Tuesday, October 26, 2010

Uma Família Moderna : filme





Mine Vaganti, 2010


Bem, desta vez venho falar-vos de um filme! Andava com vontade de ver uma comédia. E logo uma comédia ao bom estilo italiano! Ah! Adoro esta língua! 
De volta ao tema, o filme Mine Vaganti com tradução portuguesa Uma Família Moderna, tem realização do turco Ferzan Ozpetek (2010).

O filme é super divertido, falando de coisas sérias, muita excentricidade, uma pitada saborosa de humor, bons actores e realização interessante. Uma família bem à italiana! Mas, com algumas variantes. A introdução do tema da homossexualidade. 




Mine Vagante/ Uma Família Moderna

Seria possível fazer um filme sobre a temática homossexualidade sem cair no drama ou na vulgaridade? Claro que é! Basta ir ver esta comédia. 

Uma comédia inteligente, divertida, corrosiva, tocando em várias 'tabus' da sociedade italiana. Aliás, de qualquer sociedade actual.

Aquela ideia generalizada da família tradicional, em que os filhos têm obrigatoriamente de seguir as pisadas dos pais, estão a ver? Ou o facto de, para se ser feliz, ter que obedecer aos rigores da comunidade via sociedade? A essência do filme é essa! Quebrar estes cânones. 





Uma Família Moderna/ Mine Vaganti, 2010
http://www.imdb.com/

Um filme acerca da liberdade individual, da coragem de perseguir sonhos, de ser autêntico na escolha de vida profissional... e não só.

Querem passar uma hora e meia bem disposta, com uma história simples, mas realista - quantas famílias assim! - umas boas gargalhadas em cenas hilariantes, por vezes um pouco 'cliché'. 

É o caso das cenas da chegada de um grupo de amigos de Tommaso, a casada família Cantoni (Toscana), a tia Luciana, ou a cena da praia! Mas tão divertidas que nem nos afecta tratar-se de déjà vu.




Uma Família Moderna/ Mine Vaganti, 2010

Ozpetek dá a esta comédia calorosa, por vezes comovente, a descontracção necessária para tratar assuntos sérios com uma leveza interessante e humana. 

Não é um filme perfeito. Mas a vida também não é perfeita. E depois, muitas vezes os filmes perfeitos são esteticamente lindos, mas não nos tocam como os filmes com características fortes. Esta comédia é assim! 




Uma Família Moderna/ Mine Vaganti, 2010
Últimas notas! Fotografia do académico Maurizio Calvezi com grande qualidade: os interiores, casa, decoração tipicamente europeia, exteriores, uma cidade italiana. Excelentes enquadramentos. 


E a estupenda banda sonora do compositor Pasquale Catalano, duas lendas da canção italiana, Mina e Patty Pravo, que imprimem tensão, alegria, vida! O que faz com que se saia da sala de cinema a cantarolar, acompanhando a canção final 50 Mila.


Concluindo! Filme e banda sonora a não perder! Para um singular momento de descontracção, sério.




"Non farti mai dire dagli altri chi devi amare, e chi devi odiare. 
Sbaglia per conto tuo, sempre."

G-S


Fragmentos Culturais

26.10.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons


Saturday, October 23, 2010

Vício Intrínseco um livro diferente




" O supremo rock star literário"


Rolling Stone

Um livro que anda a fazer sucesso por aí!  Estranho, divertido, diferente, como diz a sinopse, "em parte noir, em parte uma farsa psicadélica". Para quem goste do género, este é o último do escritor de culto alternativo Thomas Pynchon. Tem sido frequentemente favorito ao Prémio Nobel.



"Pynchon's seventh novel is described as Psychedelic Noir, but it's much more. Doc Sportello, the hippie/detective protagonist, confronts the Death of the 60s and the reassertion of Control by the powers that be. Set in 1970, it foreshadows the Internet and the loss of privacy."


É um dos autores mais influentes mas à distância. Não há quem o veja em público há muitos anos.


" o deus escondido das letras modernas"


Washington Post







Ah! Pelo menos a voz dá-se a conhecer. É só visionarem no Youtube a apresentação do livro narrada pelo autor.

