Thursday, December 31, 2009

Bom Ano 2010



New York City Ballets

Paul Kolnik/NYT 2009


New York City Ballets
Paul Kolnik 2009


O melodioso sistema do Universo,
O grande festival pagão de haver o sol e a lua
E a titânica dança das estações
E o ritmo plácido das eclípticas
Mandando tudo estar calado.
E atender apenas ao brilho exterior do Universo.


Álvaro de Campos, O Melodioso Sistema do Universo
27.11.1914

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Teresa Rita Lopes, 2002





Apesar da intempérie que se tem abatido sobre a cidade, não posso deixar de fugir, através da arte, para paisagens bem mais aprazíveis e serenas.

Bom Ano para os que me apoiam com seu carinho!
Possa 2010 trazer mais igualdade para todos, num inadiado direito à cultura!


G-S

Fragmentos Culturais

31.12.2009
Copyright © 2009-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

* A 'Paulo Sempre' que me fez encontrar Dante's prayer. Há muito a buscava...


A 'Gonçalo' que sempre me atribui amistosos 'selos', mesmo sabendo que não os transporto para este espaço.



Sunday, December 20, 2009

Natal




La Pietà
 Villeneuve-lès-Avignon, Enguerrand Quarton


Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher
Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e combóios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Ary dos Santos, Quando um homem quiser


Para todos os que compartilham afectos em Fragmentos, ao longo do ano,  meus votos mais sincero de Sereno Natal.

G-S

Fragmentos Culturais, Coldplay, Have yourself a merry little christmas

20.12.2009

Copyright © 2009-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Sunday, December 13, 2009

Ágora : um filme que nos toca !





Ágora
Alejandro Amenabar, 2009

Desta vez, fui mesmo das últimas pessoas a abandonar a sala, depois de o filme terminar e o genérico correr. Contemplativa, tocada, tentava absorver todos os pormenores de um filme que posso considerar como o mais impressionante que vi ao longo deste ano. 

Como eu, um casal permanecia sentado, olhando fixamente a tela que rolava ao som da banda sonora de inefável beleza de Dario Marianelli.

O impacto da veracidade dos acontecimentos, a trágica destruição da Biblioteca de Alexandria, um 'oráculo' para os  apaixonados pelos livros, como eu, a morte  quase piedosa de Hypatia que Amenábar põe nas mãos de Davus, seu antigo escravo e discípulo, a música de profundo sentimento lírico, tudo isto nos deixa em silêncio meditativo por mais alguns momentos.




Hypathia & Davus
Raquel Weisz & Max Minghella
Ágora
Alejandro Amenabar, 2009




Agora | Rachel Weisz
créditos: Getty Images
Festival de Cannes 2009
(fora de competição)
Hypatia é a figura principal deste épico de Alejandro Amenábar. A  partir da  Biblioteca de Alexandra, Hypatia leva a cabo uma luta para salvar  os livros  do  mundo antigo, ameaçada por perseguições religiosas. 
"4th century A.D. Egypt under the Roman Empire... Violent religious upheaval in the streets of Alexandria spills over into the city's famous Library. Trapped inside its walls, the brilliant astronomer Hypatia and her disciples fight to savw the wisdom of the Ancient World..."

Hypatia, filósofa, astrónoma, e matemática é uma mulher que me atraiu desde sempre, pela força de carácter, pela coragem de defender as suas ideias, pelo pensamento livre, interrogando-se sobre o porquê das coisas, pela busca da verdade, uma mulher de saberes e grande beleza, atributos impensáveis  em época alguma.




Hypatia 
 (c. 355 ce-March 415, Alexandria) 

Professora, suponho que a primeira no feminino, no Museu de Alexandria, Egipto, o centro intelectual e cultural grego que albergava várias escolas independentes e a célebre Biblioteca de Alexandria.

Movimentava-se livremente, conduzindo o seu próprio chariot, contrário às normas do comportamento público das mulheres. Teve uma considerável influência política na cidade. 

Deu origem à escola neoplatónica e nela recebeu discípulos de várias religiões. Foi cruelmente assassinada da maneira mais ignóbil que há memória.




Les femmes qui lisent sont dangereuses
Laure Adler/ Stefan Bollmann


Lembro que escrevi sobre Hypatia, em Janeiro de 2008, no post Mulheres que Lêem são Perigosas, o livroa propósito de um livro de Laure Adler & Stefan Bollmann, "Les Femmes qui lisent sont Dangereuses", Flamarion, 2006.








