Saturday, October 8, 2011

12ª Festa de Cinema Francês




Está a decorrer a 12ª Festa de Cinema Francês. Iniciou-se dia 6 Outubro e hoje dia 7 decorreu na Cinemateca Nacional uma sessão de homenagem à actriz Anouk Aimée.



"Da sua primeira personagem no cinema, com  14 anos, adoptou o nome: Anouk Aimée foi uma sugestão de Prévert que lhe escreve um papel à medida em Les Amants de Vérone de André Cayatte, tornando-a numa actriz requisitada por muitos realizadores. Jean Genet, Jean Cocteau e Raymond Queneau, fizeram parte do seu círculo de amigos."

Por motivos alheios à organização, Anouk Aimée não esteve presente hoje, dia 7 Outubro na sessão de homenagem que a Cinemateca Nacional e a organização da Festa do Cinema Francês lhe preparara. Diz-se que por questões de saúde. Suponho que os seus admiradores ficaram bastante desiludidos.



Da programação desta homenagem fazem parte filmes como La Dolce Vita de Federico Fellini, Prêt-à-Porter de Robert Altman,  Un Homme et une Femme de Claude Lelouch e outros. A programação deste homenagem poderá ser consultada aqui


"A Madalena de La Dolce Vitta  de Fellini, com quem voltaria a filmar Oito e meio (8 ½), catapulta-a internacionalmente. Lola de Jacques Demy – papel que reinterpreta mais tarde  em Model Shop – e  Um homem e uma mulher de Claude Lelouch, onde contracena com Jean-Louis Trintignant, consagram-na definitivamente. O seu papel no filme de Lelouch valeu-lhe uma nomeação para os Óscares. Em 2002, recebeu um César de honra, e em 2003, O Urso de Ouro (Festival de Berlim) pelo conjunto da sua carreira."

A Festa do Cinema Francês prolonga-se até 8 Novembro e percorrerá seis cidades portuguesas. Este ano com uma componente muito apelativa para os mais novos. O Universo da Animação propõe a exibição de filmes animados. A consultar aqui

No Porto, a Festa começará a 19 deste mês com inauguração na Fundação de Serralves. Outras salas de exibição até 23 Outubro: Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett e o cinema Passos Manuel. A ver a programação aqui

Filmes que gostaria de ver? Ellle s'appelait Sarah com Kristin Scott Thomas baseado no obra literária de Tatiana de Rosnay "Her Name Is Sarah", De Vrais Mensonges com a adorável 'Amélie' Audrey Tatou, Un Poison Violent (interessante, o tema musical é o mesmo de The Social Network, uma adaptação do tema Creep dos Radiohead e Les Femmes du 6e étage com Carmen Maura. 
Não deixe de consultar os vários eventos a decorrer paralelamente à exibição de filmes.

Claro, também podem seguir as últimas novidades no Facebook.

Impacientes? Eu estou!


G-S

07.10.2011

Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

8 comments:

pinguim said...

Quantos destes filmes chegarão ao circuito comercial português?

mfc said...

Sou um fã incondicional do cinema francês!
É bem próximo de nós nos problemas abordados.

vitor cunha said...

Do cinema francês adoro a comédia e sobretudo o policial.
O cinema francês é produto de excelentes actores que protagonizam um realismo admirável nas respectivas interpretações e sobretudo na comédia, são altamente favorecidos pela língua e pela mímica
que utilizam com mestria. Apesar de tudo, considero-me um melómano e um audiófilo mais do que um cinéfilo.

Beijo

Lilá(s) said...

Também tenho acompanhado o programa... mas são sempre uteis as tuas informações.
Bjs

Fragmentos Culturais said...

... poucos, muito poucos, João!

Porém, tenho encontrado mais filmes franceses em sala de cinema, nos últimos tempos!

Fragmentos Culturais said...

... já somos dois, 'mfc'!

Na comédia de costumes, a filmografia francesa é muito boa!
E depois, há a proximidade de culturas, sim.

Ah! E a língua tem uma encantadora sonoridade :)

Fragmentos Culturais said...

... eu sabia, 'Lilá(s)! A cultura francesa também te toca :)

Um beijo

Fragmentos Culturais said...

A comédia, também eu adoro! Quanto ao policial francês... já não.

Sim, tens razão, Vítor! É sobretudo a naturalidade dos actores porque os argumentos (e continuo a falar de comédia) são muito próximos do quotidiano.

E claro! A língua é factor muito interessante! A musicalidade!

Eu situo-me nas três vertentes a que aludiste :)

Um beijo
(foi por distracção que 'saltei' a ordem de entrada dos comentários. Lamento Vítor)