Friday, April 9, 2010

Dee Dee Bridgewater na Casa da Música






Dee Dee Bridgewater
Margot Schulman/ Kennedy Center 2009

Ninguém duvida que não deixaria passar Dee Dee Bridewater! E na Casa da Música! Naquela sala lindíssima!

Razões!? Adoro bom jazz! Adoro Billie Holiday! Adoro a sala Guilhermina Suggia! Não são razões suficientes?!

Pois bem! Foi na terça-feira, dia 6 de Abril! Uma noite envolvente ao som daquele jazz muito New Orleans, um jazz baseado na verdadeira improvisação instrumental que está na essência deste género musical tão rico de sonoridades e empatias! E Dee Dee Bridgewater apresentou-se  talentosa como uma diva! 

Hoje quase não se pode falar de divas em jazz! Isto se quisermos referir  'grandes vozes clássicas' do jazz. Se assim se pode falar de jazz?! 

Vozes que enchem o nosso imaginário musical, de Billie Holiday a Ella Fitzgerald, de Nina Simone a Sarah Vaughan. Ora, é nessa linha que Dee Bridgewater é uma das poucas divas do jazz actual.



Billie Holiday

A cantora, numa intensa tournée de um ano, veio apresentar, directamente de Boston, o seu último trabalho, um tributo pessoal "To Billie with Love - Celebrating Lady Day!" 

I thought I'd take a risk and show that Billie Holiday was a whole woman, not this dark, depressing victim who gets portrayed in a maudlin and stark way," 

Dee Dee Bridgewater*

Billie Holiday, a mítica lenda do blues, desaparecida prematuramente há 50 anos.  Inesquecível!

Holiday, who died tragically at 44, was known for her muted, introspective voice and reserved stage presence. Bridgewater's booming instrument and kinetic energy seemed strangely at odds with the legend she was invoking. Was this a case of mistaken jazz identity?


Assim se lê numa crítica de Josh Getlin no LA Times online em 15 de Março último.
Em certa medida,compreendo-o! Quem aprecia profundamente Billie, e eu incluo-me nesse grupo, jamais encontrará quem a iguale. Nem tal se pretende! Era um ser com uma aura muito especial. 

Holiday tinha estilo e personalidade, e, sem uma voz com grande técnica, soube criar sofisticados efeitos musicais, a sua dicção era unique e o seu fraseio dramaticamente intenso.

Abstrai dessa ideia. Fui apenas ouvir um tributo a Billie cantado por Dee Dee! E gostei!


 Dee Bridgewater/Mark Higashino

Senhora de uma personalidade muito própria, incontestável riqueza sonora na voz bem burilada e portentosa, plena de cambiantes rasgadosDee Dee cantou Billie bem ao seu jeito! 

“Billie deserves to have her music heard in another light”


Dee Dee*


E foi assim que fez ouvir Billie! Alegre, extrovertida, esfuziante, em cima do palco, Dee Dee cantou, ora seguindo as melodias, ou fugindo-lhes, ora prolongando as notas, a brincar no scat, ora a imitar o saxofone, num diálogo bem intenso com Carter e os diferentes instrumentos que complementavam sua voz. 

“This was my dream band,” says Bridgewater. “I got to work with these musicians who I’d been dying to play with. I thought, I can’t miss. With this band I can have a hard-swinging, touching celebration of Billie’s music.”


Dee Dee*

Ela foi extraordinária. Pela intensidade, energia, sentido de espectáculo, alguma teatralidade, elegância, sedução, sensualidade, e alma! Dee Dee esteve brilhante! E que músicos de qualidade naquele quarteto!

Numa melodia, senti a aproximação ao timbre e fraseio intimista de BillieYou've Changed com James Carter fazendo soar o seu saxofone num tom muito smoky soul. Para mim, o momento mais belo e intimista da noite.




This album is my way of paying my respect to a vocalist who made it possible for singers like me to carve out a career for ourselves.

