Saturday, July 25, 2009

Amália ao som do Jazz




Mário Laginha | Bernardo Sassetti
www.casadamusica.pt

Ainda tenho os ouvidos presos, impregnados daquelas sonoridades soltas, misto de alegria e melancolia originários do cruzamento destes dois excelentes músicos e pianistas. Trata-se do concerto de ontem à noite, dia 25 de Julho, na Casa da Música.

Na belíssima sala que tem o nome da violoncelista Guilhermina Suggia, as pessoas aguardavam, com curiosidade serena, ouvir a obra inédita. A sala estava praticamente cheia. Mais uma vez o espaço do coro foi aberto. Eu gosto de lá ficar quando se trata de um concerto de piano solo. Dá-nos uma dimensão muito intimista com os solistas, já que bem de perto os admiramos e podemos seguir com maior recolhimento a arte de tocar piano. No entanto, não foi aí que me sentei.


Casa da Música | AP
britanica.com

Para mim, uma sala de concerto é lugar de culto. Aí perpassa um ritual. Essa mística que vai de uma plateia na penumbra, silenciada, para um palco minimalista onde as silhuetas dos concertistas se destacam com grande simplicidade, é de grande partilha.

Não foi diferente desta vez! Os dois músicos solistas fizeram sua entrada no palco, e durante mais de duas horas, encheram a sala de sonoridades portuguesas tocadas em ritmos de jazz numa miscigenação estética de enorme originalidade. 

Mário Laginha e Bernardo Sassetti estrearam com mestria e muita sensibilidade a obra inédita "Trago Fado nos Sentidos", encomendada pela Casa da Música para integrar o ciclo de homenagem a Amália Rodrigues, na passagem dos 10 anos da morte da fadista.



"A música de Mário Laginha e Bernardo Sassetti tem-se cruzado frequentemente em mundos tão diversos como o jazz, a música clássica ou as canções de José Afonso. Desde que tocaram juntos pela primeira vez há quase uma década, têm sido vários os pretextos para novos encontros entre os dois músicos. O fado não é estranho à dupla, tendo já originado novas composições, arranjos e reinterpretações, e é o mote para este concerto dedicado à memória de Amália Rodrigues, dez anos depois da sua morte."

Que me perdoem os admiradores de Amália e do fado! Mas não sou apreciadora do fado, canção nacional representativa do país! Embora reconheça que Amália fez muito por Portugal, e que foi ovacionada nos quatro cantos do mundo, tendo cantado nas melhores salas de música.

Em contrapartida, o jazz é a música que tem tudo a ver comigo! Identifica-se com  o meu universo pessoal.



Mas, aos primeiros acordes, quedei-me, ouvido atento em completa quietude, captando os sons que se desprendiam dos dois majestosos pianos de cauda. Serenidade, graciosidade, ouvia-se em touches ora suaves ora velozes que se espalhavam pela sala.


Foi incontestável a riqueza tímbrica destes dois enormes vultos da música de jazz, numa fusão cuidada, plena de cambiantes rasgados que iam das sonoridades mais extrovertidas às tendências mais intimistas

Partindo de alguns fados celebrizados por Amália, Laginha e Sassetti construíram paisagens surpreendentes, genuinamente portuguesas, bem ao ritmo do jazz.

Houve momentos muito belos! Recordo ao acaso, o fado menor, impregnado de melancolia ou a morna esfuziante de ritmo!

O concerto incluía duas peças originais, uma de cada músico, que bem se enquadraram na temática da noite, deixando transparecer a identidade carismática da composição pessoal.

E todos nós espectadores|ouvintes colocados em espaços distintos, mas usufruindo das mesmas emoções, nos deixámos enlear por tão forte expressão de afectos atirados em música, como rosas perfumadas de mil tonalidades para Amália.

Laginha e Sassetti são inquestionavelmente dois dos mais talentosos pianistas portugueses de jazz da actualidade. E dois compositores de grande qualidade.

E depois, aquela cumplicidade envolvente de tocar juntos que deixaram transparecer, estendendo a sua criatividade muito para além das fronteiras do jazz, saltava para o público num jogo feito de espontaneidade e prazerosa alegria.


