros e os quadros de que nos cercamos, e um gosto histórico que sirva os nossos estudos... "

Gustave Lansen

Trocámos impressões sobre a sua obra. Fascinada, escutava, bebendo as palavras que a escritora em tom coloquial e afável ia trocando comigo, num dos poucos recantos da livraria, já que o espaço era pequeno. Ouvia encantada e com  admiração, a simplicidade desta excelente contadora de histórias, aproveitando com veneração a magia do instante.

No final, afoitei-me a pedir-lhe se poderia vir trocar impressões, numa conversa informal, com outros leitores. Anuiu com a mesma simplicidade, e deu-me o seu contacto telefónico. Fiquei de lhe ligar dois ou três dias depois.

Mesmo antes de nos despedirmos, não resisti a estender-lhe com delicadeza o seu livro de memórias "Vento, Areia e Amoras Bravas" (1990) para que o autografasse. Agustina tirou da carteira a sua caneta de tinta permanente e escreveu uma afectuosa dedicatória. Foi um momento inesquecível!


Mais tarde, talvez uma semana depois de ter passado por sua casa, como amavelmente me convidou, num gesto de amistosa cordialidade, conversámos sobre  o "Encontro com Agustina Bessa-Luís - A Literatura e o Descritivo na Música" que teve lugar numa escola vocacional de Música, em 1996. 


Ainda hoje recordamos tão encantadora palestrante, a sua invulgar erudição a par de um discurso narrativo de grande singeleza.




"Nasci adulta e morrerei criança"
Videografia Agustina Bessa-Luís
“A Agustina é uma romancista caótica. É alguém para quem o romance não é apenas uma história bem contada, mas é também uma forma de interrogar o mundo. E, portanto, não há regras estabelecidas à partida”, afirma o jornalista e escritor Pedro Mexia. “Um romance é o que se quiser. E isso perturba alguns leitores. Os que gostam, gostam muito.”



"Agustina Bessa-Luís vive numa casa senhorial, implantada no coração do Porto Romântico, no alto da encosta que nasce no Campo Alegre e desagua no rio Douro. É um mundo fechado à cidade que devora todos os dias os sinais de um passado que povoa as páginas da sua obra e descaracteriza a cidade de Camilo, de Raúl Brandão, de Ramalho Ortigão, da própria Agustina.


Escreve os seus livros à mão, com caneta de tinta permanente. E guarda as páginas originais, escritas numa letra redonda, numa pasta de couro. A escrita é a sua vida. Sem aquela casa, Agustina Bessa-Luís era outra escritora. Sem as neblinas do Douro, a sua obra não seria tão luminosa."

SPA Autores


Concordo! A sua casa é linda! A escritora partilhou comigo esse espaço perfeito, naquela tarde que guardo na memória dos afectos.

A Ronda da Noite foi o penúltimo livro que li de Agustina Bessa-Luís, em tempo de lazer, durante mês de Agosto. Acompanhou-me diariamente!

Um quadro de Rembrandt e a sua
interpretação leva Agustina a elaborar uma requintada narrativa sobre
 a história ficcionada da família Nabasco, seus amores e dramas, suas vivências, a par da presença indelével das personagens presentes na tela de Rembrandt, a  Ronda da Noite .




Guimarães Editores, 2006

"Às vezes, enquanto descia as escadas,Maria Rosa ia olhar para a e, apoiada à sua bengala, olhava para Saskia vendo nela parecenças com Margô. 'Era destas mulheres em que não se apaga o pecado original', pensava. No fundo, são precisas cem vidas para ajuizar duma pessoa..."

Agutina Bessa-Luís, A Ronda da Noite, Guimarães Editores, 2006


Descobri há duas semanas O Livro de Agustina Bessa-Luís - 85 anos de Agustina - uma obra de carácter biográfico. E li.

Não resisto a deixar aqui as palavras que o encerram...

Disse para comigo: "Estou num lugar, numa hora, numa vida que não me são desconhecidos". É esse entendimento de que a nossa vida é repetição e pode ser corrigida a ponto de produzir uma forma de profecia, aquilo que nos abençoa e protege e alegra. Fazendo com que o sofrimento tenha sentido no mundo.

O Livro de Agustina Bessa-Luís
, Guerra e Paz Editores, 2007



G-S 


(memórias literárias, ©texto original)

Fragmentos Culturais


11.11.2007

Copyright © 2007-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons 

22 comments:

wood said...

Em Literatura ainda só aprendi a responder ao meu gosto pessoal. :(

Um bom blog, tenho que voltar.

avelaneiraflorida said...

Fragmentos Culturais,

Uma Bela escolha!!!! Uma Selecção muito conseguida!!!!

Felizmente, aqui neste cantinho podemos encontrar razões de continuar a VIVER e a SENTIR a BELEZA...

Bjks

Tiago R Cardoso said...

Mais uma vez me deixou fascinado com o seu post e a sua forma de me mostrar a cultura.

De facto deve ser fascinante conhecer pessoas como a escritora, poder ouvir e aprender com tal sensibilidade.

Assim já começa a ser difícil, no bom sentido, lá tenho eu de ir ver melhor a obra, já conheço alguma coisa, mas estou a ver que tenho de conhecer mais.

quintarantino said...

Uma escrita nem sempre fácil, mas de uma enorme claridade!

