Thursday, May 24, 2012

Fernando Pessoa ignorado ?




Fernando Pessoa | Mundo Pessoa

Fernando Pessoa ignorado pelo seu país?

"Quase 80 anos depois, a secretária e a máquina de escrever em que Fernando Pessoa trabalhou em 1934 e durante quatro anos, (...) deixaram de ser objectos de trabalho e passaram a ser adorados pela sua história."

História esquecida por Portugal (?) e comprada pelo advogado e escritor brasileiro José Paulo Cavalcanti, autor do livro "Fernando Pessoa: Uma Quase Biografia".


A tristeza juncou de pétalas de rosa
O chão do meu jardim
E a  a alma que em mim goza
A dor que passa em mim
Só ficou mais inquieta, ansiada e sequiosa
Do que nunca teve fim.

A Maldade juncou de apodrecidos frutos
O chão do meu pomar
Mas meu ser não vestiu nem rancores nem lutos
Ao ver o desolar.
Só ama mais ainda os seres impolutos
Que não têm acabar.

Meu jardim e pomar hoje apenas consistem
Em  memórias fatais,
Mas a minha alma ao ver, nas tristezas que a assistem,
Que os seres imortais
Em parte alguma — céu ou terra em sonho existem
Ainda os amou  mais.

Fernando Pessoa, A tristeza juncou de pétalas de rosas

18-05-1910

in Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005


G-S

Fragmentos Portugueses

(dia de lusitana tristeza, em jeito de protesto)

23.05.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Nota: Durante esta semana foi publicado um comunicado dos herdeiros de Francisco Fernandes Camello, que em 1922 adquiriu a SAE contestando o uso da secretária e da máquina de escrever por Fernando Pessoa. "Nunca o pai dos signatários (Manuel Camello que a partir de 1966 passou a gerir a SAE), ou qualquer das suas irmãs, referiu existir qualquer mobiliário, ou máquina de escrever que Fernando Pessoa tenha utilizado", afirmam os autores do documento.

Para ler aqui ou aqui.

Uma questão que merece ser averiguada.

(actualizado em 02.06.2012) 

Licença Creative Commons

Referências:

Mundo Pessoa

Banco de Poesia | Casa Fernando Pessoa

Friday, May 18, 2012

Dia Internacional dos Museus 2012






Celebra-se hoje, dia 18 Maio, o Dia Internacional dos Museus. O tema 2012 "Museus num Mundo de Mudança: Novos Desafios, Novas Inspirações".

Concordo! Um tema aberto às novas mentalidades que a evolução das comunicações trouxe o acesso ao conhecimento através das tecnologias e da partilha através das redes socais.

"New technology delivers new ideas, gigabytes of information, news of an increasingly unstable climate, all shared by social media."

É verdade que o papel dos Museus (e Bibliotecas) num  mundo que corre a passos largos para o digital, é fundamental, não só para a compreensão da evolução da Humanidade mas também para que não se apague o seu contributo para a nossa memória colectiva.

"Museus num Mundo de Mudanças" é o reconhecimento que as instituições culturais devem acompanhar estas mudanças num desafio de mentalidades sempre tão aberto às inspirações da Arte.

O tema 2011 foi Museu e Memória. Os temais anuais são escolhidos pelo "International Council of Museums" ICOM.

Dia Internacional dos Museus é um acontecimento de grande tradição para o mundo dos museus  e data de 18 de Maio de 1977, por proposta do ICOM Actualmente, o "Dia Internacional dos Museus" é celebrado em todos os continentes. 

"From America and Oceania to Europe, Asia and Africa, International Museum Day aims to increase public awareness of the role of museums in developing society."





Para acompanhar esta mudança, os museus e palácios portugueses estarão abertos das 10:00 às 19:00 e das 18:00 às 24:00 horas, proporcionnado a todos os visitantes um conjunto de iniciativas diversificadas.

Muitos outros espaços museológicos nacionais ( incluindo Madeira e Açores) integrados na Rede Portuguesa de Museus aderiram a estas comemorações e oferecem aos cidadãos de todas as regiões variadas actividades. A consultar a listagem
aqui.

Não esquecer que a entrada é gratuita. 





Destaco no Porto as propostas do Museu de Arte Contemporânea de Serralves a ver aqui (10:00 às 17:00) e para a "Noite Internacional dos Museus" aqui (10:00 às 24:00).

Todos os espaços estarão abertos, incluindo acesso a exposições.

"Museums in a Changing World is recognition that institutions are faced with interpreting, and existing in, a field that is becoming increasingly fluid. Each may face a unique set of goals, interests and audiences."


"No gozo de uma obra - poesia, música, pintura - qual a parte que cabe ao sentimento ou conhecimento da singularidade dela?"


Eduardo Lourenço, No gozo de uma obra, 6-X-1967
in Tempo da Música ou Música do Tempo, gradiva, Fev. 2011



Bom Dia dos Museus! Boa Noite dos Museus! A escolha será nossa...


G-S


18.05.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®





Sunday, May 13, 2012

Bernardo Sassetti: tributo quase intimista




Bernardo Sassetti (1970-2012)

"His gentle touch and flowing phrases deserved invitations by the likes of Andy Shepard, Art Farmer, Kenny Wheeler, Freddie Hubbard, Benny Golson, Curtis Fuller and Eddie Henderson, among others"

Clean Feed

É imbuida de emoção que escrevo hoje sobre Bernardo Sassetti. A notícia bateu-me em cheio, ontem, ao navegar pelos meios de comunicação. A minha primeira reacção foi um misto de incredulidade, choque, comoção. Podia lá ser! Um jovem pianista e compositor tão promissor! Tocava tantas vertentes da arte com a sua música de sensibilidade excepcional naquela sua busca inquieta pelas margens do saber e da partilha.

