Saturday, September 20, 2014

Teatro Rivoli : enfim, a dança




Teatro Rivoli | Porto

O Teatro Rivoli voltou a abrir-se para a cidade, na sua vertente mais carismática: a dança contemporânea. Todos sentiamos a falta dessa sala, e desse palco por onde desfilaram companhias de dança contemporânea nacionais e internacionais. Também lá tiveram lugar as várias edições do "Festival de Jazz do Porto", a que associo António Pinho Vargas, entre muitos outros. E músicos como Chick Corea, Diana Krall, Astor Piazzola, Dee Dee Bridgewater, Pablo Milanés. Seria infindável a listagem de nomes grandes da música, e da dança.

Para mim, o Teatro Rivoli era o palco de referência da dança contemporânea. A lacuna maior da cidade. E foi com a coreógrafa  Anne Teresa de Keersmaker e a Companhia Nacional de Bailado que o palco do Rivoli se reabriu nas noites 12 e 13 Setembro 2014. Sim, a dança contemporânea de grande qualidade, voltou à cidade.

"Será tendencialmente um equipamento mais voltado para a dança contemporânea e outras práticas artísticas que utilizam o corpo de uma forma mais expressiva"  

Tiago Guedes, novo director



 Mozart Concert Arias 
CNB | Rivoli
foto: Paulo Pimenta


CNB | Rivoli
foto: Paulo Pimenta

Oito anos depois, a dança voltou ao Teatro Rivoli. E não poderia inaugurar a nova era de melhor maneira. Mozart Concert Arias da coreógrafa belga Anne Teresa de Keersmaker intepretado pela Companhia Nacional de Bailado (CNB). Dança contemporânea. Apesar da formação clássica, é no bailado contemporâneo que me identifico na paisagem estética da dança.

Anne Teresa de Keersmaker. Coreográfa que aprendi a admirar à distância. Descobri-a online, durante o Festival de Danse Marseille (2005) à frente da sua companhia Rosas

A Companhia Nacional de Bailado dispensa apresentação, de qualidade comprovada, já me referi à CNB anteriormente com La Valse.

A Companhia Nacional de Bailado foi a primeira companhia, a nível mundial, exceptuando a Rosas – companhia de Keersmaeker, fundada em 1983 – a interpretar uma obra da criadora belga: “Lisbon Piece” (1998), peça coreografada expressamente para a companhia nacional portuguesa.



Rosas : Raga for the Rainy Season /A Love Supreme
 Anne De Keersmaeker
foto: Festival de Marseille/Danse, 2005
http://www.festivaldemarseille.com

Anne Teresa de Keersmaker apresentava nesse ano de 2005, a sua companhia Rosas, com a criação Rosas: Raga for the Rainy Season /A Love Supreme.

"Après Bartók,Mozart, Steve Reich, Monteverdi, Joan Baez, Miles Davis… cet été, pour la première fois, Anne Teresa de Keersmaeker (une complice du Festival depuis 2001) fait se rencontrer «la plus savante des musiques indiennes», le Dhrupad, avec la plus «populaire des musiques savantes» occidentales, le jazz de John Coltrane. Rêves d’orient."

Festival de Marseille 2005

De imediato me seduziu. Remetia-me para Pina Bausch, a referência maior da dança contemporânea da última década, a Bob FosseMaurice Béjart. Nomes que fazem parte da historiografia da dança contemporânea. Pina Bausch e Maurice Béjart vieram a Portugal.

Anne Teresa de Keersmaker foi condecorada com a Medalha de Mérito pela Secretaria da Cultura na semana passada. 

"Ao longo da carreira, tem mantido uma relação de proximidade com Portugal, tendo desenvolvido e apresentado muitas das sua produções no nosso país, contribuindo para uma forte divulgação e enriquecimento da dança contemporânea em território nacional”.
SEC


 Mozart Concert Arias 
CNB | Rivoli
foto: Paulo Pimenta

Não poderia ter sido melhor a escolha para a reabertura do Teatro Rivoli. Este ciclo que se prolongará até Dezembro, tem por tema 'O Rivoli Já Dança'. Não o acho muito inspirador, mas alerta para o facto de a dança voltar ao Rivoli, claramente. A sala de excelência para esta arte tão bonita.

Este ciclo antecede a temporada que se iniciará em Janeiro de 2015, já desenhada pelo novo director artístico, Tiago Guedes. O ciclo assinala a tendência de um teatro que dará prioridade à dança e às artes do corpo, mas sempre em diálogo com as outras disciplinas – e que será também um importantíssimo território do pensamento. 

Deste modo, decorrerá já em Novembro, o Fórum do Futuro, para o qual foram convocados grandes teóricos da contemporaneidade, incluindo dois prémios Nobel e quatro Pritzker. 