Não sei se os convenci a comprar, mas não deixem de passar por uma livraria. Folhear algumas páginas, ler um excerto aqui e acoli dar-vos-à prazer e alguns sorrisos se desprenderão! 


"Lembra uma série de solos de jazz."

Newsweek 

Fantásticas referências musicais percorrem o livro, facto que vos preencherá o imaginário e deleitará o sentido da audição.The Beatles, Jimmy Hendrix, Frank Sinatra, Pink Floid, The Doors e tantos outros! Passem por este link e verifiquem! Uma imensidão!

Consegui convencer-vos?


[…] é o Pynchon de sempre – exigente, efusivo, humano – a quem não há cinco estrelinhas que saldem uma imensa dívida de gratidão.

Rogério Casanova, Expresso



G-S

Fragmentos Culturais
23.10.10

Friday, October 15, 2010

Lloyd Cole na Casa da Música... perfeito!







Lloyd Cole foi perfeito, dia 14 Outubro na Casa da Musica. Apresentou o seu novo trabalho Broken Record e também cantou alguns dos temas mais conhecidos do seu repertório, durante duas horas.


Músico de qualidade e rara simplicidade, Lloyd Cole, como bem se lembram foi vocalista dos Commotions, nos anos 80. Tornou-se naquela época um ícone da pop.


Nos anos 90 iniciou uma carreira a solo, ainda perto da 'pop-music'. Depois disso, foi-se aproximando de um registo folk.


Neste seu novo álbum, editado em Setembro último, Lloyd Cole volta a tocar em grupo, juntando músicos de muito prestígio. Entre eles, músicos de Lou Reed, Crash Test Dummies e até dos Commotions.


"I emailed my ideal band – I was making a record, in a studio, old school with tape. Interested? NB. The money is not much, and not negotiable. All said yes. I had a studio band."


Lloy Cole


É curioso! Se repararem bem na capa do álbum, há uma porta encimada com o número 49! Simbólico? Sim... Lloyd Cole tem 49 anos. Divertido! Porque Lloyd Cole fez várias vezes alusão à temática da idade!


Broken Record (editado Setembro 2010)

Pois voltemos ao concerto na Casa da Música! Lloyd Cole apresentou a versão acústica do álbum. Lindíssima! Cantou e tocou guitarras e banjo. 
Fez-se acompanhar pelo Small Ensemble, dois outros excelentes músicos, Mark Schwaber, guitarras e bandolim (dos Spouse e Hospital e Matt Cullen, guitarras e banjo (dos The Sight).
Que sonoridades estes três músicos trouxeram ao palco da Sala Suggia!

Não se tratou de um concerto nostalgia, ao estilo dos anos 80, não! Mas, mesmo que fizesse música anos 80, bem ao jeito dos Commotions, Lloyd Cole  continua a demonstrar a ser um músico de rara qualidade musical e lírica, muito admirado pelas várias gerações que se  cruzaram naquela sala. 





Lloyd Cole/Casa da Música
Fotografia: Hugo Sousa


O cantautor bem ao jeito 'troubadour' fez música de hoje, numa postura serena, quase tímida mas bem humorada, interpretando os temas dos diferentes projectos, sem rotulagens anímicas! Bastou-lhe o imenso talento ali bem demonstrado, de compositor e intérprete, num registo intimista, quase de bardo, o que vai rareando nesta época em que a música de computador está quase sempre presente. 

As suas líricas são imensamente poéticas! Tocou-se folk-rock de requintada  qualidade, na sala Suggia.


"Broken Record... sacrifices none of the introspective intimacy at which the singer excels... delivered with the poetic grace and subtle humour we’ve come to expect"

Record Collector

Uma primeira parte mais tímida, de parte a parte, músicos e público. É que o registo era tão puro, que quase parecia sacrilégio interromper com aplausos. Mas, na segunda parte, uma empatia mais solta! E aí, a sala acompanhou os seus poemas e cantou ou trauteou com Lloyd Cole. O cantor sorria e terminava sempre com um agradecimento quase sussurrado.