Hypatia que nos prende pelo modo como tenta entender incansavelmente o mundo que a rodeia, as pessoas que se aproximam, a sua dedicação total ao conhecimento. A humildade de reconhecer as suas limitações, e acima de tudo, a flexibilidade de reavaliar os seus pressupostos e de desafiar o que previamente dera como verdadeiro, numa incansável busca intelectual e científica.





 Hypatia e filósofo Then
Ágora
Alejandro Amenabar, 2009

As cenas da observação do firmamento são de inatingível beleza, na percepção dos astros, ao som do tema musical The skies do not fall!








"From the writing point of view, once we started researching, we realized that this particular time and world had a lot of connections with our contemporary reality. We realized that in making a movie about the past, we were actually making a movie about the present."

Alejandro Amenábar

Um filme que não deixará ninguém indiferente e que promete, apesar da polémica, entrar na corrida para os Oscars.





Hypathia/ Raquel Weisz
Alejandro Amenabar, 2009




Hypathia & Max Minghella
Ágora
Alejandro Amenabar, 2009

Raquel Weisz, soberba na sua interpretação, simboliza de forma cristalina, a razão, a tolerância, e inevitavelmente o seu martírio, bem secundada por Max Minghella, arrebatador, apaixonado, filho do célebre realizador Anthony Minghella


Cenários de incrível veracidade histórica, uma biblioteca e manuscritos que dói a alma supor como foram destruídos, numa mística de rara beleza pelos saberes e culturas.


O teu fim que não
tem fim é como um
floco de neve a
dissolver-se no ar
puro.


Bassui, mestre zen, 1327-1387



G-S

Fragmentos Culturais

13.12.2009

Copyright © 2009-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

 

Saturday, December 5, 2009

75 Anos da Mensagem de Fernando Pessoa




Fernando Pessoa

"O mito é o nada que é tudo."

Fernando Pessoa *



"Em parte devido a essa confiscação patriótica do poema, muitos dos que admiravam Pessoa como um mago que alterara a nossa paisagem lírica e a nossa visão do mundo prestaram pouca atenção" 

Eduardo Lourenço
 
O ensaísta assim afirmou na sessão que decorreu no anfiteatro da Biblioteca Nacional, em Lisboa, para comemorar o 75º aniversário da publicação da primeira edição de "Mensagem" de Fernando Pessoa, o único livro de poemas em português que o autor publicou em vida.

Esta sessão teve como participantes, Eduardo Lourenço, um dos mais prestigiados ensaístas, reconhecido além fronteiras, Vasco Graça Moura, um dos consagrados classicistas, e Manuel Alegre.

Vasco Graça Moura criticou o poema épico de Pessoa, considerando-o   "totalmente insensível" à "afectividade", ao "lado lírico", bem como ao "papel da mulher", presente em todas as grandes epopeias desde a Odisseia.


«O grande pecado da 'Mensagem' é a ausência de Camões. Pessoa sempre teve uma questão, talvez uma questão com ele próprio», afirmou, por sua vez, Manuel Alegre. 

A propósito desta sessão, gostei de ler o comentário publicado em Um Fernando Pessoa. Para quem não pode estar presente, é uma excelente visãoo de alguém que sendo admirador de Pessoa, consegue filtrar as posições extremadas.

Foi lançada ainda uma edição 'clonada' do dactiloscrito de Pessoa, que o editor Paulo Teixeira Pinto, da Guimarães Editora, frisa ser mais do que um fac-simile




A Mensagem

Pessoa dizia "não há factos, só interpretação de factos". Nós não queremos interpretar nada, queremos só deixar este facto.

Paulo Teixeira Pinto, Guimarães Editores

A obra estará em venda exclusiva na Fnac, mas uma versão abreviada em formato digital poderá ser 'folheada' online

Estão previstas outras duas conferências, segundo pude ler no sítio web da Casa Fernando Pessoa e no blogue Mundo Pessoa.



Casa Fernando Pessoa
http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt

«É um livro de um outro futuro, 'Mensagem' teria que esperar uma leitura mais adequada ao seu mistério e à sua intrínseca estranheza, tanto no fundo como na forma, num outro tempo mais propício e aberto, igualmente mais complexo e estranho» 

Eduardo Lourenço


G-S

Fragmentos Culturais

03.12.2009
Copyright © 2009-Fragmentos Culturais Blog, fragmentosculturais.blogspot.com®

Licença Creative Commons

Referências:

* Fernando PessoaMensagem, Brazão II, Os Castelos, Primeiro, Ulysses, 1º verso.
  
Sessão Comemorativa dos 75 anos da Mensagem de Fernando Pessoa

Camões e Pessoa, vítimas de 'confiscação' patriótica, LUSA
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=424092

Mensagem com 75 anos
http://ler.blogs.sapo.pt