Fiquei-me no silêncio. Precisava de tempo. Interioridade.



Bernardo Sassetti 

Bernardo Sassetti! O pianista delicado que tive o privilégio de ouvir e ver em tantos concertos, em vários espaços! Suponho que não perdi nenhum dos que fez nesta cidade. Sim, um só. O último com Carlos do Carmo em Outubro 2011 na Casa da Música

"Em todos os momentos, Bernardo Sassetti honrou-nos com a sua música, cortesia e generosidade."

Casa da Música




Pedro Burmester, Mário Laginha, Bernardo Sassetti

Fotografia: Jorge Humberto Ricardo (2009)


Foi presença habitual na sala Suggia Casa da Música. Aí o ouvi em 2009 "Trago Fado nos Sentidos" com Mário Laginha (obra inédita encomendada pela Casa da Música), concerto sobre o qual escrevi Amalia ao som do jazz"3 Pianos" com Mário Laginha e Pedro Burmester (um concerto inolvidável), Indigo, a solo, "Motion" (2010) em trio com Carlos Barreto (contrabaixo) e Alexandre Frazão (bateria), e com orquestra na Casa da Música (2010).



Bernardo Sassetii | Casa da Música
. Estela Silva | LUSA

Também o ouvi em Jazz no Parque em Serralves (2010) com o seu trio e convidado, o espanhol  Perico Sambeat (saxofones), um concerto 'mainstream', muito agradável para uma tarde de Verão.

Lembro ainda "Piano a 4 mãos" (2003), um concerto de delicioso diálogo entre Sassetti e Mário Laginha. Suponho que foi também na Casa da Música que estive a  ouvi-los.

A minha relação com o piano, foi, em determinado momento de minha vida, uma relação muito intimista. E apesar de hoje percorrer um outro caminho, a música deu-me este lado da minha sensibilidade que se desenvolveu e aprimorou no estudo dos grandes compositores.


"He had classical formation and that shows in his compositions, the music he writes for cinema and some orchestral situations, for instance with the Hong-Kong and the London Philarmonic Orchestras (with pop singer Sting!), as a member of the Guy Barker Quintet, the same group that in 1995 was nominated for the Mercury Awards."

Clean Feed


Bernardo Sassetti

Bernardo Sassetti com formação clássica, como todos os grandes músicos, cedo se virou para o jazz, aos 18 anos, tocando com o Quarteto de Carlos Martins e o Moreiras Jazztet. 

Com influências de Bill Evans, Keith Jarrett e outros grandes pianistas e compositores, Bernardo era um inquieto músico na sua interioridade.   

Uma sensibilidade muito bonita que expressava não só ao tocar e ao criar mas também no modo doce com que dialogava com os seus admiradores, sempre que se apresentava nas salas de concerto.


"Cinema soundtracks, for Sassetti, are becoming the way he transforms his imagination into music images."

Clean Fleed

O pianista tinha uma particular paixão pela imagem e pelo cinema. Sassetti trabalhou com realizadores portugueses e estrangeiros e compôs para os filmes O Talentoso Mr. Ripley, de Anthony Minguella, Alice, de Marco Martins, A Costa dos Murmúrios, de Margarida Cardoso, baseado no romance de Lídia Jorge, Um Amor de Perdição, de Mário Barroso, entre tantos outros projectos.

"He dedicates most part of his time and skills composing film music, always with a jazz flavour – that’s the case of Anthony Minguella’s “The Talented Mr. Ripley”, with Matt Damon. “That increasingly limitless matter”, he says about music, “the true mirror of the things we imagine it to be”.





Não pretendo ser exaustiva. Aqui, hoje, quero falar de afectos. 

E são muitos os que me prendem aos seus concertos, momentos partilhados que a minha memória poético-musical guarda agora religiosamente. 

As suas sonoridades, o seu sorriso doce, por vezes alegre (não muito), as emoções que deixava perpassar quando se inclinava sobre o piano e tocava...


"Não havia limite, o teclado escondia o infinito. Parecia simples, sete oitavas, não mais, um espaço tão curto que cabia dentro dos seus braços - e no entanto tinha a vastidão do mar." (...)

Teolinda GersãoOs Teclados
Publicações dom Quixote, 1ª edição, Abril 1999

"Da Noite ao Silêncio", suponho que integra Ascento tema que quis ouvir, mal soube da sua morte. E é com este tema que quero aqui ficar hoje. 

O meu imenso pesar tem a vastidão desta musicalidade.

"Never before Sassetti sounded so “classical” in CD and, at the same time, so cinematic. We close our eyes and we’re able to translate the music to images, in such a way that we don’t miss any visual complement."

Clean Feed

Para sempre, Bernardo!

G-S

Fragmentos Culturais

12.05.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 

Licença Creative Commons

Referências: 

Cean Feed (editora de Bernardo Sassetti)

Friday, May 11, 2012

Onde nos levam os livros?





Livros! Sempre! Quando me perguntam se gosto de livros, sorrio! É que os livros são os meus outros olhos! Aqueles que não se detêm nas páginas, e se adentram no universo na procura do que o livro me aponta para além das palavras.

Gosto de partir em busca do conhecimento, prazer que os livros desperta E tudo começa nos livros!

Novos filmes para ver. Sítios para visitar. Pessoas para conhecer. E é claro, novos livros para ler. Começar é simples! Escolho um livro. E vou onde o livro me leva. E tudo se interliga. Conhecimento.


"Os livros iluminam, o conhecimento encanta."

Chakrabhand Posayakrit


G-S

Fragmentos Culturais

10.05.2012
Copyright © 2012-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

(formato web 2.0)

Créditos: video SmallDemons