Sunday, January 12, 2014

Com Simone de Beauvoir




Simone de Beauvoir

"Self-knowledge is no guarantee of happiness, but it is on the side of happiness and can supply the courage to fight for it."

Simone de Beauvoir

Gosto de escrever sobre literatura e são muitos os posts que tenho dedicado a grandes vultos da literatura portuguesa e mundial. Chegou então a vez de escrever sobre Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir, intelectual no clássico sentido da palavra, escritora e filósofa teria feito 106 anos em 9 de Janeiro passado.

Google não deixou de a homenagear com um  Doodle*, surpresa muito agradável quando iniciámos o browser no passado dia 9 Janeiro.

O dooodle representa Simone sobre um cenário de uma rua parisiense onde se situa o Café Flore, no 6e arrondissement. Local para sempre associado a Beauvoir e Sartre, e a todos os artistas e intelectuais da época
. Ponto de 'peregrinação turística' ainda em pleno séc. XXI.

Simone de Beauvoir Google Doodle

Simone-Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir, "philosophe et femme de lettres, attachée au mouvement de l'existentialisme et au communisme, reste aujourd'hui l'une des plus grandes figures du féminisme, comme de la vie intellectuelle et politique de l'après-guerre en France. Normalienne, agrégée de philosophie, elle fonde en 1945 avec son compagnon Jean-Paul Sartre et plusieurs autres intellectuels la revue Les temps modernes."

Le Point.fr



duo Sartre-Beauvoir apaixonou a literatura e a filosofia do século XX. Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre formaram um dos casais míticos e anticonformistas do século XX.

Beauvoir e Sartre conheceram-se nos anfiteatros da Sorbonne, em finais dos anos 20. Ela tinha vinte e um anos e ele vinte e quatro. Os seus destinos ficaram ligados  ao longo de 50 anos.

Beauvoir e Sartre, iniciadores da filosofia do Existencialismo, fundaram, em conjunto com outros existencilalistas, a revista Les Temps Modernes (1945).



Simone de Beauvoir
 http://la-philosophie.com/

De Beauvoir manteve uma relação ao longo da vida com Jean-Paul Sartre, que não exclui outros relacionamentos quer da parte de um quer da parte do outro.

Beauvoir assumia que a ausência de casamento e filhos lhe permitia prosseguir os seus estudos e carreira como professora, bem como a sua escrita.



En 1949, Simone de Beauvoir publica um ensaio intitulado Le deuxième sexe, de onde foi extraída a célebre frase "on ne naît pas femme, on le devient". 

O livro que analisa a condição feminina e defende teses bastante progressistas para a época. Fez escândalo, mas tornou-se rapidamente um sucesso. 

Alguns anos mais tarde, em 1954, o seu romance Les Mandarins obteve o Prix Goncourt

Abandonou em seguida o género literário do romance para se dedicar a obras autobiográficas.

Em 1958, Mémoire d'une jeune fille rangée, "Castor" (o sobrenome foi-lhe atrbuido pela semelhança com o seu apelido 'beaver' (castor em inglês), conta o seu percurso, a  conquista da liberdade intelectual e amorosa, apesar dos conservadorismos da época. Seguiu-se La Force des choses.

No seu último livro, La cérémonie des adieux, fala da morte de Jean-Paul Sartre. A A sua relação tumultuosa continua ainda hoje a fascinar escritores e artistas.


 
Les Amants de Flore (2006)

Os filmes Les amants du Flore (2006) e mais recentement Violette (2013) que fala do percurso de Beauvoir e da romancista Violette Leduc

Preferi não incluir as bandas sonoras por considerá-las um pouco ousadas. Deixo à consideração de cada leitor  querer visioná-las, seguindo os links.

Sartre morreu em 1980, Simone de Beauvoir em 1986. Repousam os dois no célebre cimetière du Montparnasse, em Paris. De Beauvoir editou até sua morte.

Le Prix Simone de Beauvoir pela libertação das mulheres foi criado em sua memóiria em 2008, numa iniciativa de Julia Kristeva no ano do 100º aniversário de Beauvoir.

O prémio é financiado pela Universidade de Paris, Paris Diderot Foundation, edições Gallimard et Cultures France.




No final de 2013, a escritora Irène Frain, publicou o livro Simone in Love. É verdade que esta relação coexistiu com a relação entre Sarte e Beauvoir




Obra que se dedica a explanar o encontro liteário e amoroso de Beauvoir com o escritor americano Nelson Algren. A descobrir?

"L'humanité préfère à la vie des raisons de vivre".


Simone de Beauvoir, Le Deuxième Sexe.



G-S

Fragmentos Culturais

12.01.2014
Copyright © 2014-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

*Nota: 'Doodlessão um tipo de esboço ou desenho, no sentido literal da palavra 'rabiscos', criado pela Google a partir do seu lógotipo que aparecem de forma intermitente na página inicial do motor de busca para celebrar um evento ou uma personalidade. 

O primeiro apareceu em 1998 para o Festival Burning Man (deserto de Nevada). Desde aí, mais de mil doodles já foram criados e a tradição continua. 
Os doodle levam - web obriga - a um link hypertexto para a págna de resultados de pesquisa na internet sobre o assunto ou personalidade celebrados. Desde 2011, alguns desses doodle existem também em vídeo.


4 comments:

heretico said...

uma plêiade de intelectuais que moldaram o Tempo...

... quem hoje?

beijo

Lilá(s) said...

As tuas postagens são sempre excelentes! a semana passada também senti uma agradável surpresa ao abrir o google, não estava muito parecida, quase parecia a Frida kahlo mas, conta sempre a intenção
Beijinhos

G- Souto said...

Pois... 'quem hoje! ' Há muito que se vem falando que as Humanidades estão a desaparecer :-(

Nada há de novo no vasto campo dp pensamento, sim, verdade.
O(s) tempo(s) são outros, a evolução tomou rumos diferentes. Há muitos escritores, raríssimos pensadores.
Chomsky, um dos poucos. Mas a idade avança.

No entanto, quer crer que as Humanidades renascerão, lá mais para adiante...

Beijo, 'Herético'

G- Souto said...

Palavras afectuosas, as tuas, 'Lilá(s) !
Em certa medida, dou-te razão. O doodle não estava muito parecido. O que nos levava a a Simone de Beauvoir era o cenário por trás. O café Flore.

Frida Khalo, talvez pelo penteado... as sobrancelhas de Frida são bem mais 'carismáticas' .

Eu adoro os doodle! Acho que despertam a curiosidade para pessoas ou factos dignos de interesse.

Bom fim-de-semana!
Beijinhos