É sem dúvida um intérprete perfeito, voz e instrumental, a sua qualidade manifestou-se, mais uma vez, nesta versão acústica de Broken Record


E os músicos do seu Small Ensemble pérolas raras! Destaco Mark Schwaber pela transparência de sonoridades da guitarra, mas sobretudo do bandolim. Exímio! No final de muitos dos temas, os três músicos fizeram autênticos solos de guitarra! Uma beleza!


No 'encore', alguns temas conhecidos da sua fase com os Commotions. 'Jennifer She Said' que todos nós acompanhámos. Faltou 'She's a Girl and I'm a Man'...

Dado que o músico está em tournée no nosso país, não perca a oportunidade de o ir ouvir! 


Um concerto ao vivo é uma experiência quase divina, uma comunhão de sentires, um ritual de intensa  beleza!




"The whole experience was, for me, rewarding, perplexing, fabulously enjoyable and heinously stressful. Singing with a rock and roll band in the studio I felt exactly as I did in 1987 or 1995, and then I would see my reflection in the glass of the gobo and wonder who this old guy was… I’m happy we got these songs finished, because I’m not sure I’ll make another record like this again."


Lloyd Cole


G-S


Fragmentos Culturais


15.10.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®


Licença Creative Commons


Referências


Tape Records
http://www.tapeterecords.de


Lloyd Cole myspace
http://www.myspace.com

Wednesday, October 13, 2010

Biblioteca do Vaticano, um esplendor!




Vatican Apostolic Library
Pier Paolo Cito/ AP
http://d.yimg.com

Andava eu há uns dias a navegar, em paisagens bem diferentes, quando me surgiram estas pela frente! Impossível não vos deixar aqui as imagens que são de um esplendor inegável! Um maravilhamento que se adentra no olhar e nos deixa sem palavras.


Uma biblioteca assim, não se visita todos os dias! Eu adoraria sentar-me numa daquelas mesas e passar ali largas horas de contemplação, naquele silêncio quase meditativo que tanto aprecio!


A Biblioteca Apostólica do Vaticano reabriu as suas portas no passado dia 13 Setembro 2010, depois de três anos de trabalhos de renovação que passaram, é claro, pela introdução de medidas de segurança. Com tal arte!


A Vatican Apostolic Library foi começada pelo Papa Nicolau V (1450) e reúne a mais bela colecção de manuscritos em língua latina.



.Pier Paolo Cito/ AP
Pier Paolo Cito/ AP



Alessia Pierdomenico/ Reuters Vaticano



Pier Paolo Cito/ AP



Manuscritos
Alessia Pierdomenico/ Reuters 2010
http://d.yimg.com


Perante tais imagens, impõe-se o silêncio da interioridade!

"A Biblioteca existe ab aeterno. Dessa verdade cujo corolário imediato é a eternidade futura do mundo, nenhuma mente razoável pode duvidar."


Jorge Luís Borges, A Biblioteca de Babel
Ficções, Teorema



G-S


Fragmentos Culturais

11.10.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®


Nota: Não me atrevi a reduzir mais as imagens sob pena de se perderem muito de seus preciosos pormenores.  Para desfrutar a estética das mesmas.

Friday, October 8, 2010

Celebrando John Lennon





Imagine | John Lennon





John Lennon 70º anniversário Google Doodle 
https://www.google.com/doodles/


Imaginem! Hoje Google surpreendeu-me mais uma vez. John Lennono compositor e cantor dos Beatles  está a ser celebrado com um doodle interactivo especial que celebra de forma muito poética o que poderia ser o seu 70º aniversário ao som de Imagine

Quando entramos na página principal do motor de busca, somos premiados com uma ilustração desenhada para celebrar, um dia antes, já que Lennon nasceu a 09 Outubro, o que poderia ser mais um dia na vida deste cantor e compositor. Clicando no logótipo, é de imediato elencado para 32 segundos do célebre tema  Imagine.

Yoko Ono numa mensagem de paz, encoraja o mundo inteiro a enviar vídeos para o Youtube como tributo a John Lennon  num movimento pacifista internacional.






