Tuesday, March 17, 2015

Al Di Meola na Casa da Música




Al Di Meola
credits: Al Di Meola 
https://www.facebook.com/AlDiMeolaMusic

Voltei à Casa da Música. Uma quarta-feira à noite. Foi no dia 4 Março. Ouvi de novo Al Di Meola.

A sala Suggia completa para ver, e ouvir o virtuoso guitarrista norte-americano. Levou ao rubro a plateia que o aplaudiu continuadamente, deixando-se enlear pelo entusiasmo e entrega de Al Di Meola, reinventado na superior vivência intrínseca de fazer música. All Your Life homenageia a pop e os seus ídolos de juventude, The Beatles, em versões acústicas, centradas na sua guitarra e nas suas mãos prodigiosas. Um deslumbramento para todos os nossos sentidos. 

"I'm happy to convey my love of this in my new interpretation of these great songs! "
Al Di Meola


Al Di Meola
credits: Al Di Meola 

Acompanhado por um pianista, um baterista/percussionista e um outro guitarrista, o criador do jazz-latin de tudo tocou, personalizando num conforto permanente, sonoridades das mais diversas culturas musicais. Um tributo ao companeiro Paco Lucia, com quem o vi na na sua primeira passagem pela cidade.

Ouviu-se música de excelência, numa linguagem erudita, mas com inata naturalidade, em entrega emocional, que o levava a sair quase da cadeira, em gestos ritmados, momentos de arrebatamento transcendental.



Al Di Meola
credits: Al Di Meola 

E depois há aquele estar em palco, um sorriso franco, alegre, a conversa coloquial, num todo associado à musica esfuziante que levou ao calor dos aplausos constantes.

Ah! E veio versão a solo And I love her... que o próprio músico complementou com a expressão: How I love this song! - sentiu-se a alma com que a interpretou acusticamente. Pat Metheney me emociona assim.

Soube tão bem ouvir, sentir, acompanhar em cada minuto, aplaudir calorosamente no final da noite. Um concerto que perdura para além do espaço, do tempo. Fica em nós.



Al Di Meola
credits: Al Di Meola 



Depois de mais do que un encore, o concerto terminou com uma ovação imensa, por parte de uma sala Suggia inteiramente de pé. Ao contrário de muitos outros, Meola optou por "preservar as harmonias e melodias originais, mantendo os temas plenamente reconhecíveis e refazendo apenas a sua identidade rítmica." E Al Di Meola sentiu-se grato, feliz. Uma noite inesquecível.


Al Di Meola é um músico único. Eleito quatro anos consecutivos como melhor guitarrista de jazz pelos leitores da Guitar Player, entre as décadas de 70 e 80, Al Di Meola é uma das referências fundamentais do jazz latino e de fusão.

Al Di Meola is one of the most prominent virtuosos and most influential guitarists in the contemporary jazz field. 

"This project is a lifelong dream long overdue and immensely fulfilling!"

Al Di Meola

G-S

17.03.2015
Copyright © 2015-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Nota: As fotografias publicadas pertencem ao guitarrista, e não se referem ao concerto na Casa da Música, dada a inibição imposta de retirar imagens. Mas estão próximas das imagens do concerto.

10 comments:

João Roque said...

Um grande concerto, sem dúvida.

aflores said...

Depois de uma noite assim, só podemos perguntar «quando é a próxima?»

Tudo de bom.

Daniel C.da Silva (Lobinho) said...

Compreendo muitíssimo bem a sensação que descreves das ovações, dos crescendos emotivos e até de se tratar de um dia de semana, sendo que são enésimas as actividades em dias de semana, por vezes mais e até melhores que algumas agendadas também no fim de semana... Seja como for e mesmo não sendo um dia de semana nem tendo necessariamente de ser os Al Di Meola, obviamente que sentimos as fibras vibrar dentro de nós...

Um beijo amigo

heretico said...

limito-me a ler o texto belo texto e...

por ti "viver" o momento.

beijo

G- Souto said...

Foi, sem dúvida, João ! Daqueles concertos que nos enchem a alma.

G- Souto said...

...pois, também eu aguardo um outro concerto que possa levar-me a experienciar este tipo de química.

Tudo de bom. 'aflores'
:-)

G- Souto said...

...pois, também eu aguardo um outro concerto que possa levar-me a experienciar este tipo de química.

Tudo de bom. 'aflores'
:-)

G- Souto said...

Tens razão, Daniel, são raros os concertos desta qualidade num dia, assim a meio da semana. E como bem dizes, quantas vezes ultrpassam a qualidade dos programados para fins-de-semana.

Quase todos estes concertos, não têm sido 'agendados' pela Casa da Música, mas por organizações externas que 'propõem', com preços impostos de bilhetes, e a Casa da Música adere. Só trazem benefício aos verdadeiros apreciadores. Foi assim com Glenn Miller Orchestra, que adorei, e com Luz Casal, entre outros. Todos eles excelentes concertos.

Num concerto como o de Al Di Meola, foi difícil ficarmos quietos, nas cadeiras. Demasiado 'blues' !

Beijo amigo, Daniel

G- Souto said...

... fico sensibilizada, 'Herétioo'.

Quem sabe um dia vens até à Casa da Música 'viver' momentos como este :-)

beijo

G- Souto said...

'aflores', teu blogue já 'apagaste'... saudade :-(

Deixo então aqui, meu votos amigos de uma Páscoa linda na companhia da família.

Tudo de bom, sempre!
( e o agradecimento de continuares a visitar 'fragmentos')