Monday, March 22, 2010

E no Dia Mundial da Poesia...




Pessoa
Júlio Pomar (1985)


Ah! querem uma luz melhor que a  do Sol!
Querem prados mais verdes do que estes! 

Querem flores mais belas do que estas que vejo! 
A mim este Sol, estes prados, estas flores contentam-me.
Mas, se acaso me descontentam,
O que quero é um sol mais sol que o Sol,
O que quero é prados mais prados que estes prados,
O que quero é flores mais estas flores que estas flores -
Tudo mais ideal do que é do mesmo modo e da mesma maneira!
Sim, choro às vezes o corpo perfeito que não existe.
Mas o corpo perfeito é o corpo mais corpo que pode haver.
E o resto são os sonhos dos homens,
A miopia de quem vê pouco,
E o desejo de estar sentado de quem não sabe estar de pé.
Todo o cristianismo é um sonho de cadeiras.

E como a alma é aquilo que não aparece,
A alma mais perfeita é aquela que não aparece nunca —
A alma que está feita com o corpo
O absoluto corpo das cousas,
A existência absolutamente real sem sombras nem erros,

A coincidência exacta e inteira de uma cousa consigo mesma.




Alberto Caeiro, Ah! querem uma luz melhor do que a do Sol
in Poemas Inconjuntos

Poesia , Assírio & Alvim, ed. Fernando Cabral Martins, Richard Zenith, 2001

... ontem 'Dia Mundial da Poesia' Pessoa, ou melhor Álvaro de Campos, foi ouvido em Maratona no CCB.

Não que tenha algo contra estas manifestações de massificação da cultura!

Muito pelo contrário! A cultura deve chegar a todos! Mas, nem todos os poetas serão compreendidos em maratona...


G.S.

Fragmentos Culturais

22.03.2010
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

9 comments:

Rosemeri Sirnes said...

O dia da poesia está assim colado ao meu dia, deve haver alguma coincidência nisso. Nada melhor do que Pessoa para abençoar o dia.

Ana said...

Falta lembrar a imortal Sophia... :)
no fundo, todos nós temos um bicho poeta dentro de nós!Basta acordá-lo! :)
bjo

Avelaneira Florida said...

Fragmentos,

talvez por isso eu prefira mais a Poesia em todos os dias!

A sério.
E já vou de volta aos meus "Papéis" em "catadupas"!!!!
Tudo de BOM!!!!
BJ.

Daniel Silva (Lobinho) said...

Concordo em absoluto. Tal como o mar flui depois do rio que nele se esgota e ramifica, assim a poesia deve ser absorvida e "interiorizada". Há boas intenções... mas podem ter o efeito contrário.

Gostei do resgisto :)

bjinhos amigos

Fragmentos Culturais said...

Hum! Teu dia Rosemeri?! Será que foi teu aniversário? Vou ver...

Sem dúvida! Pessoa será uma excelente 'companhia'!

Fragmentos Culturais said...

Tal como tu, Ana, também eu tenho um gosto muito initimista por Sophia!

Sim, quase todos nós gostamos de 'poetar' um pouco, poetizando o que escrevemos, não na forma, mas na expressividade :)

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

...sem dúvida que todos os dias são dias de Poesia, 'Avelaneira'!
Mas,estas celebrações são importantes! Leva a poesia mais perto daqueles que não têm por habito lê-la no seu dia-a-dia!

Nem todos são privilegiados em relação ao gosto da literatura! Constrói-se devagarinho, e constrói-se pelo prazer que temos e passamos...

Espero ler-te mais 'desanuviada' de papéis brevemente :)

Tudo de bom, para ti também!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Daniel,
Há poesia de fácil 'absorção'! Há poesia de maior interiorização! Estamos de acordo!

Dar poesia a conhecer, no 'Dia da Poesia' é uma dádiva muito bonita!

Mas Pessoa, ou melhor, Álvaro de Campos em 'maratona'!!

Afinal falou-se dos nomes que o disseram, mas não se falou das palavras de Pessoa...
O acto está aí! Nas intenções...

Um beijo amistoso,

Fragmentos Culturais said...

... os poetas são levados às escolas, suponho eu, pela voz dos professores de literatura, pela voz dos próprios poetas, quando convidados pelos professores, pela voz dos alunos que afinal descobrem, incentivados, que também eles podem 'poetar'...
e quem sabe? - virem a ser, poetas!

Assim têm nascido muitos jovens escritores e poetas! Pelas mãos de quem ama a literatura e a sente!

Não esquecer a importância do gosto pela literatura em ambiente familiar!

Um beijo,
...este poema é um dos meus 'íntimos'...