Dee Dee Bridgewater*

Uma autêntica noite de jazz, como já não ouvia há muito tempo! Com direito a um encore.

A sala Suggia transfigurou-se! Como já se havia transfigurado com Peter Murphy
A música tem destas coisas!

"A música tem pois esse carácter libertador em relação aos obstáculos que pressentimos na linguagem." [...]


Michel ButorO Livro e a Música, Diálogos France Culture


G-S 

Fragmentos Culturais

08.04.2010
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®  

Licença Creative Commons

Referência: 
Dee Dee Bridgewater, Official Website


24 comments:

Rosemeri Sirnes said...

Tão empolgante esse seu relato, que eu vou correndo conferir Dee Dee.

Bom fim de semana.

Susaninha said...

Hummmmm que bom G.
Contagiaste -me:):)
Quando se tem assim uma boa noite , com boa musica...ficamos diferentes,não achas???

COM UMA ENERGIA BOA, CAPAZ DE SALVAR O MUNDO.
Hummmm temos que combinar assim uma saída:):)
Ia ser um must:)

Raquel said...

Adoooro Jazz Gi! Que bom, faz-me viajar tanto e achar que devia ter nascido há 50 anos atrás! :)
Ella, Billie, Nina Simone e ouço algumas vozes actuais como a Jane Monheit. Enquanto escrevo este post estou a ouvir a Dee Dee! :)

Lilá(s) said...

O teu entusiasmo é contagiante e imagino que o espectáculo deve ter sido mesmo extraordinário! quando isso me acontece fico vários dias a falar sózinha, tu escreves! muito bom post.
Bjs

Avelaneira Florida said...

Fragmentos,
embora não tenha um sentido muito próprio de aproximação a algumas formas de jazz, adoro ouvir Billie Holiday...
Mas o relato que nos deixas é deveras sentido!!!!
Que a música continue a tocar dentro de ti!!!!
Há momentos mágicos...e eles merecem ser intensamente vividos!!!!
BOM FIM DE SEMANA!!!!!
BJ.

Eli said...

Olá!

Até me sinto culpada por ser tão inculta!

:)

Rafeiro Perfumado said...

Eu e o Jazz temos uma relação semelhante à de um Presidente da Câmara e o Tribunal de Contas...

Gonçalo said...

Feliz de quem vive no Porto para desfrutar de grandes espectáculos culturais. Partilhem-nos também!

:)

Um beijo e bom fim de semana ***

heretico said...

que bom! e que inveja...lol
adorei a tua "reportagem"

beijos

Brancamar said...

Senti-me contagiada, para além de gostar de Jazz, transportaste-me para essa noite maravilhosa que passaste na Casa da Música.
Vem aí o Verão e com ele muita música ao ar livre e teremos o já habitual Jazz no Parque, em Serralves, pois. Tenho a certeza que verei aqui uma interessante reportagem sobre o tema.

Até lá vou deixando beijinhos e venho cá pôr-me em dia com a cultura.

Eli said...

Um grande beijinho para uma grande mulher! É um privilégio partilhar dessa energia aliada à doçura!

:)

Fragmentos Culturais said...

... espero que tenha gostado de ouvir Dee Dee, Rosemeri!
Este tributo a Billie está lindo!

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... mas que bom, Susaninha!
É que se lá estivesses, dificilmente pararias sossegadamente, em teu lugar! O ritmo do blues foi fantástico!
Quase ninguém resistiu :)

Pois dou-te plena razão! Uma boa noite de música pode alimentar a nossa sensibilidade horas, sem fim! É a evasão...

Beijinho grande,

P.S. Por mim, está combinada ;)

Fragmentos Culturais said...

