Wednesday, March 30, 2011

Roger Waters again : The Wall 2






Roger Waters Pavillhão Atlântico
créditos: Rita Carmo/ Espanta Espírito

Eu não estive lá. Com muita mágoa! Lisboa não é bem aqui ao lado... mas todas as críticas lidas, e muitos dos vídeos publicados no YouTube, demonstram bem como o concerto de Roger Waters no passado dia 21 Março foi fantástico! O Blitz apelida-o de 'majestosa noite'! Não duvido!

"O primeiro espectáculo (sim porque acabou por haver um segundo) de "The Wall" no Pavilhão Atlântico foi mais que um concerto perfeito! 

Os Rolling Stones e U2 podem usar insufláveis e luzes especiais mas só os Pink Floyd e Roger Waters conseguem conjugar imagens, cenários, luzes e música com esta harmonia. 

O público boquiaberto com a grandeza do espectáculo só parecia acordar do sonho de vez em quando para aplaudir e cantar  em coro "Another Brick in the Wall", "Confortably Numb", "In the Flesh" e "Run Like Hell"

E este excerto diz tanto! 





Roger Waters & Coro Juvenil Cova da Moura
Portugal 2011


Um dos aspectos que me tocou: a música como inclusão de jovens adolescentes em risco! 

Um coro de 16 vozes juvenis da "Associação Moinho da Juventude da Cova da Moura" juntou-se numa participação especial a Roger Waters e aos seus 14 músicos. 





Roger Waters & Coro Juvenil Cova da Moura
Portugal 2011
http://blitz.sapo.pt/

E ao som do clássico ‘Another Brick in the Wall - Part 1’, terceiro tema da noite, os jovens subiram ao palco. A escolha do grupo foi feita depois de a equipa do artista ter solicitado a presença de um projecto "de diferentes etnias e de um meio social mais desfavorecido".

O coro nasceu há um mês, na sequência do convite da produtora", confirmou Whassysa, 27 anos, responsável do centro de actividades de tempos livres (ATL) da Associação Moinho da Juventude, que motivou o jovem grupo. 

E os miúdos do bairro ficaram entusiasmados? A resposta não deixa dúvidas: "Não faltaram a nenhum ensaio, todos os dias, durante duas semanas." Dos oito aos 16 anos, elas e eles empenharam-se na letra – "uns tinham mais dificuldades a cantar em inglês" – e no projecto.

"Fizeram pesquisas sobre o Roger Waters, que nem sabiam quem era". 


E o prazer imenso para esta jovem animadora cultural! Belíssimo trabalho!

Roger Waters manteve-se em palco, mais de duas horas, assim li, com quase 30 canções, seguindo de perto o disco dos Pink Floyd, 1979.

The Wall que sempre teve uma mensagem 'engagée' é agora, nas palavras do próprio Roger Waters, "mais universal que a (produção) original"!







Grande lástima não ter partilhado este fantástico concerto que a tecnologia tornou ainda mais esplendoroso! Quanta maravilhamento para o ouvido e... para o olhar! Uma lição de vida para estes miúdos.


G-S


Fragmentos Culturais

30.03.2011
Copyright © 2011-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 


16 comments:

aflores said...

"Curti" muito ao som dos Pink Floyd :))))

Tenho os discos todos! Camisolas, livros, dvd's, fotos...ok, sou Fã fanático.
Assisti mesmo a um concerto, já sem o RW.

Pink Floyd, Roger Waters, Pink Floyd... inseparáveis, eternos, nomes e obra (sempre actual)que ficará para sempre na história.

;)

GOSTO!

mfc said...

Não se podem esquecer os Pink Floid... e os Pink Floid também são Roger Waters!

Daniel Silva (Lobinho) said...

Grandioso! Já o tinha visto há uns anos no Estádio José Alvalade (agora Alvaláxia XXI) e não foi menos bom por isso; a inclusão do coro que aqui referes foi sem dúvida um momento muitíssimo simbólico e de uma enorme sensibilidade também por parte de Waters. E, sim, o grupo da Cova da Moura é muitíssimo forte e empenhado o máximo na inclusão da exclusão.

Aqui e ali havia pessoas sentadas e com vergonha; quando me coloquei de pé, imitando tocar guitarra e abanando-me ritmado ao som do que ouvia, puxando-me mais aqui e ali, logo fui seguido por uma série de outrops jovens e adultos que sem estímulo não conseguiam exteriorizar a emoção ;) Já nos teatro tenho por hábito, quando gostei muito da peça e/ou desempenho, de me colocar de pé a aplaudir (porque actores e peças há que o pedem, sem margem de dúvida) e muitras vezes vejo outros a imitarem-me no gesto. Só o "bravo" é que vou sendo mais tímido ;)

Um beijo amigo

Cata- Vento said...

