Friday, November 21, 2014

Paco de Lucia, Grammy Latino póstumo





Paco de Lucia

Prestei homenagem a Paco de Lucia, no dia em que soube da sua morte. Chocou-me, tal como me chocam todos desaparecimentos de grandes vultos das artes. 

Estavam bem na minha memória poético-musical os concertos a que tive o privilégio de assistir e ouvir ao vivo Paco de Lucia

Embora não seja grande apreciadora de flamenco, Paco de Lucia era um caso de extrema sedução pelo timbre e alma que punha na sua guitarra.

Foi portanto com alegria que vi, mais uma vez, o grande músico guitarrista ser premiado, mesmo a título póstumo.




"Mi nombre es Francisco Sánchez Gómez, Alias Paco de Lucía, y soy guitarrista."

Paco de Lucia

O guitarrista espanhol Paco de Lucía, que morreu este ano, em Fevereiro 2014, foi reconhecido ontem, dia 20 Novembro 2014, com o Prémio de Melhor Album do Ano para o disco "Canción Andaluza" nos Latin Grammy, em Las Vegas, a título póstumo. Ver aqui o video da apresentação do prémio.

Prova de que os grandes músicos são imortais e continuam vivos através da sua música.


Paco de Lucia
Canción Andaluza
Grammy Latino 2014



Paco de Lucia


Este é o segundo prémio póstumo que Paco de Lucia recebe, depois de "Canción Andaluza" conquistar também o título de Melhor Disco de Flamenco.








Somam-se assim aos triunfos de 2012 e 2004 com En Vivo Conciertos España e Cositas Buenas.



Premio Principe de Asturias (2004)
Paco de Lucia

Paco de Lucia foi agraciado com o Premio das Artes Principe de Asturias em 2004.






"Hay una relación ahí entre devoción y odio, porque es mucho el esfuerzo que tiene uno que hacer para tocar flamenco. La guitarra es un instrumento que nunca estás seguro cuando lo tocas, siempre estás vendido. Depende de tantas cosas: del estado de ánimo, del equilibrio emocional en ese momento... "

Paco de Lucia

G-S

Fragmentos Culturais

21.11.2014
Copyright © 2014-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Wednesday, November 12, 2014

Arte e tecnologia: Museu de Selfies?




Junges Mädchen (Melancholie), von Théodore Chassériau (1835)*
credits :  Kunsthalle Bremen
Welcome to the Museum of Selfies. 

This is a project that started when my friend aka. right hand and I went to the National Gallery of Denmark in Copenhagen.

I took a picture for fun and liked how this simple thing could change their character and give their facial expression a whole new meaning. 

Olivia Muus


credits: Olivia Muus| National Gallery of Denmark
Tudo começou quando a directora de arte Olivia Muus iniciou o projecto depois de criar o primeiro retrato clássico em formato 'selfie' na National Gallery of Denmark, em Copenhaga, Dinamarca.

Atónitos? Eu não. Achei original pegar em algo que se tornou viral depois da cermónia dos Oscars e direccioná-la para a arte. Mover as pessoas a frequentar museus para fazer uma 'selfie', não de si, mas da pintura que admiram. 

Uma estratégia diferente para chamar o público aos museus.



credits : Michael Shoch
Trata-se assim de uma abordagem moderna à pintura clássica, transformando retratos clássicos/pinturas clássicas em 'selfies'. 

Como? Com a simples adição da mão do observador em cada retrato, mão essa que segura um smartphone.
credits : Eoin, Ireland

Entretanto, Muus modificou mais uma série de quadros/retratos e, agora, abre ao público em geral a oportunidade de submeter novas imagens ao seu projecto. 


credits:  Museum of Fine Arts, Budapest
Uma ideia para atrair público que possa apreciar as obras-primas do passado.

E verdade. Museus e pessoas estão a aderir ao projecto e várias 'selfies' de obras de arte chegam de variadas procedências.

Se me choca? Nem um pouco. No mínimo, um olhar diferente sobre a arte. Numa época em que as tecnologias atraem a maioria das pessoas em todo o mundo, uma via 'desviante' de atrair para a arte. Gostei.

Talvez se lembrem de Primavera com Vincent Van Gogh ou A arte do objecto: a nova Pop Art? entre outros, projectos que difundi.



credits: Olivia Muus | National Gallery of Denmark

Os museus abrem-se a novos conceitos de Arte. A tecnolgia domina o mundo. Os conceitos evoluem e com eles evolui a interacção da Humanidade com o quotidiano e a arte.


O projecto 'arte e selfie' de Olivia Muus atraiu-me. Não que pense aderir à 'selfie' com arte. Mas sou muito receptiva a todo o tipo de evolução, se preservando a ética e a estética. Os museus passaram a ser ser espaços onde se cruzam novas expressões de arte. E muitos passam pela via/era digital que me agrada, quando não posso admirar in loco.



credits: Städel Museum @staedelmuseum

Uma nota importante! Para que o projecto pudesse funcionar mesmo como verdadeiro transmissor de conhecimento da arte, todas as 'selfies'/retratos em pintura deveriam ser identificadas - autor, data, título - pelas pessoas ou entidades que estão a aderir.

Para uma directora de arte, Olivia Muus teve essa falha. Pelo menos na página do seu Museum of Selfies não tive acesso à informaçãoNa conta Instagram figuram algumas referências.

Positivo? Suponho que poderá levar muita gente a conhecer pintores que, de outro modo, não teriam essa curiosidade. Quem sabe?

Para terem acesso a todas as 'selfies' de arte, basta clicar aqui. Impressionante, a adesão, não?


credits: Matthias Eichele

O projecto continua e aceita mais propostas:

"Become part of the museum, submit your own selfie atmuseumofselfies@gmail.com or instagram #museumofselfies


Olivia Muus 


Fica a sugestão, se quiser participar deste Museum of Selfies

G-S 

Fragmentos Culturais

12.11.2014 
Copyright © 2014-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com® 

(formato web 2.0)

*Nota : Descobri o título e autor da obra no Twitter.