Sunday, July 3, 2011

Tributo: Jim Morrison






The very Best of the Doors





Jim Morrison (1943-1971)

Julho 3 de 1971, Jim Morrison morreu. O mito, esse não! 40 anos depois, o mundo não esquece a voz dos The Doors, Jim Morrisono poeta, o músico, o homem.



Último diário e última foto conhecida de Jim Morrison 
REUTERS/Suzanne Plunkett

Em Paris, hoje dois concertos. Ray Manzareket (orgão) e Robby Krieger (guitarra), dois músicos da banda tocarão no Bataclan, a lendária sala de concertos da cidade de Paris. 

Já não poderão usar  o nome "Doors", mas continuam a interpretar "Riders on the storm", "Roadhouse", "Light my fire".

Os fãs de Jim Morrison têm ainda a oportunidade de escolher um outro concerto, esse em  La Cigale, um  tributo a esta banda britânica, The Doors Alive.




When You're Strange: A Film About The Doors
Tom DiCillo, 2010
documentário

Eis o documentário sobre os The Doors  - When You're Strange: A Film About The Doors - que tem marcado presença na Selecção Oficial de reputados festivais de cinema, tais como Sundance Film Festival, Berlin Fim Festival, Festival de San Sebastian, London Film Festival (2010).
"The first feature documentary about The Doors comprised of entirely unseen archival footage. Narrated by Johnny Depp and directed by Tom DiCillo."






É o primeiro documentário acerca da banda The The Doors, como pudemos ler, constituido por imagens de arquivo totalmente inéditas. Narração de Johnny Depp e realizado por Tom DiCillo.





Jim Morrison
créditos: Autor não identificado

Dois interessantes artigos sobre Jim Morrison nos jornais (edição digital) "Le Monde" e "Expresso":

"Quarante après sa mort, le mystère Jim Morrison reste entier" 





The Doors
créditos: Autor não identificado


" Jim Morrison continua vivo" (fotogaleria)  

Expresso.pt | Actualidade 

E se quiser ouvir a banda sonora, pode fazê-lo aqui 

“I can state definitively that one of the things I do remember is buying THE DOORS first album the day it came out and then listening to it about ten or twelve times in a row.  Both sides.  Every song.  I’ve been a fan ever since.  This movie is the story of the band but it is also an insight into a moment in time that will never be repeated.”

Dick Wolf (producer)


G-S

Fragmentos Culturais

03.07.2011
Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®


15 comments:

pinguim said...

4o anos. O tempo voa...

mfc said...

Lembrei-me de sopetão do Light my fire!!
Como o tempo corre, esse malandro!!

heretico said...

gsotei de recordar. aqui

bejos

Carlos Ramos said...

Gostaria de ter assistido ao Philip Glass, deve ter sido um grande concerto. Também grande e boa é a maneira como aqui se divulga a cultura. Muitos parabens.

Lilá(s) said...

Gostei de recordar...há anos visitei o cemitério do Père-Lachaise, e lá estava uma "multidão" de volta do local onde está sepultado, impressionante!
Bjs

mfc said...

Olá

Claro que podes utilizar todas as fotos minhas que desejares.
É um prazer.
Beijos.

vitor cunha said...

Há 40 anos, eu vivia um dos momentos mais conturbados da minha vida,por tal, não guardei na memória Jim Morrison. A leitura do teu blog levou-me à música dele e por isso, além de entender que os artistas não devem nunca ser esquecidos, porque Arte é tudo aquilo que vence o tempo e o esquecimento, estou-te mais uma vez grato, porque me guiaste até ele.
Beijo e bom fim de semana.

Fragmentos Culturais said...

Nem se sente, João!

Fragmentos Culturais said...

'Light my fire'... uma das minhas preferidas, 'mfc' :)

Fragmentos Culturais said...

... fico contente, 'Herético'!

Um beijo

Fragmentos Culturais said...

Foi, sem dúvida um 'grande' concerto, Carlos!
Uma memória muito especial! E grata... ao ouvir as palavras de Glass!

Sensibilizada pela presença amistosa! Foi um prazer!

Fragmentos Culturais said...

Sabe bem, 'Lilás(s)! É mesmo, continua a ser uma 'peregrinação' quase sagrada a Père Lachaise!
As gerações avançam, mas o mito é eterno.

Um beijo

Fragmentos Culturais said...

Muito obrigada, 'mfc' :)

Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... pela segunda vez, aludes a momentos muito 'conturbados' da tua vida, Vítor!

Não sei... mas suponho que hoje estás bem! E isso tranquiliza-me.

Sou totalmente da tua opinião: '... Arte é tudo aquilo que vence o tempo e o esquecimento...'

Por isso, fiquei chocada ao ler que fora proibido dar o nome de Jim Morrison a uma ponte perto da sua terra natal :(

É sempre muito bom ler-te! Sinal que continuas bem!
Não tens que agradecer-me nada :)

Uma excelente semana!
Um beijo

Daniel C.da Silva (Lobinho) said...

E não podemos esquecer o álbum póstumo e mítico "An American Prayer", ou o filme com Val Kimer!

Um beijinho e bom ano... mesmo num post de Julho...