Sunday, November 25, 2012

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres



Ditta Miranda Jasjfi Pina Bausch

Seis escritores juntaram-se num livro intitulado "Isto não é um conto" em defesa das mulheres vítimas de violência doméstica. 
            
Alice Vieira, Maria Teresa Horta, Afonso Cruz, Patrícia Reis, António Figueira e a cubana Karla Suárez 'ficcionaram' seis histórias reais, testemunhos de mulheres vítimas de violência doméstica.

Criação que não foi fácil, mesmo para alguém com a experiência de escrita de Maria Teresa Horta.
“Para mim foi-me difícil ficcionar uma história destas, eu que ficcionei tantas histórias de violência doméstica”
Maria Teresa Horta

Ditta Miranda Jasjfi | Pina Bausch
As histórias criadas para "Isto não é um conto" pretendem servir de alerta para casos que, por vezes, acontecem ao nosso lado, como afirmou a escritora Patrícia Reis. O livro é ilustrado por Pedro Vieira.
Uma iniciativa da Associação Link, o projecto contou com o apoio de diversas empresas para tomar a forma de livro, e os seus sete criadores, os seis escritores e Pedro Vieira que, embora escritor, participa na obra como ilustrador, abdicaram dos direitos de autor.
"Isto não É Um Conto é também uma forma de ajudar a reconstruir vidas: as receitas das vendas deste livro destinam-se integralmente a apoiar mulheres sobreviventes de violência doméstica, através de um fundo que permitirá o fortalecimento das respostas e dos serviços adequados que promovam a segurança e autonomia das mulheres, jovens e crianças, devolvendo-lhes direitos tão elementares e vitais como a liberdade e a dignidade humanas."


Ó secreta violência
dos meus sentidos domados

em mim parto
e em mim esqueço

senhora do meu
silêncio
com tantos quartos fechados

Anoitece e desguarneço
despeço aquilo que
faço

Ó semelhança e firmeza
mulher doente de afagos.

Maria Teresa Horta, Violência
in Portal de Poesia Ibero-Americana

Os dados relativos a 2012 agora apresentados pelo "Observatório das Mulheres Assassinadas" registam já 36 homicídios e 49 tentativas de homicídio.

G-S
Fragmentos
25.11.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

Associação Link


Sunday, November 11, 2012

Brussels Philharmonic: partituras digitais




Brussels Philharmonic

"C'est une révolution silencieuse que l'Orchestre Philharmonique de Bruxelles tente de mettre en musique: la disparition du papier dans la fosse."

De passagem por Bruxelas, por motivos profissionais, deparei-me com estas imagens! A Brussels Philhamonic tornou-se a primeira orquestra a tocar com partituras digitais. 

Foi precisamente esta semana! Pela primeira vez, os noventa e dois músicos da Brussels Philharmonic sob direcção de Michel Tabachnik tocaram Ravel e Wagner por partituras musicais em tablet.


Brussels Philharmonic

Com mais de uma centena de concertos agendados para esta época, a Brussels Philharmonic estima poder economizar cerca de 25.000 euros de papel por ano. Um desafio cuja sucesso vai depender, em grande parte, da digitalização das partituras de obras do repertório clássico.

Mas a Brussels Philharmonic vai mais longe! A orquestra propos-se descarregar gratuitamente toques de música clássica do seu repertório para telemóveis.

Mas nada melhor do que ouvir a opinião dos músicos, do maestro, e de alguns consumidores de toques (esta a parte menos interessante).




Contra tudo o que possam supor, não fiquei chocada. Pelo contrário, gosto imenso desta evolução e da adesão da  música erudita-clássica ao digital. 

"Since the 19th century, the way symphonic orchestras work has barely been touched. Think about it: every piece of sheet music has to be handed out to each of the more than hundred musicians participating in a play. This takes a lot of time, paper and meticulous work. It goes without saying that these documents are carefully kept for future use." *

Verdade! É evidente que a evolução deve também chegar aqui. É um pouco como olhar os livros e os e-books. Mas não tão evidente! São dois campos da cultura que merecem tratamento diferente. 

O primeiro vai do gosto de cada um (e eu não troco um livro impresso por um leitor). 

No caso das partituras impressas ou digitais, a diferença não tira em nada à qualidade de quem aprecia ouvir uma boa orquestra!

Uma curta nota. Não apreciei o gesto, embora simbólico, de mandar pelo ar as partituras em papel! Pode ser interpretado por alguns como um gesto desrespeitador do esplendoroso trabalho dos compositores clássicos e de seus copistas. Lembram o filme Copying Beethoven? Que aprimorada escrita!

É certo que algumas questões se poderão colocar... E se o tablet avaria no meio de um concerto? Ou se o wireless falha?  Bom, como em tudo é necessário estar preparado para eventuais contratempos. 



"Que seria da vida, se não tivéssemos o valor de tentar algo novo".

Vincent Van Gogh 

G-S

Fragmentos Culturais

11.11.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

Créditos | Credits

fotos | photos Samsung Tomorrow
video: Culturebox

Referências:

*La partition numérique de l'Orchestre Philharmonique de Bruxelles

*Brussels Philharmonic plays music with Galaxy note 10.1

Monday, November 5, 2012

Pintando o Outono






Miguel Costa

Lembram "100 Anos a colorir o Mar ? Deste esse momento, passei a estar atenta ao traballho de Miguel Costa

Pois desta vez, descobri  Painting With Gold -  São Pedro de Moel, um curto mas belíssimo vídeo:







São imagens e sons de um serenidade que que nos permitem fechar a caixa do Inverno, guardar os ventos, as rajadas das chuvas, fruindo assim das paisagens doiradas que o Outono nos oferece pelo olhar sensível de um fotógrafo que capta momentos tão encantadores. 

Temos então a certeza que os pássaros não foram afugentados, apenas hibernam, tal com nós, quando fugimos, sempre que nos é possível, das intempéries da vida.

Sacudo os cabelos, respiro profundamente, sorrio, mais com o olhar do que com a expressão do rosto, como para afugentar o frio dos pensamentos.

Perco-me assim pelos campos serenos do sonho. E penso que outros dias virão em que a natureza voltará a sorrir-me.

Obrigada Miguel Costa por prolongar a ilusão de Outono! Como se espalhasse matizes de verão em fragrâncias quentes. Empurrei o Inverno.


G-S

Fragmentos Culturais

05.11.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Créditos: video Miguel Costa