Monday, April 15, 2019

Agnès Varda & o Festival de Cinema de Cannes 2019






Agnès Varda
Affiche officielle
72e Festival International du Film de Cannes


Tout en haut
en équilibre.
Juchée sur un technicien impassible
Accrochée à une caméra qui paraît l'absorber.
Une jeune femme de 26 ans tourne son premier film.


E o primeiro filme de Agnès Varda, precursora da "Nouvelle Vague" francesa, foi
La Pointe Courte. Começou assim a sua carreira de cineasta em 1955. 

A realizadora belga, radicada em França desde a sua juventude, morreu no passado mês de Março. Esta a homenagem de um dos mais lendários festivais de cinema de culto. Festival de Cannes 2019. E um pouco a minha.

Varda gostava, de forma vibrante, das palavras, das imagens e das pessoas. Anunciou a nova vaga do cinema francês quatro anos antes de Os 400 Golpes, de  François Truffaut, cinco anos antes de O Acossado, de Jean-Luc Godard.





La Pointe Courte
Agnès Varda, 1955





Agnès Varda 1928-2019
crédits: Didier Doussin

Sete anos mais tarde, subia a escadaria do Palais du Festival de Cannes, 1962, para apresentar a sua segunda longa metragem, Cléo de 5 à 7.

Pioneira do movimento cinematográfico Nouvelle Vague, destacou-se, poucos anos depois da sua estreia com este filme que teve como título em português, Duas Horas na Vida de uma Mulher. Sempre estranhas, algumas traduções.






Em 1985, venceu o Leão de Ouro em Veneza por Sans Toi Ni Loincinco anos antes da morte do seu marido, Jacques Demy, também realizador.




Agnes Varda & Jacques Demy
Les Plages d'Agnès vence o César de Melhor Documentário em 2009, oito anos depois de ser distinguida com um Prémio Honorário na Cerimónia do Melhor Cinema Francês. 






Les Plages d'Agnès

Agnès Varda, 2008


O filme apresentado em Serralves, 2009, durante a 10ª Mostra do Cinema Francês, teve o cariz de homenagem à cineasta, numa Conversa no Auditório. Contou com a presença especial de Manoel de Oliveira.




The beaches of Agnès
Agnès Varda, 2008

Em 2018, a Academia de Hollywood atribuiu-lhe o Oscar Honorary Award, no mesmo ano em que foi nomeada pela primeira vez para essa distinção, com Olhares Lugares/ Faces PlacesA sua obra estende-se por mais de 35 filmes.







O documentário Olhares Lugares/Visages Villages em colaboração com o artista francês JR, é um encontro de duas artes, percorrendo as pequenas aldeias francesas, conversando com os habitantes locais, aprendendo suas histórias e produzindo retratos épicos em casas, celeiros, lojas e comboios.






Visages, villages, tribulation poétique sur les routes de France de la réalisatrice Agnès Varda et de l'artiste JR, a remporté l'Oeil d'or du meilleur documentaire au Festival de Cannes, à la veille du palmarès." (mars 2017)

"Le jury a été (...) touché au coeur par ce film qui conte la considération de l'Autre à travers l'art", 

Sandrine Bonnaire, présidente, actrice française 

Dans ce documentaire présenté hors compétition, le tandem sillonne les routes de France à bord d'un camion photographique, allant à la rencontre d'habitants de villages délaissés.





Varda par Agnès
Agnès Varda, 2019

Em Fevereiro de 2019, no Festival de Berlim, apresentou Varda par Agnès, derradeira prova das inesgotáveis vidas de uma fotógrafa, da cineasta que inventou a sua nouvelle vague, uma das poucas mulheres que se destacou num universo e num meio masculinos - anos 60 do cinema francês. 







Visages Villages (2017) foi assim o seu penúltimo filme. Varda par Agnès, apresentado na Berlinale 2019, foi o seu último filme. Transmitido como documentário na televisão francesa. Não sei se passará pelas salas de cinema.





Agnès Varda durante a Cerimónia Câmara Award 
69th Berlinale International
créditos: Getty Images
via Times

Nasceu em Bruxelas no dia 30 de Maio de 1928, filha de pai grego e mãe francesa. Mudou-se para Paris para estudar fotografia. Fez-se cineasta e vanguardista da Nouvelle Vague do cinema francês.




Agnès Varda directs La Pointe Courte, 1954
via

O site oficial dos Academy Awards faz-lhe uma bela homenagem Agnes Varda que aconselho vivamente, se quer conhecer melhor a cineasta. 

Também o Festival Internacional du Film de Cannes a homenageia em Agnès Varda nous a quitté.

É com a bela imagem de Agnès Varda, aos 26 anos, que hoje foi anunciado o poster oficial da 72ª Cerimónia do Festival de Cannes 2019.


"Je ne suis pas une femme cinéaste. Je suis une cinéaste."


Agnès Varda



G-S


Fragmentos Culturais


15.04.2019

Copyright © 2019-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 

2 comments:

AFlores said...

E viva o cinema!
Tudo de bom.
:)

GS said...

Sempre :-)

Tudo de bom, 'AFlores' !