Monday, November 29, 2010

Livraria Lello em destaque no mundo



Livraria Lello & Irmãos (Porto)

"Não há talvez dias da nossa infância que tenhamos tão intensamente vivido como aqueles que julgámos passar sem tê-los vivido, aqueles que passámos com um livro preferido."

Marcel Proust, O Prazer da Leitura 


"A little over 100 years old, this art nouveau gem in Portugal’s second city remains one of the world’s most stunning shops – perhaps of any kind. Competing for attention with the books are wrap-around, neo-Gothic shelves, featuring panels carved with Portuguese literary figures. A track, used by the staff for transporting stock in a cart, leads from the entrance to the lolloping red staircase, which winds up to the first floor like an exotic flower. Books are available in English as well as Portuguese, and there’s a small cafe upstairs beneath the stained-glass skylight.
You can continue the Art Nouveau tour of Porto at Café Majestic and streets such as Rua Galeria de Paris."

De volta ao país, nada me dá mais prazer do que escrever sobre livrarias! E então sobre uma preciosidade nossa, reconhecida do outro lado do mundo, ainda mais me enche de orgulho. 


Pois bem, já alguns devem saber que a Livraria Lello foi classificada pela Lonely Planet como a terceira melhor do mundo, no guia que esta editora australiana lançou recentemente, para o ano 2011. Incrível! É preciso uma entidade australiana chamar a atenção do mundo para os tesouros artísticos de uma cidade portuguesa?

Numa listagem em que faz o “top ten” dos países, regiões e cidades a visitar em 2011, a Lonely Planet sob o título The world’s greatest bookshops coloca   esta livraria situada na Rua das Carmelitas, no Porto, na terceira posição, depois da City Lights Books, em São Francisco, nos Estados Unidos, e da El Ateneo Grand Splendid, em Buenos Aires.


Livraria Lello (panorâmica do 1. piso)

No guia "Lonely Planet's Best in Travel 2011", a editora classifica a Lello, fundada em 1906, de “uma pérola de arte nova”, que se mantém como uma das livrarias – e talvez mesmo uma das lojas – “mais espantosas do mundo”.



Na descrição do seu interior, destaca “as prateleiras neogóticas” que chegam a fazer concorrência aos livros na atenção dos visitantes. Refere também a decoração das paredes com os bustos esculpidos de escritores portugueses,  sem esquecer a “escadaria vermelha em espiral” que leva os clientes até ao primeiro andar que se assemelha a “uma flor exótica”.


O trilho e o carrinho para o transporte dos livros, a pequena cafetaria no primeiro andar, de onde se vê a luz do dia filtrada por estes raros vitrais, são outras notas deixadas aos leitores deste que se tornou já num dos mais populares guias de viagem em todo o mundo.



Livraria  Lello | Porto


Talvez se lembrem que a Lello já tinha sido considerada em Janeiro de 2008, pelo diário britânico The Guardian, a terceira mais bela livraria do mundo.

Proving that purpose-built bookshops can be every bit as beautiful as converted buildings, the divine Livraria Lello in Porto has been selling books in the most salubrious of settings since 1881. Featuring a staircase to heaven and beautifully intricate wooden panels and columns (see for yourself with these gorgeous 360-degree views), stained glass ceilings and books - lots of lovely books.




Livraria  Lello | Porto

O actual edifício da Livraria Lello, desenhado de raiz para ser uma livraria, pelo engenheiro Francisco Xavier Esteves, já fora também considerado pelo escritor catalão Enrique Vila-Matas como “a mais bonita livraria do mundo”.

Não são precisas mais palavras!  Admiremos então um curto vídeo criado por espanhóis? Não consegui encontrar nenhum tão cuidado (imagem e texto) em português.  Será possível? Apenas a música está a mais...





"A leitura é uma necessidade biológica da espécie. Nenhum ecrã e nenhuma tecnologia conseguirão suprimir a necessidade de leitura tradicional."

Umberto Eco


G-S

Fragmentos Culturais

29.11.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

Referências:

20 comments:

BRANCAMAR said...