Mais uma excelente reportagem dentro do estilo a que nos habituaste. Bravo, Fragmentos!
Lamento não ter assistido a este espectáculo que foi, com toda a certeza, um momento genial. Um aplauso muito especial para a componente solidária e de reintegração social de que se revestiu que, mais do que louvável, revela o carácter destes músicos e que deve ser imitado por muitos outros. Os jovens empenham-se sempre que lhes é feita uma proposta interessante.


Bem-hajas, amiga!

Beijinhos

Lilá(s) said...

Apesar de estar pertinho, não estive lá e arrependi-me imenso quando ouvi o relato de quem lá esteve...
Bjs

. intemporal . said...

.

.

. estava longe . muito longe . no extremo oriente deste planeta aquando da realização deste concerto .

.

. que pena .

.

. um bom fim.de.semana .

.

. um beijo meu .

.

.

heretico said...

o Pavilhão do Atlântico aqui tão perto e não fui ver! - o que eu perdi!

beijos

Rafeiro Perfumado said...

Tive pena de não ter ido, mas há que fazer escolhas, o orçamento não dá para tudo.

Fragmentos Culturais said...

... acredito 'aflores' :)

És sem dúvida um dos sérios fãs da banda!

Para mim, o álbum eterno é 'Dark Side of the Moon' e o tema de 'coração'... sem dúvida 'Wish you were here'.

Pink Floyd, Roger Water, David Gilmour, Pink Floyd.

Um marco decisivo na música rock, foi votada em 2005 como a 'melhor banda de rock' de todos os tempos!

Nunca os ouvir em concerto ao vivo :(

Tudo de bom!

Fragmentos Culturais said...

... sim, 'mfc'! Pink Floyd é Roger Moore, mas também é David Gilmour...

Mas Roger Water tem mais impacto, evoluiu talvez mais!
Mas também gosto muito de ouvir Gilmour (num registo mais intimista)!

Fragmentos Culturais said...

Como gostaria de lá ter estado, Daniel!
Adivinho facilmente a grandiosidade do concerto, já que os vídeos no YouTube o demonstram! Que terá sido 'live'!!

Esta iniciativa de Waters solicitar um grupo de jovens de diferentes etnias, no caso o grupo Cova da Moura, foi de uma importância só imaginável para quem conhece este tipo de trabalho!

Aliás, há vídeo com estes jovens e a sua animadora cultural que diz tudo!
Partilha muito sensível, tal como escreveste! Concordo plenamente!

Pois olha! Essas coisas de 'timidez' num estádio, não compreendo!? Um espaço aberto é sempre descompromissado e as pessoas deveriam sentir-se mais soltas!
Na Casa da Música, até compreendo... agora aí!

Fizeste lindamente em puxar pelos mais tímidos. Concertos como este são para tirar partido a 100%

É verdade! É um acto de reconhecimento que os actores apreciam, mas que se vai perdendo...

Pois! Os 'Bravo'... é preciso ter mais coragem ;)

Talvez um dia nos encontremos num desses concertos por aí!

Abraço amigo, Daniel!

Fragmentos Culturais said...

... bem gostaria, tal como tu 'Isamar', de ter estado no Pavilhão Atlântico e assistir ao vivo a este espantoso concerto!

Waters continua a surpreender, como o fazia 'Pink Floyd'! Não há dúvida que é o elemento mais criativo!
Gosto muito de ouvir Gilmour, mas são diferentes.

Eu adorei esta intervenção do coro dos jovens da 'Cova da Moura' E pelo vídeo se compreende como o entusiasmo foi grande!
Verdade, sempre que se pede algo de inusitado a estes jovens, eles respondem com muito empenhamento!

Bom fim-de-semana!
Um beijo,
(sensibilizada pelas tuas palavras sempre tão cordiais)

Fragmentos Culturais said...

Pois assim acontece, 'Lilà(s)! Quando ouvimos/vemos as reportagens... e como lastimamos!

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... espero que a tua viagem te tenha dado grande(s) prazer(eres), 'Intenpomporal'!

Também tu perdeste este concerto que teve tudo para maravilhar!

Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... perdeste mesmo, 'Herético'! E como me espantas!!
:)

Eu não teria hesitado, se estivesse perto...
Um beijo,

Fragmentos Culturais said...

... como te compreendo 'Rafeiro'! Há mesmo que fazer opções...

Bom fim-de-semana!