Friday, July 30, 2010

António Feio : tributo



António Feio morreu esta quinta feira à noite depois de uma corajosa luta. A arte da comédia em português ficou tão pobre! 
Começou a representar aos onze anos e, no teatro ou na televisão, António Feio ficou para sempre associado à comédia. Da «Conversa da Treta», na personagem do marialva Toni, a «Paraíso Filmes», o actor e encenador deixou muitas figuras na memória de muitos.




Os que amei, onde estão? Idos, dispersos,
Arrastados no giro dos tufões,
Levados, como em sonho, entre visões,
Na fuga, no ruir dos universos…

Antero de Quental, Com os Mortos, 1ª estrofe
in Sonetos *

G-S

Fragmentos Culturais em singela homenagem
30.07.2010
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

* Casa Fernando Pessoa, Banco de Poesia

8 comments:

Avelaneira Florida said...

Fragmentos,

o fim que se adivinhava mas que sempre se esperava que não viesse...

revejo a mensagem que acompanha o trailer do novo filme " Contraluz" e as palavras de António Feio ficam cá dentro num sopro intenso de VIDA!

Morreu António Feio. VIVA António Feio.

Tudo de bom para ti!
Bjs

Cata- Vento said...

Um homem da minha geração, muito apreciado e estimado cá em casa desde que, muito miúdo, começou a representar. Morreu a sorrir para a vida que,apesar disso, o atraiçoou muito cedo. A mensagem que nos deixa aponta para uma visão da vida que só os seres excepcionais como ele assumem.

Bem-hajas, António!

Um abraço fraterno

aflores said...

Faço copy past de um comentário que deixei num dos (muitos) blogues que decidiram homenagear António Feio..."Só me irrita as homenagens depois da morte das pessoas, ou quando se sabe que determinada pessoa tem "aquela" doença.
Aliás, o próprio AF chegou a "gozar" com isso, ou por outras palavras, deixou o "recado" para uns quantos senhores que se julgam donos da nossa cultura enfiarem o capacete".

Desculpa o desabafo.

O meu aplauso ao post e ao homenageado.

Tudo de bom.

Daniel Silva (Lobinho) said...

Talvez nao tanto a maneira como viveu, mas como se empenhou nessa maneira nos ultimos tempos, como que retirando gravidade ou importância à Treta (para parafrasear o programa) da morte, que fez dele (ainda) mais alguém notavel.

BRANCAMAR said...

Já disse noutros sítios o que senti.
É lugar comum falar-se muito de personagens conhecidas do grande público nestas circunstâncias, mas o António Feio não foi só isso, comove-nos como se fosse nosso e é porque nos deu tanto toda a vida e porque nos entrou pela casa dentro até ao fim dos seus dias, com uma força, dignidade e coragem que não pode deixar de ser um comovente exemplo. Sempre me marcam as grandes lutas, quer sejam históiricas ou pessoais, aqueles que não desistem, não se acomodam e morrem como ele de pé, práticamente de pé.
Por tudo isso me sinto de luto, como se de um amigo se tratasse, porque o foi, de todos nós, até pelas recomendações que nos deixou sobre e vida, para que a possamos viver.

Beijos
Branca

Petrus Monte Real said...

Fragmentos

Cara amiga,
Acabo de chegar de férias, deparo-me com esta linda homenagem ao António Feio, que considero muito justa. A sua morte deixa-nos muito tristes e mais pobres. Quando admiramos um verdadeiro artista, colocamo-lo num patamar superior, ao nível do eterno, onde julgamos que ali estará sempre à nossa disposição. Mas enganamo-nos, porque a vida real não é assim.
Ficamos chocados quando, de repente, nos vemos privados dele.
A sua memória perdurará para sempre.
Grato pela homenagem. Destaco os versos com que termina; calam fundo.

Abraço amistoso

(vou continuar no post infra)

Susaninha said...

FOI UM LUTADOR...
E vamos ter Saudades...
Deixou-nos a todos uma lição de vida...
Existe pessoas que dizemos ATÉ SEMPRE....
SUUUrrisinhos:)

Fragmentos Culturais said...

A todos os que exprimiram seus afectos por António Feio... sensibilizada!

Abraço fraterno,