Thursday, May 22, 2008

Museu do Oriente : um novo espaço




Galeria Sol | Museu Oriente

O Museu do Oriente foi inaugurado no 20º aniversário da Fundação Oriente, em Lisboa.

Funcionará como um centro cultural e terá uma programação que inclui cinema, música, dança, teatro, além das exposições voltadas para a Ásia.

O Museu do Oriente define-se como uma unidade museológica permanente, aberta ao público, tutelada pela Fundação Oriente, tendo por missão a valorização dos testemunhos quer da presença portuguesa na Ásia quer das distintas culturas asiáticas.




Museu Oriente
http://www.sol.co.ao/

Instalado junto ao Tejo, num edifício construído nos anos 40 para receber os Armazéns Frigoríficos do Porto de Lisboa e agora totalmente recuperado, este projecto da Fundação Oriente ocupa uma área de 15.500 metros quadrados, com seis pisos à superfície e uma cave.

A primeira exposição tem 1.400 peças alusivas à presença portuguesa no Oriente (essencialmente obras adquiridas pela Fundação ao longo de 20 anos) e a exposição "Deuses na Ásia" reúne 650 peças da colecção Kwok On (instrumentos musicais, marionetas, pinturas, porcelanas e lanternas, por exemplo).

©Lusa

Máscara da Ásia
http://www.museudooriente.pt/

A Colecção Kwok On da Fundação Oriente que engloba cerca de 500 máscaras, permitiu organizar em 2007, na Abadia de Daoulas, em França, a primeira grande exposição de máscaras asiáticas no Ocidente a fim de mostrar a variedade e a sua beleza estética. A presente exposição de mais de duas centenas de máscaras da Índia, Sri Lanka, Tailândia, Indonésia, Tibete, China, Coreia e Japão permite já fornecer uma ideia da sua diversidade.

Acesso livre às exposições sextas 18h00-22h00.




Nos primeiros dias, o Museu do Oriente vai apresentar uma peça musical desenvolvida pelo pianista Mário Laginha, que convidou alguns instrumentistas orientais (do Vietname, Índia e Japão) para o acompanhar.

©Lusa

No dia 24 de Maio, Musicians of the Nile (Egipto) será talvez um concerto a não perder.


Muito antes da onda da World Music, os 'Musicians of the Nile' foram o primeiro grupo da chamada "música árabe" a conseguir uma popularidade sem fronteiras, fenómeno inédito no universo da música dos países árabes. [...] A sua música, fruto de um popular e ancestral legado cigano, remonta à época faraónica e permanece até aos nossos dias uma das formas de expressão mais prezada no Egipto.



G-S

Fragmentos culturais

22.05.2008

Copyright © 2008-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®
Licença Creative Commons

9 comments:

Tiago R Cardoso said...

O único problema é a distancia a que as coisas estão.

Gostei da pequena visita e explicação.

Fatima said...

Esta será a próxima visita do nosso grupo!
Hoje foi a Fundação Medeiros e Almeida.
Parabéns pelo blog.

Fragmentos Culturais said...

...concordo Tiago!
A centralização da cultura continua a fazer-se!

A Fundação Oriente tem tido, no entanto, um papel muito importante no panorama cultural , mesmo antes da abertura do Museu que só vem exteriozar melhor essas actividades!

É uma visita que passou a estar nos meus roteiros :)

Só lamento os concertos que se vão perdendo...

Para ti, um final de semana tranquilo... pese embora o brumoso tempo que faz de alguns dias a esta parte!

Um beijo

Fragmentos Culturais said...

Não conheço, Fátima! Mas suponho que deve ser interessante!

Ainda bem que está a dois passos dos de centros culturais!

Sensibilizada pelo seu olhar em 'fragmentos'!

(a) said...

Confesso que a cultura oriental, não me apaixona como a sul americana. No entanto não me é totalmente indiferente, talvez um pouco desconhecida, para mim. Apreciei o debruçar de olhar.

Um beijo, nesta tarde molhada e cinzenta!

jasmimdomeuquintal said...

conto ir...

EDUARDO said...

um abraço poderoso
bom fim de semana


paradoxos

Fragmentos Culturais said...

... sem dúvida, 'jasmim'! A não perder!!

Sensibilizada pelo teu olhar em 'fragmentos!

Boa semana!

Fragmentos Culturais said...

... e para ti também, Eduardo!

Sensibilizada pelo olhar amistoso em 'fragmentos'

Excelente semana!

...gostei do adjectivo 'poderoso' para abraço :)