Sunday, March 14, 2010

Jean Ferrat




Jean Ferrat


Jean Ferrat


Jean Ferrat morreu. Acabo de tomar conhecimento. O poeta cantor morreu.

Rien n'est précaire comme vivre
Rien comme être n'est passager
C'est un peu fondre comme le givre
Et pour le vent être léger
J'arrive où je suis étranger

Jean Ferrat, J'arrive où je suis étranger

Le chanteur Jean Ferrat est mort samedi 13 mars à l'âge de 79 ans à l'hôpital d'Aubenas, à une quinzaine de kilomètres de son village d'Antraigues-sur-Volane, en Ardèche. Artiste engagé, (...), il était l'auteur, l'interprète et le compositeur de plus de deux-cents chansons.


Um cantautor que acima de qualquer ideologia soube cantar Aragon, dedicou composições a Neruda e Lorca, poetas de referência das minhas leituras de autor.

Considerado o último dos grandes nomes da 'chanson française', ao lado de Jacques Brel, Leo Ferré e Georges Brassens, morreu neste sábado, dia 13 de Março 2010, segundo informação das autoridades locais em Ardèche (sul da França), onde vivia.

Tocou em cabarets parisienses numa orquestra de jazz, no início da sua carreira. Só depois se tornou autor e cantor.



Nascido Jean Tenenbaum a 26 de dezembro de 1930 em Vaucressson (um subúrbio parisiense), Jean Ferrat perdeu o pai quando tinha 11 anos, um judeu russo que foi deportado para o campo de concentração nazi de Auschwitz, onde acabou por morrer. O cantor foi salvo por militantes comunistas, algo que nunca mais esqueceria.

http://diariodigital.sapo.pt

Em 1974 e 1995, Jean Ferrat consagrou com sucesso dois albums a Louis Aragon. O cantor poeta que, imbuido de uma sensibilidade natural, soube pôr em música os textos de Aragon: Que serais-je sans toi ?, Heureux celui qui meurt d'aimer.



Réticent à passer à la télévision, le chanteur sort d'un long silence en 2003, pour l'émission Vivement Dimanche" de Michel Drucker. Il y défend ses deux passions, la chanson et la politique, s'insurgeant notamment contre la grande industrie du disque qu'il estime dangereuse pour la liberté de création.


As sua canções ficam na memória poética de todos aqueles que apreciam a vaga da 'chanson française'.
 
Como escreveu um blogger francês, "Jean Ferrat n'ira pas au Panthéon, il y est déjà!"
 
 
Ah c'est toujours toi

que l'on blesse
c'est toujours ton
miroir brisé
Mon pauvre bonheur,


Louis Aragon, Aimer à perdre la raison, extrait
 
 
G-S

Fragmentos Culturais
 
14.03.2010
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®    



* A Daniel pela sensibilidade do gesto.
A Gonçalo que estendeu tal gesto.

12 comments:

Lilá(s) said...

Também fiquei triste quando hoje tive a noticia, mais uma voz incunfundivél se perdeu.
Bjs

Sonia Schmorantz said...

Mas ele ainda viverá através dos tempos pela voz que emprestou às músicas, são clássicos que sempre vão encantar o mundo.
beijos, ótima semana

Daniel Silva (Lobinho) said...

SE o Daniel sou eu e o gesto o que falei do prémio, sinto-me elogiado com este post apesar do motivo substantivo.

Gostei de algumas citaçoes da letra e do video.

Obg pela partilha, amiga :)

Fragmentos Culturais said...

Não era fã incondicional de Jean Ferrat, 'Lilá(s)', mas senti alguma tristeza pelo desaparecimento do 'último' representante da vaga 'chanson française'!

A França deixou de ter 'canção francesa' há algum tempo...

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Sem dúvida, Sónia! Será para sempre relembrado por todos aqueles que o admiravam e ouviam!

Excelente semana!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... sem dúvida que é a ti que agradeço o gesto, Daniel 'Lobinho':)

Quando algum leitor amigo me atribui um 'selo', o 'post' seguinte é-lhe sempre dedicado, independentemente da temática!

Já te expus os princípios que estão subjacentes à fundação deste espaço meu! E sei que compreendes!

Quanto a Ferrat... Ferrat, para mim, tem o valor de cantar Aragon! É pela vertente literária que o admiro!

Depois lamentei a sua morte pela razão de ser o último da geração 'chanson française'! Embora a 'chanson française' que admiro passe por outros representantes, ligeiramente diferentes!

Quanto às citações... 'Aragon é Aragon'! Os versos [alguns versos] da canção 'J'arrive où je suis étranger' de muita profundidade! Sobretudo os dois primeiros...

Mais uma vez sensibilizada pelo 'teu' gesto!

Linda semana!
Um beijo,

... estendi o agradecimento a 'Gonçalo', ao tomar conhecimento que ele teve o mesmo gesto.

Avelaneira Florida said...

Fragmentos,

estes dias têm sido um autêntico "turbilhão"!!!!!
Nem sempre a necessária serenidade para visitar devidamente os amigos...ou sequer para cuidar da minha mesa!!!!
E os acontecimentos sucedem-se e ultrapassam-nos!!!
Sinto falta da música, da literatura francesas!!! Muito.
Qualquer perda torna-se irreparável!!!!
E já vou de "partida"!!!!
Fica BEM!!!!!
Bj.

heretico said...

estamos ficar mais pobres de referências culturais...

beijo

Å®t Øf £övë said...

As suas canções, e a sua poesia, perdurarão para sempre na nossa memória.
Bjs.

Fragmentos Culturais said...

... acredito, 'Avelaneira'!
E depois, mesas de trabalho são sempre assim! Cheias de papéis, livros, alguma confusão também :)

A cultura francesa 'terminou'! Nem os próprios franceses sabem qual a sua cultura, actualmente!

A música não há mesmo! Quanta à literatura ainda se vai encontrando uma ou outra referência!
Suponho que a única resistência se mantém no cinema, mas tão ténue...

Faço votos para que, nos poucos dias que se aproximam de 'pausa', possas voltar aos teus prazeres e teus amigos!

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... suponho que a massificação da cultura tenderá a fazer desaparecer as referências culturais, 'Herético'...
Não sou contra! Teremos de ter um olhar diferente, talvez?!

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Embora não fosse um cantautor da minha preferência, 'Art', reconheço que o facto de cantar Aragon o tornou inesquecível!

Um beijo,