Os músicos tornaram ainda mais rico este momento de jazz que por ser feito de improviso, terminou em cadências de blues, num encore a quatro mãos, divertido, quase pueril, como quem brinca com os sons resgatados a um piano pleno de magia!

Um deslumbrado encantamento para o sentir! E para o olhar! Uma noite linda!

G-S

Fragmentos Culturais

 
27.07.2009

Copyright © 2009-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons 


14 comments:

Isamar said...

Um post fantástico. Também sou apreciadora de jazz. De fado nem tanto mas alguns fadistas mais novos têm conseguido, pouco a pouco, aprimorar o meu gosto. Falo por exemplo de Mariza e Camané.

Bem-haja!

Um abraço

DarkViolet said...

Vai haver na cidade do Porto, no palácio de cristal, concertos de jazz com entrada livre, penso que comece este fim de semana e propaga-se pelo mês de agosto.
é ao ar livre:)

Fragmentos Culturais said...

O facto de afirmar que não aprecio o fado, não quer dizer que não dê valor a quem lhe dá voz com talento, 'Isamar'!

Mariza é referência mundial, neste momento! Tem uma belíssima voz, e uma apresentação muito distinta!

Recebeu já vários prémios nacionais e internacionais, um deles que muito a honra: 'Melhor Artista Europeia' na área de 'World Music'.


Já foi nomeada para o 'Grammy' de Música Tradicional, categoria 'Best Folk Album', suponho eu... com 'Concerto em Lisboa'!

Camané conheço pouco, daí não emitir nenhum tipo de comentário.

Mas o jazz... é na realidade a sonoridade que me 'complementa'!

As suas palavras deixaram-me sensibilizada! Muito obrigada.

Um abraço,

Fragmentos Culturais said...

Eu sei, Dark_ :)

É mesmo este fim-de-semana! A 2ª edição de 'Porto Blue Jazz'... gostaria muito de estar presente e voltar a ouvir 'ao vivo' Chick Corea!

Gary Burton nunca assisti! Nem sei se é a primeira vez que vem ao nosso país!?

Mas, visitei o sítio web oficial e fiquei deliciada com a sua discografia! Difícil a escolha...

Hum! 'Libertango - The Music of Astor Piazzola' (Piazzola, tive o enorme privilégio de o ouvir no nosso país), e 'Virtuosi' com Makoto Ozone (música de Brahms e Ravel em sonoridades de jazz); o novo CD (Maio 2009) 'Live Quartet' com Pat Metheney, Steve Swallow!!

Fiquei 'rendida'!
Tentarei encontrar estes CD's na Fnac!

É um privilégio receber dois dos maiores vultos do jazz mundial... e com entrada livre!!

Agradeço o 'lembrete' ;)
... e ao ar livre! Esperemos que as noites aqueçam... o frio 'nortenho' tem-se feito sentir, este ano...

Avelaneira Florida said...

Fragmentos,

Devo começar por dizer que o meu berço "alfacinha" desde muito cedo me fez descobrir Amália!
Gosto muito de alguns dos fados mais clássicos. Mas, mais tarde, quando Alain Oulman passou a compôr para a fadista passei também a apreciar essa nova faceta...
Hoje não ouço tanto fado. Conheço alguns dos nomes que aqui são referidos mas tenho passado para outras áreas musicais...
Engraçado!! O Jazz...não foi fácil!!! Ainda hoje "entro muito devagarinho"!!!!
Mas aprendi a ouvir Chick Corea e descobri Pat Metheny com um dos meus irmãos!!!!
Seja como for...há um lado tão apelativo no mundo da Música...que sabe sempre tão bem "descobrir"!!!!!

Bons Concertos!!!! Música SEMPRE!!!!

Fragmentos Culturais said...

... eu não deixo de apreciar Amália! Longe disso! Mas não oiço, regra geral, fado tradicional.
Já o 'fado de Coimbra', adoro!

Reconheço que há novas vozes e novos estilos que ouvidos com atenção se tornam mais próximos de meus 'gostos' musicais... caso de Mariza, Cristina Branco...