"Entendemos que o Rivoli deve ser um mediador da cidade, um lugar onde a cidade se revê e se apresenta - um lugar simultaneamente popular e cosmopolita, histórico e contemporâneo, local e nacional.
Paulo Cunha e Silva,vereador da CMP


 Mozart Concert Arias 
CNB | Rivoli
foto: Paulo Pimenta
Defendendo que a programação “não pode ser apresentada de forma elitista” e que “um teatro municipal tem de abranger toda a gente”, Tiago Guedes, actual director, considerou que para este momento simbólico da reabertura da sala “a escolha de Mozart Concert Arias foi excelente, porque é um espectáculo mais consensual, com orquestramúsica ao vivo, ópera, dança”. É sim, um bailado féerico que vai muito de encontro ao próprio Mozart.


 Mozart Concert Arias 
CNB | Rivoli
foto: Paulo Pimenta

A sala esgotou no primeiro dia, sexta-feira, dia 12 Setembro, muitos colunáveis, enfim, o usual, mas também  muita gente do panorama portuense da dança, da música, do teatro.
No entanto, suponho que tal não aconteceu no segundo dia, 13 Setembro, dada a injusta oferta do festival D'Bandada com espectáculos de música espalhados por toda a cidade, chamando centenas de pessoas às ruas do Porto e trazendo o caos no acesso à Baixa do Porto. O bilhete, ficou-me no bolso...


 Mozart Concert Arias 
CNB | Rivoli
foto: Paulo Pimenta


« (...) É nestes ambientes híbridos que De Keersmaeker revela um verdadeiro caso de amor por Mozart. E não é só pela sua música mas por tudo o que o possa sugerir: o ornamento, a galanteria, a sensualidade, o jogo, a superficialidade, o humor e a leve intermitência entre a tristeza e a alegria. (...)»

CNB, Facebook

O Porto, cidade de cultura por tradição, está a renascer. Espectáculos nas várias áreas da música e da dança, teatro, animação de novos espaços.

É só ir à Baixa nas noites de sexta-feira e sábado para poder desfrutar desse ambiente cosmopolita que traz à cidade tanto turismo, ainda, em finais de Setembro, chuvoso, e pouco convidativo. Como li, num artigo recente, o Porto está na moda.

"Dansez comme si vous alliez persecuter le paradis... Le paradis, c'est là qu'il se trouve."


Bob Fosse

G-S

20.09.2014
Copyright © 2014-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®



Wednesday, September 3, 2014

Feira do Livro do Porto 2014




Feira do Lvro do Porto 2014

E é com alegria que escrevo hoje um pouco, depois de curtas ausências. Sim, primeiro foram as férias, depois aquela saudável indisciplina  que esta época do ano nos provoca. Verdade. Os dias mais longos, tempo luminoso, afável, que nos leva a dar passeios ao ar livre, aquelas caminhadas saudáveis, idas até à praia, noites aprazíveis. Ou a simples liberdade do dia a dia solto. Enfim, é sempre muito bom voltar ao contacto com estes amigos 'distantes', e tantas vezes mais perto. Volto assim a escrever, mesmo que por fragmentos de cultura.

E então, é isso. Mais um fragmento cultural na minha cidade que se tornou linda em dias de sol. E bem saborosa nas noites amenas. Recantos novos, bom gosto no design, conceitos contemporâneos, espaços antigos com estética nova, pequenos restaurantes, bistrot afáveis, numa cidade que envelhecia com pesar.  

Notícia boa, esta ! A Feira do Livro volta à cidade do Porto. Não à Avenida dos Aliados, mas de novo ao Palácio de Cristal. 



Jardins Palácio de Cristal
foto : Parruco

Câmara Municipal do Porto organiza a Feira do Livro que tem como tema “Liberdade e Futuro”. Os jardins do Palácio de Cristal continuam a animar-se durante o verão. Foi o Porta-Jazz ao Relento nas noites de sábado de Agosto. E em Setembro, a Feira do Livro do Porto.

A Biblioteca Almeida Garrett, com seu acolhedor auditório, envolto em espaços amplos, luminosos. Os belíssimos jardins, a longa e frondosa Avenida das Tílias, uma época do ano tão acolhedora. 

Setembro começou lindo ! É bom que continue pois será o lugar ideal para se passar agradáveis momentos culturais, complementados com a beleza natural.

A Feira do Livro do Porto 2014 decorrerá, então, de 5 a 21 de Setembro, apresentando uma agenda luxuriante, quase me atreveria a dizer, para gáudio de todos nós.

A Feira do Livro do Porto, que pela primeira vez em mais de 80 anos é organizada directamente pela CMP, conta este ano com mais de 100 pavilhões de exposição, dezenas de editoras, livreiros e alfarrabistas. Esta parte agrada-me, e muito. 

Além da venda de livros, a Feira do Livro do Porto de 2014 contará com um ciclo de debates, exposições, um festival de “Spoken Word”, performances musicais, um ciclo de cinema e muita animação, o que a transformam num dos maiores festivais literários jamais realizados em Portugal.


Debates 

Literatura debaterá os grandes temas do mundo contemporâneo. Serão dez mesas de debates que conntarão com a participação de importantes nomes do panorama literário, como Gonçalo M. Tavares, José Pacheco Pereira, Pedro Mexia, Manuel Alegre, Rita Ferro, Francisco José Viegas, Richard Zenith,, Helena Vasconcelos, Clara Ferreira Alves, Valter Hugo Mãe, Gonçalo Cadilhe e Mário Cláudio, entre muitos outros. 