Adorei este post, Fragmentos, sou cliente e sempre é um prazer renovado entrar na Livraria Lello, ver o espanto dos turistas, maravilhados com tanta beleza.
Cá fora muitas vezes grupos enormes apontando as máquinas fotográficas à fachada e dentro o mesmo cenário. É engraçado que há sempre por lá grupos enormes de Japoneses, mas também de muitas outras nacionalidades.
Uma raridade, mas o Porto tem muitas,ainda mal divulgadas.
Somos um país que precisa ainda organizar-se nas rotas turísticas. Sendo a nossa costa e o nosso interior tão bonito e sendo o Turismo a nossa maior riqueza, embora tenha melhorado, não há ainda um circuito organizado através dos hóteis e outras entidades, como vemos por exemplo na vizinha Espanha.
A zona histórica do Porto que tem turistas de vários países todos os dias e todo o ano merecia muitas vezes ser mais bem tratada e explorada a esse nível, explorada no bom sentido de servir bem, o que nem sempre acontece.

Beijinhos e obrigada por lembrares aqui esta pérola.

Beijinhos
Branca

heretico said...

local de culto. belo.

beijos

Eli said...

Uma grande falha minha, assumo.

:)

Fragmentos Repartidos said...

É sem dúvida um lugar magnífico e penso que o seu propósito (livraria) não podia ser melhor, pois o ambiente aparentemente acolhedor (a julgar pelas fotos) deve fazer-nos sentir muito bem. Creio que deve dar ainda mais prazer vasculhar os livros num sitio como este. Bom Post.

:D

aflores said...

Nascido e criado bem perto da "Lello" posso dizer sem vaidade nenhuma, que a conheço como a palma das minhas mãos, e aplaudo por isso, o excelente post aqui inserido.
No entanto, e se me é permitido, digo aqui o que já disse noutros blogs que falaram do assunto: "... esperemos que a Lello, inserida num dos lugares "da moda" da noite Portuense, não vire ela também, num bar, restaurante ou outra coisa qualquer"

E acredita que já pouco faltou...

. intemporal . said...

.

. merecid.íssimo re.canto de en.canto . por todas as razões .

.

. um beijo .

.

Petrus Monte Real said...

´Fragmentos'
Cara amiga,
Belíssimo post!
Não conheço a livraria. Há anos que desejo conhecê-la, mas, devido á distância a que resido do Porto, não tem sido possível a concretização do sonho.
Passa a ser uma prioridade nas próximas saídas!
Obrigado pela riqueza cultural que nos transmite. Como sempre!

Desejo que, neste seu regresso ao nosso pequeno e humilde recanto da Europa, retome o ritmo normal do dia a dia.
Desejo-lhe uma boa semana.
Um beijo

Lilá(s) said...

Em tenpos recebi um pps sobre esse lugar magnífico! conheço mal penso que só lá estive uma vez mas não haja duvida que a leitura num espaço assim tem outro encanto!
Bjs

Poetic GIRL said...

Adoro livrarias e quanto mais antigas mais eu me perco! adorava trabalhar numa livraria... bjs

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa said...

"Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria." As palavras sábias de Jorge Luis Borges, que cito com a devida vénia, e que acompanho plenamente, ainda fazem mais sentido num porto de abrigo como esta livraria. Linda de morrer! Se ter uma livraria ao nosso dispor já é um momento sublime, tê-la num local assim, é o êxtase total.
Sinto-me pequenina por nunca aí ter entrado, mas, numa próxima viagem ao Porto, será um "must".
Bem haja pela partilha e por permitir a nossa visita a um blog de tamanha qualidade.
Isabel Cabral Costa.

Fragmentos Culturais said...

... é sim, 'Brancamar', a Lello é um recanto paradisíaco! Uma jóia cultural a que os estrangeiros dão mais valor do que muitas vezes, as pessoas que por lá passam diariamente, em passos apressados e olhar distraído.

Não vou à baixa com frequência! Mas sempre que o faço, passo pela Lello! E compreendo o que dizes, quando olho o espanto dos turistas!