Adoras Jazz, Raquel?! Não chegámos a falar de música, suponho eu... ter-te-ia desencaminhado (mais a Susaninha) para este concerto :)

Não penso que seja necessário nascer numa determinada época, há 50, há 100 anos!
Com as apuradas tecnologias que hoje são um sonho sempre aperfeiçoado, as vozes mais belas chegam até nós, num gesto simples :)

Jane Monheit, Stacey Kent, Diana Krall que adorei ouvir no Coliseu e no Rivoli (logo no início de carreira, muito antes de 'se comercializar'), Norah Jones (fui de propósito ouvi-la à Aula Magna) e algumas outras, são vozes diferentes!! Cantam jazz, mas um jazz diferente. Gosto de todas as vozes que aqui falamos... talvez de um jeito intímo, Norah!

Acho que não poderias ter escolhido melhor companhia para leres este 'post' ;)

Beijinho,

jefhcardoso said...

Dee Dee é uma delícia!

Fragmentos Culturais, ouça: fui feliz em meu oi. Foi um oi que se tornou valioso quando lhe trouxe ao meu blog. Espero lhe ver outras vezes mais. Muito obrigado e abraço!

Fragmentos Culturais said...

... é verdade que sou 'suspeita' porque adoro jazz!!
Mas o concerto foi fantástico! Mesmo!!

Depois de espectáculos destes, dá-me para divagar em impressões minhas, sempre subjectivas, é claro! Mas o belo prazer estético fica-me na alma!

Muito obrigada pelas palavras amigas, 'Lilá(s)'
Um beijo

Fragmentos Culturais said...

... e ouves o expoente máximo do jazz cantado, 'Avelaneira'! Queres melhor aproximação do que Billie Holiday?

Bem, eu adoro mesmo jazz! E gosto de partilhar algumas das coisas que aprecio, sob o ponto de vista estético-musical com os amigos que têm a sensibilidade de me ler em 'fragmentos'! Tu és uma das mais fiéis! Muito obrigada :)

Sim, há momentos mágicos, ou quase mágicos e por isso os vivemos intensamente!

O fim-de-semana está aí. Já é sexta-feira :)

Bom descanso e excelentes lazeres!
Beijo,

Fragmentos Culturais said...

Olá Eli!

... não digas isso! Cada um de nós tem seus interesses que desenvolve a seu bel prazer...

:)

Fragmentos Culturais said...

Não poderias ser mais explícito, 'Rafeiro Perfumado'...
;)

Foi um enorme prazer saber-te de volta!

Fragmentos Culturais said...

... pois eu diria, feliz de quem vive em Lisboa! Aí é que tudo se passa!!

Por aqui, temos apenas alguns 'fragmentos' mas que nos enchem a alma!

Aqui tens a minha humilde partilha! Não é o que faço sempre?

Continuação de um excelente 'sonho vivido' :)

Beijos**

Fragmentos Culturais said...

... foi mesmo bom, 'Herético'!
Essa inveja não faz mal! É positiva :)

Bem, não considerei que escrevi uma 'reportagem', mas sim um resumo do que vi, ouvi... e gostei ;)

Beijo,

Fragmentos Culturais said...

Que bom, 'Brancamar'! Mas, se não tivesse sido um concerto fantástico, dificilmente conseguiria 'contagiar-te. não é mesmo?!

Sabes que fui fã dos primeiros 'Jazz em Serralves'! O espaço é divinal! Mas estes dois últimos anos, não consegui lá ir! Houve sempre qualquer coisa que me impediu. Quem sabe este ano?!

Sensibilizada pelas palavras tão amistosas!

Um lindo fim-de-semana!
Beijo,

Fragmentos Culturais said...

Eli, é sempre tão bom ler-te por aqui!

Excelente fim-de-semana!
Beijinho grande

Fragmentos Culturais said...

... é um facto, 'Jefh'! Nunca deixo de agradecer a meus leitores, retribuindo sua visita!

Foi um prazer reler suas palavras! Foi também um prazer conhecer seu espaço!

Bom fim-de-semana!
Abraço,