“Dos Livros no Cinema” | Feira do Livro do Porto

Do vasto programa cultural faz parte um ciclo de cinema. Os filmes seleccionados questionam diferentes aspectos e práticas em volta dos livros: a memória, a ideologia, a leitura, a fé, a loucura, a criação, a fantasia e o saber. 

Um ciclo de cinema dedicado ao realizador e escritor Pier Paolo Pasolini e um outro ciclo de cinema, programado em torno do livro enquanto personagem de filmes, inclurão obras de realizadores como Truffaut, Dreyer, Oliveira ou Vicente Minnelli

Os filmes serão apresentados por diversas figuras da cultura da cidade: Abi Feijó, Júlio Machado Vaz, António Preto, Rui Reininho. 



Ciclo Pasolini

O ciclo dedicado a Pier Paolo Pasolini será ainda acompanhado por uma exposição de fotografia "As Cinzas de Pasolini", dedicada ao cineasta e escritor, inaugurada a 10 Setembro, em torno da qual serão apresentados debates sobre a obra. A exposição ficará até 9 Outubro. No dia 11 Setembro, a conferência "A Liberdade de Pasolini."

O ciclo que decorrerá no auditório da Biblioteca Almeida Garrett foi denominado “Dos Livros no Cinema” e visa percorrer uma série de obras nesta categoria, "oferecendo material para um debate em torno da representação cinematográfica do livro, da sua física e da sua metafísica."

Procurando uma grande amplitude geográfica (da Dinamarca aos Estados Unidos, passando por França, Portugal e Reino Unido), temporal (do mudo ao contemporâneo) e estilística (de Dreyer a Minnelli), Dos Livros no Cinema pretende tecer um discurso (e dar nascimento a outros) sobre o livro e a já extensa carta de amor que o cinema lhe escreveu ao longo de um século. 



Festival Spoken Word


Uma novidade ! As sessões de Spoken Word. Um cruzamento da palavras com a performance, este ciclo contará com a presença de alguns dos mais importantes nomes da música e da performance em Portugal.  Adolfo Luxúria Canibal, Osso Vaidoso ou Chullage, nele participando também o artista angolano Nástio Mosquito. 

As palavras vão soltar-se no primeiro festival de Spoken Word da última década, realizado no Porto, no âmbito do vasto programa cultural associado à Feira do Livro. 


Quintas de Leitura

O auditório da Biblioteca Almeida Garrett acolherá duas edições das “Quintas de Leitura". 



A Feira do Livro do Porto homenageia nesta edição de 2014, o grande escritor Vasco Graça Moura, recentemente desaparecido. Vasco Graça Moura um dois maiores vultos da literatura e da cultura portuguesa. Um dos grandes defensores da Língua Portguesa contra o acordo ortográfico que tanto desvirtua Pessoa, Camões. E tantos outros nomes grandes das Letras Portuguesas.

Uma 'tília' vai ser 'simbolicamente' dedicada ao escritor. Segundo li no Público, num "texto que acompanha um dossier distribuído à imprensa, Cunha e Silva refere-se a Vasco Graça Moura, [...] como “uma figura que a cidade […] jamais poderá esquecer”. 


Vasco Graça Moura
O poeta, escritor, tradutor de obras dos grandes clássicos, será lembrado, para além da simbólica da tília plantada, na sessão de 11 Setembro das "Quntas de Leitura" com a homenagem "Todo o Poema é Perfeitamente Impuro".

Assim, a partir das 22:00 horas desse dia, no auditório da Biblioteca Municipal Ameida Garrett, irá decorrer uma sessão com "fados, sonatas e o som vibrante dos saxofones, evocações da figura do poeta e um cordão de leitura em jeito de 'cadavre exqui'" que conta com “18 formandos dos Laboratórios de Leitura do Teatro Municipal do Campo Alegre”, que poderá “ser engrossado por figuras públicas que queiram associar-se à homenagem".

Sabe-se que a homenageada da edição 2015 será outro nome ilustre da literatura, Agustina Bessa-Luís.

A edição deste ano conta ainda oficinas, teatro, e uma grande exposição de ilustração "Outro Modo de Ler - Texto e Imagem na Edição para a Infância" (a inaugurar no dia 5 Setembro). 

A exposição integrará um programa paralelo com oficinas para crianças que contará com importantes nomes nacionais do panorama de edição portuguesa e internacional. Entre os muitos nomes, destaco Cristina Valadas e Gémeo Luís, ilustradores de renome internacional. Conheço-os pessoalmente, e admiro profundamente a sua obra de ilustração ligada à literatura para crianças.

Todas as actividades têm acesso gratuito. Horários a consultar aquiPoderá ainda seguir  nas redes sociais Facebook e Twitter.

Quer melhor convite para este mês de Setembro na cidade? 

G-S 

Fragmentos Culturais 

02.09.2014
Copyright © 2014-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®