É verdade que a parte histórica da cidade quase se resume à Ribeira nos guias turísticos! Mas há tanto mais para ver! Então a nível de raridades como a Lello!

Sim, Portugal turístico não está (nem estará?!) tão cedo, organizado como a Espanha :(

Está 'pérola' deveu-se ao orgulho que senti ao ler o artigo no 'Lonely Planet'!

Sensibilizada pelas palavras tão fraternas!

Boa semana!
Um beijo,



,

Fragmentos Culturais said...

... sem dúvida, 'Herético'! Um lugar de culto a encher-nos os sentidos!

Um beijo afectuoso,

Fragmentos Culturais said...

Eli, não podes!! Não deixes de passar pelo Lello! E reserva algum tempo para por lá ficar...
:)

Fragmentos Culturais said...

... é sim um lugar de enorme beleza, 'Fragmentos Repartidos'!

Convido-te a visitar, com tempo... vais adorar permanecer, sentir a luz entrar, filtrar-se pelos esplendorosos vitrais, admirar as estantes, subir e descer a escadaria com lentidão, para não perder nenhum dos pormenores que a rodeiam!

É mesmo um prazer redobrado, folhear livros aqui, ler, aspirar a atmosfera envolvente!

Foi um prazer 'reencontrar-te por aqui!

Fragmentos Culturais said...

... não te sabia tão portuense, 'aflores' !
Acredito! Não tenho dúvida que conheces a Lello em pormenor!

Sentirás assim o orgulho de ver este espaço nas páginas do melhor guia turístico mundial :)

Sei que a baixa, mais precisamente esse 'quarteirão', virou moda na noite da cidade! Mas não posso crer
que possa virar um bar tal raridade!

Bom, já vi lugares belíssimos na Europa com espaços culturais abertos ao lazer, mas tudo com muita ordem e comedimento.

Tão bom sentir-te por aqui! Sinal que estás bem :)

Fragmentos Culturais said...

'merecid.íssimo re.canto de en.canto... verdade, Paulo!

Nele te sentirás enleado, por horas, folheando livros, aspirando os aromas do papel... à mistura com o do café (penso que ainda servem, no 1º piso)... eu adoro ler junto ao aroma de um bom café tradicional. como só na baixa ainda sabem preparar!

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Caro amigo Petrus,

Este post. como já escrevi, deveu-se à alegria sentida ao ler o texto tão enaltecedor da editora 'Lonely Planet' !
Senti-me envaidecida de poder partilhar este lugar de culto com todos os que por aqui passam!

Não pode perder, quando passar pelo Porto! Traga este espaço gravado na sua agenda... com tempo, é preciso tempo... para saborear, contemplar, ficar a fruir do que o envolve, neste espaço!

Sempre muito afectuoso nas suas palavras! Muito sensibilizada!

Uma boa semana!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... será um local a revisitar quando volares ao Porto, 'lilá(s)'!

Tem uma mística muito especial que deve ser fruida, em diferentes visitas...

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Hum! Já somos duas 'poetic girl' :)

É verdade que por vezes deparamos com pessoas a trabalhar em livrarias que... enfim! Deveria ser dada prioridade a 'amantes' de livros!

Eu adoraria trabalhar numa biblioteca! Mais intimista e silenciosa!

Foi um prazer 'reler-te' em fragmentos'!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

"Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria." As palavras sábias de Jorge Luis Borges... que citou e que eu conhecia, só vêm enriquecer este post, cara Isabel!

A livraria Lello é mesmo belíssima!
Impensável não a conhecer, apreciar pormenorizadamente, fruir da intensidade dos vitrais e do contraste de cores dos diversos elementos! E depois, há livros! Livros espalhados pelas mesas, nas estantes, há os aromas mesclados, há cultura à nossa mão...

Não deixe de visitar numa próxima passagem pela cidade! Mas reserve tempo, como já disse a outros amigos-leitores de 'fragmentos'! Tempo para ler, para passear o olhar, para sentir este ícon da cultura literária!

Foi um prazer lê-la neste meu espaço! Gostaria que por aqui continuasse a passar...

Saudações