"You may say I'm a dreamer
But I'm not the only one "


... todos nós conhecemos estes versos do tema Imagine que se tornou um hino de paz no mundo.


Imagine! Seria impensável não falar de John Lennon ! É verdade! 
I'm a dreamer too!

G-S

Fragmentos Culturais

08.10.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Thursday, October 7, 2010

Prémio Nobel Literatura 2010




Mario Vargas-Llosa
Sara Krulwich |The New York Times

O peruano Mario Vargas Llosa é o nomeado para o Nobel da Literatura 2010.


O porta-voz da Academia Sueca destacou a obra de Vargas Llosa "pela sua cartografia das estruturas do poder e as suas afiladas imagens da resistência, rebelião e derrota do indivíduo".


Vargas Llosa é um dos mais conceituados escritores de língua espanhola  e foi várias vezes mencionado, assim como o seu contemporâneo Gabríel Garcia Márquez que ganhou o Nobel da Literatura em 1982.


Depois de nomes bem menos conhecidos do grande público, como a alemã Herta Müller (2009), o francês Jean-Marie Gustave Le Clézio (2008), a inglesa Doris Lessing (2007), o turco Orhan Pamuk (2006) e o britânico Harold Pinter (2005), este ano, a Academia optou por um nome mais conhecido do grande público.


"Vargas Llosa não era um dos principais suspeitos - entre os nomes mais falados para o prémio encontravam-se por exemplo Cormac McCarthy, Tomas Tranströmer e Alice Munro. Uma vitória de Transtörmer entregaria o prémio a um poeta pela primeira vez desde 1996, ano em que venceu a polaca Wislawa Szymborska. O último autor de língua espanhola a receber o Nobel tinha sido o mexicano Octavio Paz, em 1990."

Sapo/Lusa




Vargas-Llosa, nascido no Peru em 1936, tem nacionalidade espanhola desde 1993. Além de romancista, é jornalista e crítico de arte. O seu trabalho mereceu já os prémios Principe de Asturias (1986), Planeta (1993), Cervantes (1994), entre outros. Lecciona actualmente na Universidade de Princeton.

Vargas Llosa é autor de obras como "A tia Júlia e o Escrevedor", "Conversa n'A Catedral", "A Guerra do Fim do Mundo", "Elogio da Madrasta", o livro de memórias "Como peixe na água". 


Deste autor lembro ter lido "Carta a um Jovem Romancista" e "Tia Júlia e o Escrevedor".


Para Novembro de 2010 a Quetzal vai publicar o seu novo romance "El Sueño del Celta" - O Sonho do Celta, baseado na vida do irlandês Roger Casement, cônsul britânico no Congo Belga do início do século XX, um profundo defensor dos direitos humanos.


O livro será editado em Espanha e nos países latinos de língua castelhana no dia 3 de Novembro próximo, mas em Portugal, a data da edição é ainda desconhecida.


Suponho que com esta nomeação a sua editora apressará a edição em língua portuguesa.


"Mario Vargas Llosa recebe o 103.º Prémio Nobel da Literatura, atribuído pela primeira vez em 1901. É o 11.º autor de língua espanhola a receber a distinção, depois de laureados como Camilo Jose Cela (1989), Gabriel Garcia Marquez (1982), Pablo Neruda (1971) ou Gabriela Mistral (1945). O autor de língua espanhola que mais recentemente venceu o Nobel literário foi o mexicano Octavio Paz, em 1990."


Publico/Cultura


O New York Times | Books também lhe dedica um artigo muito interessante que poderá ser lido aqui Eu destacaria esta expressão de Llosa:


The Inquisition forbade the novel for 300 years in Latin America. I think they understood very well the seditious consequence that fiction can have on the human spirit.


Mario Vargas-Llosa, NYT

G-S

Fragmentos Literários

07.10.10
Copyright © 2010-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons


*Nota: Não entendi muito bem o emprego do vocábulo 'suspeito' utilizado pelo jornalista da Lusa!? Questão de vocabulário descontextualizado?


Referências:


Sapo/Livros
http://livros.sapo.pt

Publico/Cultura
http://www.publico.pt

New York Times/Books
http://www.nytimes.com