Monday, May 27, 2013

Príncipe de Asturias 2013 : os premiados !





Source: pbs.org via CLIO Awards on Pinterest


Annie Liebovitz | Meryl Streep

E eis-me de novo a escrever sobre Prémio Príncipe de Asturias! Obrigatório. É que este ano, o Premio Principe de Asturias, um dos mais reconhecidos galardões no campo das Artes, premeia duas figuras que admiro. Muito!

Annie Liebovitz, fotógrafa norte-americana, vencedora do Prémio Comunicação e Humanidades 2013, pelos 42 anos de carreira, a maioria dos quais dedicados ao retrato.

Michael Haneke, director cinematográfico austríaco, considerado o 'poeta do desassossego cinematográfico', vencedor do Prémio das Artes 2013.



Annie Leibovitz, nascida em Waterbury (Connecticut) estudou pintura no Instituto de Arte de San Francisco ao mesmo tempo que frequentava aulas nocturnas de Fotografia. Tornou-se fotógrafa reconhecida nos anos 70. A timidez no trato contrastava com as fotos teatrais e psicológicas que se tornaram a sua assinatura enquanto artista.

Presente nos tempos da contra-cultura nova-iorquina, confessou numa entrevista que, nessa altura, se sentia fracassar sempre que não tirava uma boa fotografia. 

Em 1971, Annie Leibovitz começou a trabalhar na revista Rolling Stone, e aí iniciou a fotografia artística de estrelas da música. 



Source: pbs.org via CLIO Awards on Pinterest


Annie Leibovitz | Mikhail Baryshnikov

É uma das fotógrafas mais respeitadas no campo cultural e político dos Estados Unidos. Diante da sua objectiva posaram personalidades da dança, rock, desporto e líderes políticos, bem como a maior parte das estrelas de Hollywood.

É sua, a icónica fotografia de John Lennon e Yoko Ono abraçados na cama. Segundo a fotógrafa, retratados na véspera do assassinato do músico e compositor, ex-membro dos The Beatles.

Fotografías de Leibvitz  têm estado patentes em exposições, museus e galerias de todo o mundo. Locais conceituados como a National Portrait Gallery do Instituto Smithsonian (Washington) - foi a primeira mulher e o segundo fotógrafo vivo a ter esse privilégio - Internacional Center of Photography (Nova York), Stedelijk Museum (Amsterdão), Maison Européenne de la Photographie (París), National Portrait Gallery (Londres), Hermitage Museum (São Petersburgo) e Pushkin Museum (Moscovo).





Annie Leibovitz
London

Ganhou o CLIO Honorary Award 2012 por ser autora dos mais belos retratos (fotografia) do nosso tempo. 

"CLIO Award recognizes individuals who are changing the world by encouraging people to think differently".
Não deixe de visitar o seu portefólio  na rede social Pinterest.



Michael Haneke | Reuters
Michael Haneke, nascido em Munique, estudou Filosofia, Psicologia e Teatro na Universidade de Viena. O seu penetrante e radical olhar sobre a sociedade tem-lhe permitido explorar terrenos desconhecidos, sendo um dos mais destacados autores e realizadores do cinema contemporâneo europeu, reconhecido mundialmente.

Entre a sua filmografia iniciada em 1981, contam-se películas como The Piano Teacher (2001), baseada no romance homónimo de Elfriede Jelinek, Prémio Nobel da Literatura, Funny Games (1997-2007), Caché (2005), The White Ribbon (2009).




Amour
Michael Hanek2, 2012

Com seu último trabalho, Amour (2012), um retrato da incondicionalidade do verdadero amor e da desolação e desespero da deteoriação física na velhice, Haneke  conquistou de novo a 'Palme d'Or' do Festival de Cannes 2012, o Golden Globe 'Melhor Filme Estrangeiro' e dois Oscars (Melhor Realizador, Melhor Actriz).


G-S


Fragmentos Culturais


26.05.2013

Copyright © 2013-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

2 comments:

João Roque said...

Desconhecia quem tinham sido os vencedores deste consagrado galardão cultural, neste ano, e ainda menos a data da sua atribuição; tendo consagrado uma postagem recente a Annie Leibovitz, se esse prémio já lhe tivesse sido justamente concedido tê-lo-ia decerto referido.
Também muito justo, como é óbvio, o prémio do realizador austríaco.

Fragmentos Culturais said...

Conhecia algum trabalho de Annie Leibovitz, mas foi muito bom ler/ouvir mais sobre ela. Grande esteta!

Quanto a Haneke, 'Melancholia' rendeu-me completamente... o mais belo filme 2011, na minha opinião. 'Amour', uma temática trabalhada com intensidade e afecto.

Muito obrigada, João, por te manteres tão 'presente', mesmo quando me ausento tanto!