Fragmentos Culturais said...

É o primeiro e o mais importante passo para se ler... 'escolher' os 'seus' livros, 'Wood'!

Sensibilizada pelo teu olhar amistoso em 'fragmentos'!

Até breve?!

Fragmentos Culturais said...

Aqui neste 'cantinho' só se publicam fragmentos das coisas que me tocam no plano afectivo-cultural, 'Avelaneiraflorida'!

Esta é a minha maneira de ver o mundo através das diferentes expressões da Arte!

Sensibilizada pelo teu olhar tão afectuoso em 'fragmentos'!

Uma excelente semana!
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

Foi mesmo fascinante conhecer de um modo tão singelo uma escritora tão importante como Agustina Bessa-Luís!
E aprendi muito com o seu contacto pessoal, e aprendo a cada instante pela leitura dos seus livros que vão rarear... :(

A autobiografia foi uma surpresa muito bonita!

Este é o meu jeito de falar e de sentir as manifestações de Arte, Tiago!
Um jeito simples e muito próprio, como já referi anteriormente a outra amiga/leitora.

Sensibilizada pelo sua fidelidade a 'fragmentos'!

Um bom dia! Está lindo... por estes lados!

Fragmentos Culturais said...

Uma escrita densa porque numa sintaxe plena, mas muito clara e bem rica, 'Quintarantino'!

Eu adoro a escrita tão cuidada da Autora!

Como vê, não fui até ao 'Louvre'... fiquei mesmo pela cidade ;)

Sensibilizada pelo seu olhar atento em 'fragmentos'!

Tenha um excelente dia!

Tiago R Cardoso said...

Só para lhe dizer que se tiver tempo ou quiser a emissão pode ser ouvida online em http://www.rcmatosinhos.com

Muito obrigado pela sua participação no nosso Notas, apesar de me parecer que o seu tempo não é muito.

quintarantino said...

Vinha aqui só para lhe dar a indicação que pode ouvir a emissão online.. mas afinal o Tiago chegou primeiro.

Fico extremamente sensibilizado pelos comentários que tem produzido. São sempre excelentes.

Fragmentos Culturais said...

Bem, Tiago, espero poder ouvi-lo!

E se não for na hora prevista, talvez tenha acesso à emissão online, um pouco mais tarde!?

Excelente participação!
Até logo!

Fragmentos Culturais said...

Agradeço 'Quintarantino'!
Vou tentar apanhar na hora da emissão... ou um pouco mais tarde, já online!

Boa semana!

ANTONIO DELGADO said...

Uma verdadeira senhora das letras portuguesas. Com uma produção fora do comum.

Um abraço
António Delgado

Entre linhas... said...

Uma forma muito sui genéris de ver o mundo cultural,especialmente esta grandesenhora,á qual já tive o prazer de ler algumas das obras dela,um olhar muito profundo de fragmentoss.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Fragmentos Culturais said...

Sem dúvida que Agustina Bessa-Luís é uma das maiores escritoras do nosso país!

Uma obra vastíssima... uma escrita disciplinada, assim me disse!

Sensibilizada pelo atento olhar, 'António Delgado'!
Um abraço

Fragmentos Culturais said...

É um espaço muito pessoal... fala de coisas que me enleiam, 'entre linhas...'!

Sensibilizada pelo teu olhar atento e afectuoso em 'fragmentos'!

Bom fim-de-semana também!
Beijo

7 Pecados Mortais said...

Sem dúvida uma grande escritora com uma visão excelente da vida. Até consigo própria ela conseguia ter uma visão arrojada. Muito boa escolha. Para terminar deixo aqui uma citação da autora: "O medo é o que impede que tudo o que chega às maõs dos homens não se torne em sua propriedade. Basta produzir uma impressão que não se pode explicar, inserindo no medo o desconforto da culpa. É assim que milhões de pessoas podem ser pastoreadas nas ribeiras da paz por muito poucas. E nas trincheiras da guerra por outras tantas, senão as mesmas."

Fragmentos Culturais said...

Eu gosto da escrita eivada de realidade, em que cada personagem se assume como pessoa e não como mera ficção!

É uma escritora que marcará indelevelmente as Letras Portuguesas do século XX.

Uma mulher sóbria no seu viver, mas exuberante na maneira como expõe o Mundo nos seus livros!

Um excerto impressionante pela verdade, '7 Pecados Mortais' aqui poisaste!

Muito sensibilizada pelo olhar continuadamente 'fiel'!

Boa semana!

7 Pecados Mortais said...

Cara amiga, sugiro uma visita ao meu espaço, tenho um desafio literário a propor-lhe. Abraços.

Fragmentos Culturais said...

Caro amigo,

Lamento não ter visto a tua sugestão no tempo previsto!

Impus-me neste espaço não me desviar das intenções que estão por trás da sua criação.
Mas reconheço que o teu gentil convite não se afasta muito... daí que tentarei publicar um 'meme' ligado aos livros, logo que possível!

Muito sensibilizada pelo gesto tão amistoso!
Um abraço,

epee said...

A agradecer pela apresentação à escritora.




|@
Boa semana.

Fragmentos Culturais said...

Eu é que agradeço ter passado por 'fragmentos'... lamentando só hoje o fazer!
Relia este meu texto quando vi seu comentário.

Bom fim-de-semana!