Apreciei este novo trabalho, ideia dos 'Gift' com fados de Amália cantados por vozes tão dispares como Sónia Tavares - Gift, ou Fernando Ribeiro - Moonspell! Diferente, interessante! Gosto de novas abordagens das músicas e da miscigenação dos estilos.

Bom, suponho que também andas por áreas musicais interessantes, 'Avelaneira'! É esse 'lado tão apelativo' que nos faz bem à alma, a música!

Música sempre... e excelentes livros também :)

Lindo fim-de-semana!
Sensibilizada, como sempre, pelo teu olhar em 'fragmentos'!

Paulo said...

. um post que não passa nem pode passar despercebido .

. um alcance a ser grito de saudade .

. sublime e bel.íssimo .

. parabéns !

. um beijo meu ,
. um bom fim de semana .

Gonçalo said...

Boa noite!
Antes de mais, obrigado pela visita ao meu blogue :)

Há pelo menos duas coisas que gostei neste blogue na primeira impressão que tive: primeiro, gosto da eloquência no discurso sobre temas culturais; segundo, aprecio a forma como responde aos comentários, julgo que o mundo da blogosfera só tem a ganhar com esta prática corrente, só assim haverá cada vez mais partilha e debate de opiniões.

Beijinhos e continuação do bom trabalho!

P.S.: Também já há resposta ao teu comentário no meu blogue :)

Fragmentos Culturais said...

... é indesmentível que se tratou de um excelente concerto!

Laginha e Sassetti demonstraram bem o seu profissionalismo em palco.
Transmitem também um entendimento musical muito espontâneo. Enriquecedor!

Uma bela obra esta encomendada pela Casa da Música aos dois compositores e pianistas para 'homenagear' Amália!

Sempre palavras muito amistosas, 'Paulo'! Sensibilizada!

Linda semana!
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

Boa noite Gonçalo,

Foi um prazer 'redobrado' visitar o teu blogue!
Pesquisando 'James' em concerto no nosso país, entrei e fiquei para ler...

Este espaço é puramente dedicado a aspectos culturais vários que admiro e 'pratico'!

Depois, adoro opinar, debater, e alargar os conceitos ou ideias. Sempre que os comentários deixados o permitem, respondo em jeito coloquial! É um aspecto que cultivo.

Sensibilizada agradeço as palavras aqui escritas!
Espero rever-te nestas 'paisagens' muito próprias.

Excelente semana!

Um beijo,

... irei ler, certamente ;)

Gonçalo said...

Irás rever-me certamente, já estou na tua rota blogosférica e estarei atento a todas as novidades culturais que terás para partilhar.
Obrigado pelas palavras elogiosas sobre o meu espaço e o desejo de uma semana proveitosa!

Beijinhos**

heretico said...

"sonoridades portuguesas...", precisam-se!!!... cada vez mais.

prazer ler-te. sempre renovado.

beijos

Fragmentos Culturais said...

Ora ainda bem, Gonçalo :)

Espero então ler-te por aqui mais vezes!

Ando a 'preguiçar' um pouco... deve ser do 'tempo sem tempo'! Ou da não vontade de escrever!

Tive imensa pena de perder 'Jazz em Serralves' :(

E 'Porto Blue Jazz'... lamentei não poder 're'ouvir ao vivo Chick Corea que veio 'reapresentar' um dos seus primeiros trabalhos com Gary Burton, segundo li na imprensa! Mas este último, está na minha lista de 'compras' musicais.

Há tantas coisas interessantes! E nem sempre se pode estar presente :(

Não tens que agradecer! Foi um prazer ler teu espaço que passa também pela cultura! Voltarei!

Excelente semana! Talvez tenhas mais solinho por aí...

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... estas valeram mesmo a pena, 'Herético'! Foi um dos concertos mais interessantes deste verão, na Casa da Música! Uma opinião muito pessoal, claro!

Também eu tenho imenso prazer em te ler por aqui! Sensibilizada!

Continuação de excelentes férias!
Um beijo,